sábado, 7 de agosto de 2010

Balanço do mundial

No passado mês de Junho, pudemos assistir ao campeonato do mundo de futebol da África do Sul. Se olharmos para o comportamento das várias selecções, poderemos identificar 5 tipos diferentes de equipas.
As equipas que foram participar no torneio, mas que acabaram por assumira um comportamento suicida e indisciplinado, caso da selecção da França.
As equipas que pretendiam ir o mais longe possível, mas cujas prestações em campo acabaram por não corresponder a esse seu desejo, acabando por ser eliminadas nas fases anteriores, casos de Portugal, Itália ou Inglaterra.
Depois existiam equipas que queriam ir o mais longe possível e que, de facto, apesar de algumas limitações em relação a outras mais fortes, com mais ou menos sorte, acabaram por fazê-lo, caso do Uruguai ou da Holanda.
Depois havia a Alemanha que actuou de forma fria e compacta durante todo o campeonato, levando à prática de forma demolidora, mecânica e quase cínica os seus objectivos
E, por fim, a equipa vencedora do torneio, a Espanha que começou com uma derrota que, em vez de a desanimar, a incentivou para uma campanha vitoriosa e os seus jogadores, além da arte e engenho, entravam em campo dominados pela famosa “fúria espanhola” que é mais do que uma simples motivação. É uma fúria que tem “ganas” de dar o tudo por tudo, se necessário, deixar a pele e o corpo em campo até à vitória final.
Na forma como encaramos a nossa vida, também nos pode acontecer , a de quase suicídio, como a França; a do que quer, mas não pode; a do que pode, mas não quis de forma suficiente e a do que podia e quis de forma furiosa vencer. Uma coisa é certa, agora, depois do campeonato do mundo, só conta mesmo o vencedor, dos outros pouco ou nada se falará.

3 comentários:

Francisco disse...

Já soube o que aconteceu ao seleccionador norte-coreano? 14 anos de trabalhos forçados...
Diga-me uma coisa: foi o MRC que divulgou um artigo sobre o conservadorismo, há coisa de um mês ou 2, talvez mais? é q não o encontro aqui no meio das minhas leituras... Muito obrigado!

MRC disse...

Ó Francisco, conservadorismo é a minha cara e a cara deste blogue, mas assim sem especificar o tema em concreto é difícil saber a qual se refere...

Francisco disse...

Pois, tem razão :D lembro-m q só li umas poucas palavras do texto... Tinha que ver com a visão negativa que os conservadores regra geral têm do mundo, não me recordo em que contexto, nem se era escrito por um conservador ou não... Deve ter sido o MRC que publicou. Peço desculpa pelo incómodo, e muito obrigado!