quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Conde Claus von Stauffenberg



Devo dizer que sempre nutri uma enorme admiração pelo Tenente Coronel Conde Claus von Stauffenberg, por representar a aristrocacia autêntica, por personificar a figura do Herói disposto a morrer pela pátria, pelas grandes virtudes humanas, pelo seu catolicismo coerente.

O filme Valkyrie foi um parto difícil de fazer: alvo de muitas criticas na alemanha pela proveniência americana e pela escolha de Tom Cruise para o principal papel.

Os filhos de Stauffenberg insurgiram-se contra o filme; um figurante que se magoou durante as filmagens pôs a produtora americana em tribunal e, por fim, o lançamento mundial do filme teve que ser adiado vários meses porque várias cenas tiveram que ser novamente filmadas.

Agora, lançado nos EUA, o filme está a ter um bom acolhimento quer entre o público, ocupando os lugares cimeiros da Box Office (neste momento ocupa o 4º lugar), quer entre os críticos não só nos EUA, mas também na própria Alemanha.

P.S.- Com o filme, foi também produzido um documentário com entrevistas aos sobreviventes e aos filhos dos conspiradores que irá ser transmitido no canal história e também em DVD.

Blog sobre sobreviventes da II GGM

Sala de Guerra

Para mim que sou um apaixonado, em part-time, da II GGM, este blog, pela riqueza das informações que tem, é um docinho.

À primeira vista, destaque para 2 posts:

Um, sobre Hanna Reitsch, a mulher piloto que se ofereceu, sob bombardeamento, para ir salvar Hitler nos últimos dias de Bunker.

Outro, sobre uma história impressionante de um piloto alemão que salvou um avião norte-americano e os seus pilotos da morte certa.

Os filhos da história

Assim como fiquei a saber que o filho de Adolf Eichmann , Ricardo Eichmann, é actualmente um dos melhores especialistas em arqueologia da Alemanha, encontrei na net dois filhos de dois alemães que colaboraram no atentado contra Hitler, o filho de Gunter Smend e de Hans Von Voss

Aqui

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

O valor jurídico da vida intra-uterina

Excelente artigo técnico da autoria do meu antigo professor, o Prof. Dr. Manuel Carneiro da Frada, sobre o valor jurídico da vida intra-uterina, onde aborda, entre outros, a polémica questão do artigo 66 do Código Civil que dispõe que a personalidade jurídica apenas começa com o nascimento.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Regabofe socialista


Da experiência do último referendo, já fiquei bem ciente das estratégias pouco limpas do senhor primeiro ministro que promete coisas que depois não cumpre (refiro-me à promessa de regulamentação moderada de prática do aborto vs regulamentação selvagem que veio depois a ser aprovada).


Agora, o meu amigo António Pinheiro Torres, destaca no seu blog, mais um paradoxo:


Em Diário da República, o concurso para coveiro, com um salário de 450,00€ exige apuradas e exigentes provas de admissão; o concurso para assessor do IPJ, com um salário de 3.500,00€ apenas exige "apreciação e discussão do curriculum vitae" (vulgo, cunha) .


Vejam, está aqui

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Fanatismo pró-gay continua

Depois da última ofensiva junto da ONU, o fanatismo pró-gay continua.
Um dos pontos mais sagrados para a magistratura é a sua irresponsabilidade, isto é, nenhum magistrado pode ser responsabilizado pelas suas decisões, quando muito deve-se delas recorrer mas nunca responsabilizar o respectivo Juíz pela sua decisão.
Esta tem sido, pelo menos, a orientação do Conselho Superior de Magistratura em Portugal.
Ao ponto a que chegámos!
Não se pode dizer que se acha a homossexualidade uma aberração da natureza porque isso é homofóbico; não se pode opinar contra a homossexualidade porque isso pode ser e é já crime em vários países do mundo e não se pode muito menos defender que, num determinado caso concreto, para um menor não é positiva a adopção por parte de um casal de homossexuais ou lésbicas.
Caminhamos para novas formas de ditadura enquadradas e mascaradas em roupagens supostamente democráticas.
A forma ofensiva e mal educada como alguns bloggers reagem a opiniões contrárias à homossexualidade e a alguns dos seus alegados direitos é apenas (mais) uma manifestação dessa nova forma de totalitarismo que se avizinha se nada fizermos para a combater.
Meus senhores, um pouco mais de relativismo, se faz favor !!!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Autarcas algarvios visitam El Rei D. Carlos

No livro "O Regicídio" de Rocha Martins que ando, por estes dias, a ler, conta-se, a certa altura, que uma comissão de autarcas de todo o país pediram uma audiência a El Rei D. Carlos I solicitando a revogação da dissolução do parlamento e a destituição do governo ditatorial de João Franco.
Entre os autarcas do Algarve, conta, na nota de rodapé 1, da sua página 58, estiveram presentes, por Vila Real de Santo António, os Srs. Jacinto de Andrade e Martinho José Rodrigues; por Portimão, o Sr. Francisco Bivar Weinholtz; por Loulé, os Srs. José da Costa Mealha e José Fernandes Guerreiro; por Tavira, o Sr. João Possidónio Guerreiro; por Lagoa, o Sr. José de Deus Ribeiro Garcia e por Lagos, Alcoutim e Faro, o Sr. Conde do Cabo de Santa Maria.
Vários destes nomes constituem hoje o nome de ruas de algumas dessas cidades algarvias.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

O propósito do Natal

O Pastor Rick Warren, um activista pró-vida, evangélico de grande credibilidade nos EUA e recentemente escolhido por Obama para fazer uma oração na sua tomada de posse fala nesta entrevista acerca do propósito do Natal.
Achei particularmente interessante e oportuna a comparação que ele faz, quando interrogado sobre onde está Deus no meio desta angústia da crise económica onde muitos nem dinheiro têm para pagar as prestações das suas casas.
A sua resposta é elucidativa. E o que é o Natal senão a história de uma família pobre e desamparada, sem casa sequer para fazer nascer o seu bébé, com problemas financeiros e no meio de uma enorme instabilidade política !


quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

A crise e o presságio da revolta


Bom artigo de Mário Soares


P.S.- O Miguel Morgado não teve a mesma perspectiva que eu relativamente a este artigo e escreveu isto ao que eu comentei o que se segue:


Ao contrário do Miguel Morgado, considero o artigo do Dr. Mário Soares excelente.Penso que as situações históricas citadas não são comparáveis. Estamos agora numa situação diferente em que quer o comunismo, quer a economia de mercado moderada ou radical mostraram os seus fracassos enquanto sistemas de organização da sociedade.O que se passa na Grécia pode ter um efeito contagiante.Por outro lado, também acho que uma pessoa, mais velha, mais experiente e mais madura pode perfeitamente defender, agora, posições diferentes das que defendia antes. Não vejo qual é o mal nisso. Enquanto seres vivos estamos em permanente formação e mutação, fruto de novas experiências vividas que podem condicionar também a nossa forma de encarar o mundo.Por fim, acho que se tem esquecido da doutrina social da Igreja que foi a única que sempre condenou quer o comunismo, quer a economia de mercado exacerbada. As suas posições ecléticas e moderadas deveriam ser agora aproveitadas pelos partidos de direita para as promover, dada a boa oportunidade histórica em que nos encontramos. Infelizmente, quem o deveria fazer em Portugal, o PP, anda mais preocupado em prepara coligações com o PS....

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ética empresarial

A presente crise económica tem contribuído para o ressurgir de 2 temas que andavam meio adormecidos:
- O regresso à apologia do socialismo e (com menos publicidade) o destaque para a importância da ética empresarial.

A referência para a primeira vem-nos da Venezuela, a referência para o segundo chega-nos via Prof. César das Neves.

Sem prejuízo de poder abordar a questão do ressurgir do socialismo (ou pelo menos, do Estatismo, entendido enquanto reforço da presença e da influência do Estado na sociedade e nas nossas vidas), destaco agora aqui, nas palavras de um padre Jesuíta americano, professor universitário, a questão da ética empresarial


Natal para Bono dos U2

"Na noite de Natal fui à Catedral de St. Patrick (...). Cheguei, sentei-me. Deram-me um lugar péssimo, atrás de um pilar enorme. Não conseguia ver nada. Estava para ali sentado, tendo voltado de Tóquio ou algum sítio desse género. Eu fui pelo canto, porque adoro canto coral. (...) Mas estava a adormecer, pois estava a pé há alguns dias, viajando, porque a missa era um bocado aborrecida e comecei a cabecear, não via nada.
Então comecei a tentar manter-me acordado estudando o que estava na página. Revelou-se-me pela primeira vez, verdadeiramente. Já tinha percebido antes, mas, de facto, compreendi: a história do Natal. A ideia de que Deus, se houver uma força de Amor e Lógica no Universo, que se tenta explicar, é espantoso o suficiente. Que tenta explicar-se a si mesma e se descreve ao tornar-se uma criança nascida na pobreza extrema, em merda e palha...uma criança...Eu simplesmente pensei "Uau!" Só a poesia...Amor desconhecido, poder desconhecido, descreve-se a si mesma como a mais vulnerável. Ali estava. Eu estava ali sentado, e não é que não se me tivesse revelado antes, mas caíram-me lágrimas pela face, e vi o genial disto, o génio absoluto de pegar num momento particular no tempo e decidir transformar-se nisto.
(....) Para mim, faz sentido. É, na verdade, lógico. É pura lógica. A essência tem de se manifestar a si mesma. É inevitável. O amor tem de se tornar numa acção ou em algo concreto. Teria de acontecer. Tem de haver uma encarnação. O amor tem de ser feito carne."
Bono por Bono. Ulisseia. Pág. 144

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Blog do David Fonseca

Para a minha mulher que é fã do David Fonseca, aqui fica o endereço do seu blog que é muito interessante.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Música dos anos 80

Ouvi no outro dia na Rádio Renascença e relembrei-me que esta era uma das minhas músicas preferidas quando andava no Ciclo Preparatório na Escola Selecta D. João I, em Lisboa.

O vestuário e o péssimo playback destoam de uma música que (na altura) até era engraçadinha

Piscinas Municipais




A recente inauguração das piscinas municipais de S.Brás de Alportel vieram preencher uma lacuna e responder a uma necessidade premente do nosso concelho. Já há uns tempos atrás tive oportunidade de escrever nesta coluna que, na nossa vila, o elemento “água” encontrava-se pura e simplesmente ausente.
Agora, gostaria de dar um pequeno contributo através do testemunho que tem sido para mim a experiência de utente e de pai de um utente das piscinas municipais de Faro. Espero, desta forma, poder alertar os responsáveis para certas situações, de forma a atenuar ou prevenir certos males e potenciar as virtualidades do uso de uma pisicina municipal.Para isso, para além do necessário apoio administrativo na gestão das listas de espera, pagamento de mensalidades, etc..destaco 4 items que considero muito importantes: manutenção, segurança, higiene e qualidade de ensino.
Uma pisicina municipal que é utilizada por dezenas de pessoas diariamente, exige necessariamente uma manutenção que se deve pautar pelo cuidado, rapidez e eficiência. E isto não só no que diz respeito à manutenção da piscina em si, mas também de tudo o que lhe está subjacente, nomeadamente ao nível dos balneários, qualidade do piso, funcionamento dos secadores de cabelo, das torneiras e dos ralos de escoamento de água, da canalização em geral, da parte eléctrica e esgotos, dos aquecedores de ambiente, das fechaduras dos cacifos, etc...
Também a higiene numa piscina é algo de fundamental. Em Faro, por exemplo, os balneários e respectivas casas de banho são limpos e desinfectados várias vezes ao dia, com muito curto intervalo entre si, incluindo lavagem de chão e azulejos. Com muita frequência, quando se entram nos balneários, sente-se o cheiro a limpo. A questão é relevante se levarmos em consideração que uma má limpeza, por exemplo, do piso do chuveiro poderá implicar a transmissão de doenças do foro dermatológico. Em concreto, quanto à piscina há que ser rigoroso e exigente. Qualquer situação de defecação que, por exemplo, pode suceder no caso de bébés incontinentes ou de vómitos causados, por exemplo, por qualquer paragem na digestão, deve levar ao imediato encerramento das piscinas e anulação das aulas de natação, com vista ao respectivo esvaziamento, limpeza e reenchimento da piscina.
Uma das outras grandes virtudes das piscinas de Faro reside na enorme sensação de segurança que se inspira motivada pela permanente presença de 2 ou mesmo 3 nadadores-salvadores que, de forma muita atenta e diligente, acompanham todos os passos dos nadadores, com especial destaque para as crianças.
Por outro lado, as câmaras de video, nos locais onde legalmente tal é possível e os avisos escritos com informações relativas a segurança e higiene devem ser outra das formas de apoio e sensibilização dos utentes.
Por fim, é importante destacar a excelência no ensino. As piscinas municipais de Faro são conhecidas pela qualidade dos professores de natação e do respectivo ensino. Hoje em dia, ser professor implica, mais do que uma relação de mero exercício de autoridade e transmissão de conhecimentos, a criação de uma relação de afectividade. Este ponto é particularmente importante no caso das crianças que estão a iniciar as suas aulas pela primeira vez,. A integração no grupo, o pôr o aluno à vontade, a habituação ao professor encontrar-se-ão facilitadas se este, para além da qualidade do que ensina, promover uma cumplicidade com os alunos, ao ponto desse tempo de aula poder ser para, para todos, uma ocasião de prazer e divertimento.
As piscinas municipais de Faro têm ainda uma comissão de utentes particularmente activa e reivindicativa que tem como objectivo estudar e promover, de forma construtiva, uma cada vez maior qualidade dos serviços prestados.
Espero e faço sinceros votos para que a referência de Faro e de outras piscinas municipais possa servir de inspiração para que, no futuro, as de S.Brás sejam as nº1 em tudo que em cima referi.
Artigo publicado na edição de Dezembro do "Notícias de S.Brás"

sábado, 13 de dezembro de 2008

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Portal Montemuro

Muito interessante este portal

Fazer figura de urso.

Na estrada secundária que liga Loulé a Almancil, quase a chegar a Almancil, tem estado, durante toda esta santa semana, alguém, durante todo o santo dia, vestido de urso a acenar para todos os carros que passam num e no outro sentido.

Qual o propósito de tal coisa rara ?

Simples: Tentar convencer os transeuntes a parar e a comprar alguma coisinha na loja que fica atrás do dito urso.

Assim se tenta combater a crise (apesar da loja continuar vazia, pelo menos, das vezes que lá passo...)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

O desinteresse escolar da juventude



Dá para abanar um pouco ?

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Dá Deus nozes a quem não tem dentes e dentes a quem não tem nozes...

Aqui no Algarve quem tiver o azar de se lhe avariar um electrodoméstico quase que pode pensar em ter que comprar outro.

A assistência técnica a fogões, máquinas de lavar loiça, máquinas de secar e frigorificos po parte das próprias marcas é péssima.

Existe, quase sempre, apenas 1 responsável técnico por cada marca para prestar assistência técnica que habitualmente não dá conta do recado tantos são os pedidos de assistência ou também porque os próprios se dedicam a outras actividades mais rentáveis, para além da assistência.

Resultado: Tenho uma máquina de secar avariada desde Maio deste ano e que continua sem arranjar; gasto rios de dinheiro em chamadas para o assistente da marca a implorar para que me venha arranjar a máquina, quando vem arranja tão depressa que nem se dá conta que a máquina permanece avariada.

Por isto já tive que trocar de máquina de lavar loiça por ter perdido a paciência de tanto esperar pela assistência técnica e pelas despesas sucessivas que isso implicaria.

E aqui no meu prédio temos que viver a solidariedade entre vizinhos: enquanto um espera eternidades pelo responsável da assistência técnica o outro empresta a respectiva máquina...

E depois fala-se em falta de emprego...

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Pílula

Muitas mulheres tomam a pílula oral convencidas que é totalmente segura para a sua saúde.

Algumas inclusivé fazem com que a mulher deixe de ter o período, o que, para muitas, é um excelente efeito secundário.

Porém, este é um assunto que está ainda muito mal esclarecido.

Existem vários efeitos ainda por estudar ou estudados mas não suficientemente divulgados.

Aqui fica um, mas há muitos mais.

O medo de falha nos métodos naturais e a consequente ocorrência de uma gravidez indesejada, no entanto, é frequentemente mais forte e leva ao recurso ou à manutenção da contracepção artificial oral cujos efeitos secundários são, como disse acima, bastante ambíguos.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Obama e a escola pública




Afinal, lá no fundo, todo o esquerdista sabe bem que uma boa escola privada é muito, muito melhor do que uma escola pública republicana e laica e asséptica de valores.


Aborto causa mais sofrimento à mulher

Um estudo independente divulgado no British Journal of Psychiatry confirma aquilo que já se sabia: a prática do aborto aumenta o risco de problemas mentais.

Por mais que os médicos ligados à promoção o tentem escamotear, trata-se de um facto inelutável:

After adjustment for confounding, abortion was associated with a small increase in the risk of mental disorders; women who had had abortions had rates of mental disorder that were about 30% higher. There were no consistent associations between other pregnancy outcomes and mental health. Estimates of attributable risk indicated that exposure to abortion accounted for 1.5% to 5.5% of the overall rate of mental disorders.

domingo, 30 de novembro de 2008

Sevilha positivo: Provida e Sevici


De uma recente visita a Sevilha registei 2 pontos muito positivos:

- O excelente trabalho da associação próvida andaluza que, entre outras, fez divulgar junto de várias farmácias da cidade pequenos cartazes a solicitar a comprar de biberons para bébés filhos de mães com dificuldades económicas.


- A excelente iniciativa do ayuntamiento de Sevilha, denominada SEVICI. Com este serviço junto das estações de comboios e autocarros a edilidade colocou à disposição de quem quiser bicicletas que permitem fugir ao uso dos automóveis. Poupa-se dinheiro e o ambiente agradece.
A iniciativa municipal tem sido um sucesso e é ver pela cidade dezenas de bicicletas em uso, inclusive com crianças de colo na traseira.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Chesterton, os valores e o materialismo


Há uns anos atrás, presenciei uma discussão entre o saudoso Prof. Manuel José Lopes da Silva e o Dr. Sebastião Lima Rego.


O 1º um convicto católico e humanista e o 2º um esquerdista entusiasmado, laico e muito republicano.


A dada altura quando o Prof. Lopes da Silva falou em valores, o Dr. Lima Rego reagiu de forma algo violenta, respondendo "sr. prof. os valores não se comem".


Fiquei a pensar nessa frase e percebi verdadeiramente a diferença entre os materialistas de índole marxista e os humanistas de índole cristã.


Existe e existirá sempre uma tensão entre o materialismo do dia a dia, as preocupações com os afazeres diários; o pagamento das despesas fixas mensais, da prestação da casa, do carro, das mensalidades dos filhos; as tentações do dinheiro fácil, da especulação imobiliária ou financeira, das fraudes, etc.etc. e a ética dos valores.


Também ontem alguém me comentava que uma determinada pessoa que se dizia muito ética e honesta e sempre pronta para criticar os outros, agora que ocupava um lugar de liderança, teria colocado uma filha num "tacho".

Lembrei-me da "Queda de um Anjo", do Camilo Castelo Branco e perguntei-me a mim próprio se fosse comigo, como é que eu actuaria e reagiria.


Tudo isto para rematar com o seguinte:


Chesterton, no seu livro Ortodoxia, recentemente reeditado pela Aletheia , dizia que era muito importante fomentar nas crianças o gosto pelo imaginário; a importância de lhes falar de "Alice no país das maravilhas", dos "duendes", etc.


A ética é algo que não se vê, os valores não se podem comer, nem nos pagam as despesas da crise ou do viver do dia a dia.


Por isso, há que acreditar em algo que não se vê e isso só é possível se a nossa capacidade de imaginação, de sonho, de delírio (porque não ?) for maior do que a nossa submissão ao realismo materialista do dia a dia.
P.S.- Entre os vários filmes que abordam a questão da imaginação como forma de ética, aqui deixo o trailer de um deles, "Uma ponte para Terabithia"

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Seriedade

O prof. Cavaco Silva sempre pautou o seu comportamento pela seriedade, rigor e honestidade.
Este seu último comunicado é bem um exemplo desse seu comportamento em flagrante contraste com outros comportamentos menos dignos de políticos e gestores por esse mundo fora.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Carlos Queirós out !

A recente e vergonhosa goleada sofrida por Portugal frente ao Brasil só veio confirmar o que já há muito se sabia:

- Carlos Queirós é o homem errado no lugar errado.

Delirar por ter goleado Malta ou as Ilhas Faroé é muito pouco.

O senhor merece voltar para o lado de Alex Ferguson, isto é, só é bom quando não é ele a treinar.

É bom que os José Pedros Vasconcelos e Jorges Gabrieis deste país engulem, agora, tudo o que de mau disseram sobre Luis Filipe Scolari.

É claro que a selecção tem limitações, mas um bom treinador poderia atenua-las.

Só que esse treinador não é Queirós...

P.S.- Parece que o Ronaldo só consegue marcar golos mesmo é no campeonato inglês. Ele que vá para o campeonato espanhol que logo vê quantas "botas de ouro" ganhará....

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Exposição polémica em Paris sobre ocupação Nazi

O estado da saúde e da Justiça em Portugal

Dois episódios que mostram o estado da saúde e da Justiça em Portugal:

- Em Faro, as urgências pediátricas foram reformuladas, uma criança há poucos dias teve que esperar 6 horas para ser visto por um pediatra; estava com febre e uma infecção no ouvido; quando chegou a sua vez, disseram-lhe que o ouvido estava com muita cera e que após limpeza deveria voltar (para esperar mais 6 horas, presumo eu...)

- Recebi ontem uma decisão do Palácio da Justiça, Juízos Cíveis, relativa a uma acção que deu entrada em 1998 e que demorou 10 anos a ser decidida (por sinal, favoravelmente à minha parte) e ainda só vamos na 1ª instância.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

No Japão, casais sem sexo

No Japão, um estudo recente concluíu que cerca de 1/3 dos casais não têm relações conjugais.

As razões invocadas são cansaço pelo trabalho, perda de interesse na actividade em si e/ou monotonia.

É curioso que num mundo dominado pelo sexismo, se verifiquem estes resultados aparentemente estranhos.

No caso do Japão, a questão ainda é mais grave dada a baixa natalidade.

Também é interessante ver que para muitas mulheres as relações conjugais são o desenlace de uma sedução afectiva, enquanto que, para o homem, muitas vezes, a consolidação afectiva surge na sequência da atracção física.

Para além da diminuição da natalidade, diminuição das próprias relações conjugais.

Os casais passam a ser zombies que partilham o mesmo tecto, dividem despesas e dizem bom dia de manhã e boa noite à noite...

Obama pró-infanticida e pró-aborto tardio

Fiquei estupefacto com o que se diz neste clip:

- Obama defendeu há uns anos atrás que os fetos que tenham sobrevivido a um aborto, não deveriam ser salvos, mas deveriam ser deixados, ao frio, abandonados até morrerem.

- O próprio Obama diz, por palavras próprias, que aceita a prática do aborto tardio em caso de risco para a saúde da mãe (e nós sabemos bem o quão abrangente significa o conceito de "saúde da mãe")


Moura Encantada

O meu amigo Bruno Lage lançou o seu novo blog Moura Encantada que se dedicará, entre outros, ao concelho de Faro e à defesa do meio ambiente ou não fosse ele Engenheiro do ambiente.

Um abraço e um convite a todos para o irem lá visitar

terça-feira, 11 de novembro de 2008

As virtudes de uma noite de sono bem dormida


Espero poder ler atentamente e em breve este livro para ver como poderei sanar as minhas noites quase diárias de insónias

domingo, 9 de novembro de 2008

A oração do ateu ou o fim da aventura

O Fim da Aventura é, para mim, um dos melhores filmes de sempre, pelo argumento e pelas excelentes interpretações do trio Ralph Fiennes, Stephen Rea e Julianne Moore (esta uma das minhas actrizes preferidas pelo tom profundamente humano e frágil que transmite às suas personagens).


Gosto muito de Graham Green pela contradição dos seus sentimentos, interpelado, indeciso e dividido entre a atracção do que se vê e do que não se vê.

Aqui fica a minha parte preferida do filme, saltando directamente para o minuto 6 segundo 50 até final, uma sequência enigmática e plena de significado:

- A oração do ateu que, em forma de diário, se lamenta e ataca o Deus que lhe tirou a amada.
- O abraço do marido e do amante, cumplíces no amor, em frente do corpo sem vida da amada.
- A revolta sincera e frontal, amarga e revoltada do amante perante o Divino. O ódio.
- O acto de amor, contraditório com as palavras de ódio, do amante ao marido da amada.




Interessante e merecedor de uma reflexão mais profunda numa outra oportunidade.

P.S.- Aqui também um excerto do filme, na versão de 1955, com Deborah Kerr

sábado, 8 de novembro de 2008

Dr. Artur Marques


Parabéns ao Dr. Artur Marques pela forma inteligente e extremamente competente como dirigiu a defesa da sua constituinte, Fátima Felgueiras.


É um exemplo de profissionalismo que deveria ser seguido por todos os advogados, em geral, e é para mim, um repto, em particular.

Fátima em S.Brás



Entre os próximos dias de 22 a 29 de Novembro estará, entre nós, aqui em S.Brás de Alportel, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima.
Para além da imagem que permanentemente se encontra na capelinha das aparições em Fátima, esta imagem percorre várias localidades, fazendo com que “Fátima” e o seu ideário venham até nós.
A devoção católica à Mãe de Jesus é contestada por várias religiões cristãs, com particular incidência, nas de raiz evangélica. Entendem esses credos que Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens e que só Deus deve ser adorado. Por outro lado, acrescentam que a adoração de imagens é uma idolatria violadora de vários preceitos consagrados no antigo e novo testamento.
Sucede que a Igreja Católica não promove propriamente uma adoração à Mãe de Jesus, nem a considera a fonte da salvação, mas antes um instrumento utilizado para a salvação.
Por outro lado, a devoção a Maria não é idêntica à adoração que é feita ao próprio Deus. Entende a Igreja Católica que, assim como a desgraça entrou no mundo através de uma mulher, Eva, a salvação foi possível igualmente através de uma outra mulher que é a nova Eva, Maria, Mãe de Jesus, que a tradição católica interpreta como sendo aquela cujo calcanhar mata a cabeça da serpente maldosa.
Maria é um exemplo de humildade, determinação e fortaleza. Sem o seu “sim”, o Verbo não se teria feito carne e habitado entre nós. A nossa devoção é, pois, uma forma de manifestarmos a nossa admiração, respeito e louvor por esta mãe que quis acompanhar o seu filho sempre e de forma fiel “usque ad mortem, mortem autem crucis” (Cfr. Carta aos Filipenses 2,8 ).
Quanto à questão da alegada adoração de imagens ela, salvo o devido respeito, também não é certa porquanto as imagens são apenas usadas como forma de recordatório e para tornar a nossa devoção mais presente do ponto de vista sensitivo. À semelhança, aliás, do que se passa com as fotos de familiares que levamos na carteira nas quais não adoramos o papel de que são feitas mas apenas recordamos, através das respectivas imagens, as pessoas que aí estão representadas.
A este propósito, há um ponto no catecismo da Igreja Católica que, a meu ver, resume de forma muito eficaz e bela as considerações que fiz acerca do exacto papel de Maria na economia da salvação e qual a razão da sua devoção, em particular, através do recurso a imagens.
Diz o ponto 2674 que “Jesus, o único Mediador, é o Caminho de nossa oração; Maria, sua Mãe e nossa Mãe, é pura transparência dele. Maria "mostra o Caminho" ("Hodoghitria"), é seu "sinal” conforme a iconografia tradicional no Oriente e no Ocidente”.
A proposta de vida feita pelas religiões em geral, e pela Igreja Católica, em particular, por regra, não são muito fáceis de levar à prática. Os nossos maus hábitos, aliados a uma atmosfera circundante adversa e aos defeitos endógenos da nossa própria personalidade tornam a tarefa difícil e ardúa.
Nesse sentido, para alguns cristãos, Maria apresenta-se como uma ajuda que torna mais acessível Deus em nós. Assim, como Ela gerou fisicamente Cristo, recorrer à sua intercessão seria uma forma de “gerar” Cristo no meio das nossas próprias contingências e limitações.
Do programa da visita destaco as procissões dos dias 22 e 29 e as celebrações nocturnas diárias na Igreja Matriz.


(Artigo publicado no jornal regional "Notícias de S.Brás" -Edição de Novembro)

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Barack Obama, o aborto e o aborto negro

Na Marcha pela Vida, que ocorre todos os anos em Washington D.C, uma mulher negra denuncia o racismo encoberto pelo “direito” ao aborto.
Obama é o presidente negro que vai tornar o aborto ilegal nos EUA e acabar com o genocídio silencioso de negros americanos?

Uma recente investigação sobre a Planned Parenthood, a organização que promove o acesso ao “aborto seguro” nos Estados Unidos, demonstra que ela aceita doações especificamente para abortos de bebês negros, além de ter uma clara tendência a construir clínicas em vizinhanças das “minorias raciais”.

A mudança prometida por Obama, que nem sequer é favorável a salvação da vida de um bebê que sobreviveu a um aborto (nascido com vida, portanto), bem poderia levar em consideração a realidade desse genocídio silencioso. Provavelmente os bebês de negros e os bebês de hispânicos continuarão fora do alcance do salário do presidente eleito, Barack Obama.
E comemoram a eleição de Obama porque ele é mulato e deu um tapa no racismo. Oi?

Daqui

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Louco, esta noite vais morrer

Confesso que das muitas passagens do Evangelho, há uma que me impressiona particularmente:

E disse ao povo: Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui.
Propôs-lhes então uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produzira com abundância;
e ele arrazoava consigo, dizendo: Que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos.
Disse então: Farei isto: derribarei os meus celeiros e edificarei outros maiores, e ali recolherei todos os meus cereais e os meus bens;
e direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe, regala-te.
Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
(Lucas 12, 15-20).
Esta parábola é muito actual e poderia ilustrar muita coisa.
A crise económica: Quando se pensava que o capitalismo era o fim da história, que tínhamos chegado ao modelo ideal de organização económica e societária eis que caí tudo como um baralho de cartas.
Morte do filho do Dr. Paulo Teixeira Pinto: Há umas semanas atrás ouvi uma entrevista sua ao Rádio Clube onde dizia que, por ter alcançado um situação financeira muito favorável, estaria, agora, em condições de fazer o que lhe apetecia, gerir uma editora, pintar, escrever, etc.. De repente, um divórcio e a morte dolorosa e inexplicável de um filho.
Também já a mim me aconteceu em alturas da vida em que parece que tudo corre bem e somos os reis do mundo, cheios de soberba, e de repente, acontece alguma coisa que nos mostra o quão transitório e precário é qualquer lampejo de auto-suficiência.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Blogger Profético

Embora toda a gente soubesse que o BPN estava por um fio, encontrei aqui um post profético e com muita piada.

domingo, 2 de novembro de 2008

O que fazer ?

Nestes tempos de depressão, desorientação, crise, desmotivação, maus hábitos, perdas, pessimismo, desconfiança, o que fazer ?

Para já, ouvir a minha música preferida de Rita Redshoes.

Talvez nos dê uma pista da resposta...


Ad futuram rei memoriam

«Ninguém tem de fazer contas especiais porque, a partir de agora, tem os seus depósitos completamente seguros pelo Estado, pela Caixa e pelas autoridades. Consequentemente, quaisquer preocupações que pudessem ter existido acabaram hoje»,

Diz o Governador do Banco de Portugal, relativamente às pessoas com depósitos no BPN, aqui.

sábado, 1 de novembro de 2008

Contra o casamento homossexual

Este documentário mostra os perigos da consagração legal do casamento homossexual e, em particular, as consequências legais ao nível da liberdade individual e da liberdade religiosa.
video

Próxima causa fracturante da JS, do Bloco de Esquerda e da Associação Animal ?

Inspirado no Reaccionário

Convivência: a arte do diário

Ainda Enrique Rojas:
Um texto obrigatório para quem anda na blogosfera (em particular os esquerdistas, jacobinos, pró-homossexuais, mata-frades e pró-aborto de serviço) a promover o insulto e a intolerância para com pessoas que têm posições e interpretações da vida diferentes da sua.

Como curar uma depressão ?


El tratamiento de la depresión tiene, fundamentalmente, tres grandes áreas: la bioterapia, la psicoterapia y la socioterapia.


Debemos tener en cuenta que la medicina es ciencia y es arte; es decir, no sólo está el vademécum, el libro donde vienen todos los fármacos, sino también la personalidad del médico, una de las cosas que más cura. Éste se pone al lado del enfermo para ayudarle, siguiendo una forma de terapia esencial que es amar, el amor al otro.


Decía Marañón que una de las formas más sugerentes de amistad es la relación médico-enfermo, que está poco descrita y es enormemente rica ¿Por qué?, pues mire usted, porque el psiquiatra -el médico, en general, también, pero el psiquiatra más- es el médico más humano. Su secreto profesional es tan grande que, muchas veces, no tiene capacidad para recibir tanta información como tiene del otro, ya que, en el mundo moderno, nadie tiene tiempo para nadie, y es el psiquiatra quien tiene que darse al paciente para entrar en su intimidad, de tal manera que vayan aflorando los principales aspectos de la vida de éste.


En relación con esto, precisamente, es curioso comprobar cómo salen los grandes asuntos de nuestra vida personal cuando hacemos balance existencial de nuestra vida ólo que suele ocurrir durante una enfermedad, en una desgracia, o en un momento especial de nuestra vida...ó. Es el haber y el debe. Muchas veces no salen las cuentas, y, otras veces, las ganancias compensan las pérdidas.


Cuando uno ve vidas con una trayectoria coherente óno una coherencia perfecta, ya que eso se da en el otro barrio, sino una cierta coherenciaó, es porque se trata de vidas con una solidez antidepresiva. Son personas recias, compactas, sólidas, consistentes, con criterios de verdad en la vida, a las que no les importa ir contracorriente en una sociedad como la nuestra; eso es una fórmula antidepresiva.

Pero pasemos a enumerar las tres grandes áreas arriba mencionadas.


En primer lugar, tenemos la bioterapia, la farmacoterapia. Los psicofármacos, antes llamados timoanalépticos, hoy antidepresivos, son aquéllos que actúan liberando una serie de sustancias que son los neurotransmisores cerebrales y que dan lugar a que se recapten esas sustancias y dinamicen el cerebro. Fíjense ustedes en si esto es tan importante que hoy se suele dedicar una mesa redonda para hablar, únicamente, de serotonina y depresión, para ver cómo alguno de esos neurotrasmisores cerebrales modifican el estado de ánimo. Además, dos antidepresivos pueden actuar de forma complementaria. Hay fármacos que actúan sobre la serotonina, sobre la dopamina, sobre la adrenalina o sobre otras sustancias. Por ejemplo, hoy sabemos que existen las endorfinas, que son las morfinas endógenas; es decir, que nuestro organismo fabrica sustancias que corrigen, quitan, suprimen o disuelven el dolor. Hoy, los antidepresivos tienen una riqueza extraordinaria. Cuando estamos hablando con un paciente óyo creo que, en realidad, es un hecho ex opere operato que ocurre en nuestra mente cuando estamos ante un enfermoó, ya vamos viendo qué tipo de fármaco le damos. Por ejemplo, se ha puesto de moda en los últimos años, como ustedes saben, un fármaco óen Estados Unidos, los pacientes venían a la consulta pidiéndoloó: el Prozac, que es fluexetina. La fluexetina es un fármaco muy eficaz, tiene la gran ventaja de que es muy desinhibidor, es decir, produce un gran movimiento de la conducta, y, por otra parte, adelgaza, es decir, frena el apetito y mueve el agua retenida en los tejidos. Ni qué decir tiene que su eficacia es extraordinaria. No olvidemos que la anorexia o la bulimia ya no se dan en los adolescentes. Yo veo muchas anoréxicas con 35 ó 40 años, antiguas anoréxicas que se han medio curado y que están ahí todavía. Son esas personas que se pesan 3 veces al día, han engordado dos kilos y están preocupadísimas. No llegan a ser anoréxicas porque no lo son, pero, de hecho, ahí hay un tema latente, rumiando en su cabeza. Pero cambiando de asunto, les quiero aclarar que, ante todo enfermo depresivo, hay que hacer, desde el punto de vista farmacológico, tres cosas importantes.

En primer lugar, hay que dar una medicación antidepresiva siendo muy selectivo en la elección. No olvidemos que todos los antidepresivos tienen efectos secundarios, por lo que hay que ver exactamente el tipo de persona que tenemos delante, qué fármacos ha tomado, qué otros fármacos ha tomado algún familiar, si esto es así, etc.


En segundo lugar, habría que recetar ansiolíticos o psicorrelajantes. Es muy frecuente la depresión asociada a la ansiedad, y ésta es inquietud, desasosiego, anticipación de lo peor. Es una sensación subjetiva que se manifiesta a través de taquicardias, sudoración, dificultad respiratoria...; es decir, hay un acordeón de sensaciones temerosas que van circulando por la mente del sujeto cuando la ansiedad es muy grande. Los ingleses hablan de dos formas de ansiedad: el free frigthing ansiede, la ansiedad flotante, una sensación de malestar, de inquietud, y el panic attack, que es la crisis de ansiedad.


Cuando esta última es muy fuerte pero, a la vez, recortada, breve, dura unos minutos, hay tres aspectos amenazadores en la cabeza del sujeto: temor a la muerte, temor a la locura y temor a perder el control. Son tres manifestaciones un poco extrañas, como digo, que nosotros descubrimos en la entrevista clínica. Muchas veces, el enfermo sin cultura no las expresa así; sin embargo, nosotros hacemos una exégesis de su discurso y la sacamos.


Además, hay antidepresivos, ansiolíticos y fármacos que corrigen el insomnio, cuestión muy importante. Como decía hace un rato, es frecuente que, entre los síntomas depresivos, aparezca el insomnio, Y, para acabar con este problema, tenemos que andar con mucho cuidado porque, a veces, la medicación para dormir es excesiva. Si antes, en cualquier casa, de cualquier pueblo, había despensas de comidas óyo recuerdo los jamones y tal, en Castillaó, hoy, hay despensas de fármacos. Uno abre una compuerta y dice: ´¿Qué quieres? ¿Quieres para la depresión, para la ansiedad, para los nervios?´.

La automedicación en psiquiatría es terriblemente negativa, ya que los fármacos tienen efectos secundarios y pueden producir graves trastornos. Por lo tanto, como digo, hay que andar con mucho cuidado.


Después, tenemos la psicoterapia. La psicoterapia es el arte, el modo, la manera, la gracia, el estilo con el que el psiquiatra óel médico en general también lo haceó cambia los mecanismos neuróticos negativos de la personalidad del otro. Al contrario de lo que ocurre con el tratamiento anterior, más rápido, en la psicoterapia, uno se remanga, porque es lenta y requiere arte, oficio, saber adentrarse en el cuarto de máquinas del otro. Y cuando no hay psicoterapia, es terrible: solamente podemos recurrir a la medicación.


Pero centrándonos en este ámbito, debo decirles que hay muchas modalidades; desde la psicoterapia implicata, aquélla que está inscrita en el acto médico, hasta la psicoterapia de apoyo, la psicoterapia psicoanalítica.

En cualquier caso, este tratamiento, lo que tiene que hacer es intentar reducir el número de manifestaciones psicológicas neuróticas, raras, extrañas, patológicas, enfermizas. Yo le digo a alguien ´Mira, en la psicoterapia, lo que pretendo contigo es que te encuentres a tí mismo, que estés en paz contigoª. Bien es cierto que la paz absoluta se da en el otro mundo; aquí, se da una paz relativa. Aún así, ésta es, yo diría, el puente elevadizo que lleva al castillo de la felicidad. Tener paz por dentro es tenerlo casi todo.


Y, en tercer lugar, debemos hablar de la socioterapia. La socioterapia no es otra cosa que la terapia sociológica. Nosotros vemos mucha gente sola, aislada, incomunicativa, sin contacto con los demás, y es en dicha gente en la que procuraremos reactivar su vida, mediante psicoterapia de grupo, psicoterapia de contacto con los demás, enseñándole técnicas asertivas, técnicas comunicativas..., y para esto hay libros ólos americanos son en esto especialistas. Me acuerdo de uno que se titula Qué decir después de decir -hola!-. Porque es cierto que, a la gente muy tímida, muy retraída, no se le ocurre nada. Hace un par de años, estando yo en Finlandia, me comentaba un psiquiatra que daba muy mala imagen, en los países del norte de Europa, que la gente estuviera todo el rato, dos personas o tres, sin parar de hablar, que era muy bonito estar diez minutos sin decirse nada, y yo le aclaraba: ´Mire usted, en los países latinos como España, diez minutos sin hablar en una persona es rarísimo. Hay que pensar en algo. Si es un matrimonio, es que aquello está con el electroencefalograma plano´. Lo que quiero decir es que son distintas modas y costumbres; para nosotros, los latinos, estar sin hablar es angustioso. Uno sube en el ascensor diez pisos con otra persona y siempre comenta la rapidez, la lentitud, el clima de fuera, algo, porque mira al otro, mira arriba y no sabe qué hacer.


Así pues, todo lo hasta ahora dicho constituye el esquema que yo les he querido traer sobre este asunto: tristeza versus alegría. Hay tres sentimientos positivos, a los cuales les tomamos el pulso con mucha frecuencia, que son el placer, la alegría y la felicidad. Son tres grandes notas positivas, tres sorbos de vida grande. El placer es la manifestación concreta de algo positivo que inunda en un momento nuestra vida -son muchos los placeres que podemos tener-, la alegría es la satisfacción por algo que ha salido bien y la felicidades el grado superior a los dos estados anteriores.


La felicidad, como decía antes, es la suma y compendio de lo que yo he hecho con mi vida de acuerdo con un cierto proyecto previo. Decía Don Quijote: ´La felicidad no se da en la posada, sino en medio del camino´. La felicidad es una forma de mirar la vida, un estilo de captar la realidad. La felicidad, he dicho antes, consiste en ilusión, y, para ser feliz, yo creo que hacen falta dos cosas fundamentales: tener una personalidad con un cierto equilibro y, en segundo lugar, tener un proyecto de vida con tres grandes temas que se mueven en su seno: amor, trabajo y cultura.


La felicidad es, para mí, una tetralogía en donde uno mide, registra, pesa, capta su propia forma de ser, el amor, ó cuánto habría que hablar de eso ó, el trabajo y la cultura.
A modo de conclusión, sólo diré que aquí estamos, en Bilbao. El mar está aquí al lado, el Cantábrico, esta maravilla. Ayer disfrutaba yo del Guggenheim con ese paisaje de titanio de este genio arquitectónico que es Gery. Quizá pueda haber dado una imagen pesimista del tema, inevitablemente la depresión tiene un tono melancólico, pero lo que hace falta en la vida es tener capacidad para remontar las dificultades y crecerse uno ante ellas. Frente al mar, hay un velero que convierte el navegar en un reto.

Eso es la vida.

El pesimista se queja del viento, el optimista espera a que cambie y el realista ajusta las velas.


Despesómetro

Como controlar as despesas pessoais e da casa no seu telemóvel.

Aqui

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Algarve pela Vida

Alguém ainda acha que o que fazemos no Algarve pela Vida é relevante ao ponto de merecer uma notícia.

Um jornalista de um diário nacional com grande difusão aqui no Algarve disse-me que não publicava nada do que nós andamos a fazer no Algarve pela Vida porque não oferecem publicidade gratuíta e que só fariam uma notícia acerca da nossa participação na recente Feira de Santo Iria, em Faro, se o nosso stand tivesse pegado fogo ou algo parecido...

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Guy Walters: Em busca de criminosos de guerra nazis

Muitos países optam por esquecer os criminosos de guerra nazis, nada fazendo para os levar a julgamento.
Veja-se, por exemplo, o caso de , assassina de campos de concentração, Erna Wallisch recentemente falecida.
Há pouco empenho porque muitos consideram que é uma história do passado e que nada se ganha com o julgamento de pessoas idosas.
O que é certo é que atrocidades continuam a ser cometidas em vários países de África, já para não falar na ex-Jugoslavia.
O julgamento destes idosos criminosos de guerra Nazis é necessário e importante para que fique claro que os actos cometidos contra a humanidade não podem, nem ficarão impunes.
Ainda hoje, jornais sul-americanos, tais como o brasileiro Folha de S.Paulo ou o argentino Página 12 nos fazem chegar ecos dos criminosos de guerra perdidos na America do Sul.
E, em particular, um jornalista inglês, Guy Walters, está a finalizar um livro onde aborda esta temática, intitulado Hunting Evil.
No seu blog pessoal que é muito interessante, Guy Walters, também aborda temas relacionados com os criminosos de Guerra e a II Grande Guerra Mundial.

Ricardo Eichmann

A propósito de um DVD que comprei no Carrefour de Cartaya a um preço baixo sobre "Adolf Eichmann", andei à procura na internet e fiquei a saber que o seu filho Ricardo, nascido já na Argentina, em 1955 é agora o director do Departamento do Médio Oriente do Instituto de Arqueologia Alemão (aqui com foto e tudo) e representa a Alemanha em reuniões da UNESCO.

Muitos filhos de Nazis proeminentes sentiram a necessidade de mudar o nome e vivem hoje, na Alemanha, no anonimato, para não dizer na clandestinidade.

É o caso, por exemplo, de Rolf Mengele, filho de Josef Mengele morto no Brasil afogado em 1979 que mudou de apelido.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Ruas de Lisboa com alguma história

Via Rádio Renascença, fiquei a saber do blog "Ruas de Lisboa com alguma história" sobre Olisipografia, área que muito gosto e aprecio.

Aqui

sábado, 25 de outubro de 2008

Os últimos nazis em fuga


MOST WANTED NAZI WAR CRIMINALS
As of April 1, 2007

1. Alois Brunner – Syria Key operative of Adolf Eichmann Responsible for deportation of Jews from Austria (47,000), Greece (44,000), France (23,500), and Slovakia (14,000) to Nazi death camps
Status – living in Syria for decades; Syrian refusal to cooperate stymies prosecution efforts; convicted in absentia by France

2. Dr. Aribert Heim - ?Doctor in Sachsenhausen (1940), Buchenwald (1941) and Mauthausen (1941) concentration camps
Murdered hundreds of camp inmates by lethal injection in Mauthausen
Status – disappeared in 1962 prior to planned prosecution; current whereabouts unknown but strong evidence that he is still alive

3. Ivan Demjanjuk – USA Participated in mass murder of Jews in Sobibor death camp; also served in Majdanek death camp and Trawniki SS-training camp Status – denaturalized in USA; ordered deported from USA; under investigation in Poland

4. Milivoj Ašner – AustriaPolice chief of Slavonska Požega, Croatia Active role in persecution and deportation to death of hundreds of Serbs, Jews, and Gypsies
Status – discovered in 2004 in framework of “Operation: Last Chance;” indicted by Croatia which requested his extradition from Austria which has hereto refused to extradite him

5. Dr. Sandor Kepiro - HungaryHungarian gendarmerie officer; participated in mass murder of over 1,200 civilians in Novi Sad, Serbia
Status – discovered in 2006 in framework of “Operation: Last Chance;” was originally convicted but never punished in Hungary in 1944 and apparently in absentia in 1946; Hungary recently refused to implement his original sentence but has opened a new criminal investigation against him

6. Mikhail Gorshkow – Estonia Participated in murder of Jews in Belarus Status: denaturalized in USA, under investigation in Estonia

7. Erna Wallisch – AustriaGuard at Majdanek death camp; admitted role in mass murder
Status – Austria refuses to prosecute due to statute of limitations; under investigation in Poland

8. Soeren Kam - Germany
Participated in the murder of anti-nazi Danish newspaper editor Carl Henrik Clemmensen; stole the population registry of the Danish Jewish ommunity to facilitate the roundup and subsequent deportation of Danish Jews to Nazi concentration camps, where dozens were murdered.
Status – Kam was indicted in Denmark for the murder of Clemmensen, but a German court refused to approve his extradition to stand trial in Copenhagen. The Danish judicial authorities have recently launched an investigation of his role in the deportation of the Jews at the request of the Wiesenthal Center.

9. Karoly (Charles) Zentai – Australia Participated in manhunts, persecution, and murder of Jews in Budapest in 1944 Status – discovered in 2004 by “Operation: Last Chance;” Hungary has issued an international arrest warrant against him and has asked for his extradition from Australia; Zentai is currently appealing his extradition to Hungary

10a. Algimantas Dailide – Germany Arrested Jews murdered by Nazis and Lithuanian collaborators Status: deported from USA; convicted by Lithuania, which has hereto refused to implement his sentence of imprisonment

10b. Harry Mannil – Venezuela Arrested Jews and Communists executed by Nazis and Estonian collaborators Status: cleared by investigation in Estonia; barred from entry to US
For more information call our office: 972-2-563-1273 or in Israel: 02-563-1273
Or: 972-50-721-4156 or in Israel: 050-721-4156

Daqui

A descoberta de Erich Priebke

Nos anos 90, um jornalista americano, responsável por um programa de investigação foi atrás de nazis na Argentina.

Começou por saber que um Bispo Austríaco, através do Vaticano, em 1945, ajudou a conceder vários vistos de saída de Roma para a Argentina a vários nazis criminosos de guerra.

Através de um livro de investigação sobre a matéria chegou ao nome de Reinhard Kops, um alemão ex-nazi, residente na Argentina que ajudou a instalar vários ex-nazis nesse país da america latina.

Andou à sua procura e apanhou-o na rua.
O senhor ficou tão assustado que, depois de negar tudo, acabou por "Pôr a boca no trombone" e explicar tudo tim-tim-por-tim-tim. E, para limpar a sua barra, acabou de denunciar ao jornalista o nome de Erich Priebke, um dos oficiais responsáveis por uma execução em massa, em Roma.

Aqui está o episódio:

http://www.youtube.com/watch?v=owKv74RqpY0


O jornalista conseguiu, então, o contacto de Priebke e marcaram um encontro com entrevista numa rua algures na Argentina.

O ex-nazi Erich Priebke, primeiro começou a falar de forma muito descontraída, tendo inclusivé dito que seus executados eram apenas comunistas e terroristas.
E só quando se apercebeu, através da exaltação do jornalista, que tinha posto o pé na argola é que começou a gagejar, dizendo que estava muito arrependido do que tinha feito, mas que se tinha limitado a cumprir ordens.

No fim, fugiu de carro, dizendo que o jornalista era um mal-educado.

A reportagem foi para o ar e deu tanta polémica que o governo argentino foi obrigado a extraditar Priebke que foi julgado e condenado em Itália onde cumpre actualmente pena de prisão.

Aqui está a sequência da reportagem


http://www.youtube.com/watch?v=yiYc-j3duuo

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Discutir à frente dos filhos


Por mais perfeito que seja o casal, é inevitável que existam sempre pequenos desentendimentos, fruto de visões, perspectivas diferentes dos acontecimentos ou de comportamentos que o(a) parceiro(a) não concorda.


São situações que há que prevenir ao máximo, mas que, infelizmente, nem sempre se conseguem evitar.

A situação em si já é desagradável mas mais desagradável se torna se o casal se põe a discutir em frente dos filhos, sobretudo se estes ainda são muito novos.


Se verificarmos a este propósito o que nos dizem os especialistas em pedopsiquiatria verifica-se que há uma unanimidade absoluta acerca do forte desaconselhamento nesta prática da discussão à frente dos filhos.


Para os filhos a união entre os pais é fonte de segurança e estabilidade.


Assistir a essas discussões, quando, em algumas delas podem até existir agressões verbais, choro, etc... abala fortemente essa estabilidade e segurança dos filhos.Desta forma, para além do mal que já é, em si mesma, a discussão do casal, acrescenta-se ainda um outro mal que é o dos danos colaterais que isso tem ao nível dos filhos.


Em alguns casos, pela frequência ou pela intensidade, não são raras as crianças que ficam traumatizadas com essas situações com repercussões ao nível do comportamento, do aproveitamento escolar, etc...É chocante que essas situações se dêem inclusive em casais que são pessoas inteligentes e com habilitações suficientes para se aperceber o quão negativo é tal prática.


Muitas dessas pessoas têm até formação na área do ensino e da pedagogia e, ainda assim, cometem esse disparate que tantos danos podem causar nos filhos.


Este é um ponto que é preciso insistir na cabeça dos casais:Evitar as discussões, prevenindo-as.


Mas se existirem discussões que ocorram fora do alcance dos filhos.


P.S.-Sobre este tema a minha colega de blog, no Algarve pela Vida, Dra. Alexandra Chumbo, psicóloga clínica, poderá eventualmente acrescentar algo mais.

Gatos Fedorentos ridicularizam católicos

Soube através deste post do inumputável que os Gatos Fedorentos ridicularizaram e ofenderam simbolos religiosos e, sobretudo, um dos ícones mais sagrados para os católicos que é a Eucarístia, onde se acredita que Cristo se transubstancia na hóstia e no vinho consagrado no seu corpo e sangue.

Já sabiamos que este pessoal é de extrema esquerda e viu-se como durante o referendo para a liberalização do aborto fizeram campanha velada e subliminar a seu favor.

Agora, atacam a Igreja, os católicos e os simbolos religiosos.

O facto dos senhores serem ignorantes, do ponto de vista religioso, ou ateus ou agnósticos ou anti-clericais não lhes dá o direito de ofenderem a religião dos outros.

Eu posso não saber o que significa certo rito ou simbologia dos Hindús ou dos Budistas mas, em respeito para com as convicções alheias, não devo ofender ou ridicularizar tais actos religiosos.

Infelizmente, vivemos numa sociedade dominada pela esquerda (media incluídos) onde o conceito de "tolerância" é entendido como o direito de ofender, difamar e escarnecer dos outros por isso ser próprio de uma sociedade "democrática" e onde deve prevalecer o primado da "liberdade de expressão" (ou, diria eu, da libertinagem de expressão)


domingo, 19 de outubro de 2008

Dia Mundial das Missões


Hoje, na missa, tive a sorte de encontrar o bom Pe. Campos cheio de genica a ler um longo discurso bem preparado, documentado e lido num tom coloquial de fácil audição.


O bom Pe. Campos, que pertence à ordem missionária dos Espiritanos falou-nos de África, de dados estatísticos, de previsões de milhões de mortes nos próximos anos por motivo da fome, malária e sida.


Falou-nos também da realidade espiritual de S.Brás de Alportel: 92% de não praticantes, 8% de praticantes, dos quais 6% mulheres e crianças e apenas 2% de homens.

Arrepiante.


Entretanto, dentro de poucos dias, dia 22 de Novembro, a Imagem Peregrina de Fátima, estará aqui em S.Brás de Alportel.


Talvez nos deixe algum milagre..

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Tudo igual no reino de Portugal


O novo desaire da selecção de futebol de Portugal leva-me aos seguintes comentários:


- O mal congénito do futebol português, dos últimos 15 anos (pelo menos), mantém-se. Muitas ocasiões e falta de um ou dois matadores finalizadores infalíveis (ou pouco falíveis).


- O Prof. Carlos Queirós poderá ser um excelente treinador de juniores ou um excelente adjunto do Manchester United, mas como treinador principal de uma equipa sénior é aquilo que se viu no Sporting, Real Madrid, Selecção da África do Sul, 1ª vez em que foi treinador da selecção e é aquilo que agora se vê. Muito verbo e pouca uva.


- O nosso Cristiano está definitivamente em baixo de forma.

Os romances cor-de-rosa e o excesso de dinheiro definitivamente deram-lhe volta à cabeça...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

E por falar em catequese

Aqui ficam dois excelentes sites espanhóis sobre catequese e formação on line (e-learning)

- Um sobre temas de doutrina católica com ficheiros de MP3 incluídos sobre os vários temas .
(aqui)

- E outro, um blog, sobre temas de antropologia e ética.
(aqui)

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Afinal sempre há um Mccbama

Tal como idealizei neste meu post, afinal, há um Mccbama que reúne numa só pessoa as virtudes, a meu ver, dos 2 actuais candidatos norte-americanos à presidência.

Chama-se Bill Ritter

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Ramos Horta contra aborto

Díli, 13 Out (Lusa) - O Presidente da República de Timor-Leste defendeu, em entrevista à Agência Lusa, a assinatura de uma concordata com o Vaticano, que está a ser elaborada em Díli.
"As duas partes, Timor-Leste e Vaticano, necessitamos de uma concordata para definir as relações entre Estado e Igreja", afirmou José Ramos-Horta no sábado à Lusa.
O texto do acordo entre os dois Estados está a ser elaborado no Ministério dos Negócios Estrangeiros timorense, em Díli, desde 22 de Setembro, por uma equipa técnica.
O esboço da concordata deve ser concluído hoje por este grupo de trabalho, afirmaram à Lusa fontes da Igreja Católica e do Governo timorense.
José Ramos-Horta explicou que, embora "os privilégios e os valores" da Igreja Católica não estejam em causa, é preciso um texto que defina o estatuto jurídico da instituição em relação ao Estado timorense.
O chefe de Estado falou à Lusa na localidade de Soibada, no sul do distrito de Manatuto (centro do país), onde participou da peregrinação anual ao santuário de Nossa Senhora de Aitara.
José Ramos-Horta salientou que partilha "a cem por cento" os princípios defendidos pelo Vaticano, sobretudo "o não ao aborto e o sim categórico à vida".
"O mais importante é a adopção por Timor-Leste de valores que são sagrados para o Vaticano, como a rejeição do aborto", declarou o Presidente da República sobre a necessidade da concordata.
"Há questões que para o Vaticano são de suma importância nas suas relações com outros estados. São as questões do aborto, do planeamento familiar, da prostituição", explicou o chefe de Estado.
"Aí, eu partilho cem por cento com os pontos de vista do Vaticano de dizer não ao aborto e à prostituição. De dizer um sim categórico à santidade da vida, de dizer não ao planeamento familiar que inclui o encorajamento ao aborto", acrescentou José Ramos-Horta.
"Nós vemos o resultado hoje do planeamento familiar na Índia e na China, que teve consequências desastrosas: no início do planeamento familiar, as meninas são rejeitadas, sacrificadas, mortas às escondidas. E hoje a China luta com excesso de população masculina desesperada à procura de casamento", afirmou José Ramos-Horta.
O Presidente timorense deu também o exemplo de Singapura, onde "há 30 anos, (o primeiro-ministro) Lee Kwan Yew dizia não, não e não ao sexo. Hoje, a população não cresceu, e dizem-lhes que se casem e procriem mas os singaporenses já esqueceram de todos esses actos".
"As sociedades evoluem normalmente. Se hoje temos um crescimento demográfico de três por cento (em Timor-Leste), daqui a 30 anos poderá ser menos", afirmou ainda o Presidente da República.
"Quando o país e a população se educa, quando todos têm um emprego e querem ter tempo livre, começam a ter menos filhos por si próprios. É o exemplo flagrante da Europa e de Portugal", afirmou José Ramos-Horta.
"O Vaticano afinal, na sua sabedoria secular, sempre teve razão: não brincar com a família nem com o corpo humano".
A concordata, sublinhou o chefe de Estado, permite definir o quadro legal das relações entre Igreja e Timor-Leste.
"Desde o início o Estado timorense e todos os seus dirigentes reconhecem de facto o papel da igreja timorense, respeitam as suas propriedades, os seus privilégios, o seu papel neste país e na História deste país", notou José Ramos-Horta.
"Não existe, contudo, um documento válido que reconheça um estatuto jurídico da igreja e com isto a validade das suas propriedades físicas, materiais e a validade até de documentos emitidos pela Igreja, como certidões de baptismo e casamento", explicou.
Tais documentos "hoje aceitam-se na administração pública mas isso não está definido".
A concordata definirá "também direitos de propriedade para que não haja risco de alguém violar esses títulos", disse ainda o Presidente da República à Lusa.
PRM.
Lusa/fim

domingo, 12 de outubro de 2008

Em resposta à Palmira Silva


Apesar do fim de semana ter sido cansativo e de (felizmente) o trabalhinho não me faltar, não resisti a responder a isto



Querida Palmira,
Concentremo-nos, agora, na questão do preservativo.
De facto, afirmar que o preservativo falha em 50% dos casos ou que há preservativos que contêm sida é uma exagero.
Porém, considerar que o preservativo é a solução e o remédio preventivo por excelência para evitar a SIDA é igualmente um disparate total E, diga-se em sua honra, a Palmira não comete esse profundo disparate ao afirmar (e bem) no seu post anterior “Claro que pode ocorrer uma deficiente utilização do preservativo (........), este pode escorregar ou afins, mas é completamente impossível ao vírus da SIDA passar por supostos poros dos preservativos”.
A questão é que mesmo que o vírus da SIDA não possa passar pelos supostos poros dos preservativos não evita que o uso do preservativo também ele ajude a propagar a SIDA. É que ao “escorregar” ou “afins” (leia-se no calor do momento não deu para colocar ou a máquina da farmácia estava avariada ou não tinha moedas trocadas para a máquina ou o contacto da pele com os fluídos é mais saboroso, na linha do Dr. Maybe, ou rompeu-se porque era de má qualidade, etc.etc.etc.) quem está no acto corre o risco de contágio porque o condom não está lá ou não está a funcionar como devia.
Recordo à Palmira que, de acordo com a Associação do Planeamento Familiar ( http://diario.iol.pt/noticia.html?id=821112&div_id=4071 ), dos 219 pedidos de informação apresentados na sua linha telefónica “opções” acerca de IVG, 35% das mulheres que teve uma gravidez indesejada usava preservativo. Ora, se nesses casos o preservativo não foi colocado de forma a evitar a invasão dos espermatozóidezinhos, então, também não o seria para impedir a passagem do HIV.
Também a ONU confirmou recentemente que cerca de 25 milhões de gravidezes devem-se ao uso incorrecto de contraceptivos, nos quais se inclui naturalmente o preservativo.
Por outo lado, o relatório do grupo de trabalho de Educação Sexual patrocinado pelo Ministério da Educação ( http://www.min-edu.pt/np3content/?newsId=298&fileName=gtes_rel_final.pdf ) , em lado algum, fala do preservativo como meio por excelência de prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.
Bem pelo contrário, o relatório da Comissão do Prof. Daniel Sampaio (entre outros) é muito claro ao defender a não redução da educação sexual, no caso da escola, apenas a uma “vertente médico-sanitária, pois é essencial que a escola ajude os seus alunos a desenvolverem um conjunto de qualidades que lhes permitam encontrar uma conduta sexual que contribua para a sua realização como pessoas ao longo da vida” GTES Página 18.
A própria Comissão Nacional de Luta contra a Sida afirma, quando confrontada com a constatação de divulgação de preservativos de má qualidade pelas próprias entidades públicas, que “o rompimento (do preservativo) pode acontecer sempre” ( http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=00279723-3333-3333-3333-000000279723&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010 ).
E a Sida, Palmira e a Sida, como fica neste caso ? Oferecem-se preservativos a torto e a direito para quem quiser poder usar e abusar dos “one night stand” que lhes apetecer e depois acontece isto ????
Por seu lado, embora a Academia Pediatrica dos Estados Unidos refira que “the best way to lower the risk of getting HIV and other STIs, if they are sexually active is to use a latex condom and limit the number of sexual partners they have”, também diz, antes disso que “Abstinence. The best way to protect themselves against HIV and other sexually transmitted infections (STIs) is to not have any type of sex (vaginal, anal or oral). Let them know that many people wait to have sex”.
Ou, recordemos, a noticia de Janeiro deste ano do New York Times que alerta para o facto da SIDA estar a aumentar na população gay com idade inferior a 30 anos, citando um estudo realizado na cidade de Nova York, no qual se refere que “New York officials say increased alcohol and drug use may be partly responsible since they make unprotected sex more likely. Other basic precautions, including finding out whether a potential partner is infected, are also apparently being ignored” (http://www.nytimes.com/2008/01/14/opinion/14mon2.html?_r=2&oref=slogin&oref=slogin ). Incluirá também a Palmira estes casos na categoria marginal dos “afins” ?
Será que o New York Times, a Academia Americana de Pediatria, a APF, a Comissão Nacional de Luta contra a Sida, o Grupo de Trabalho da Educação Sexual estão também todos feitos com o Rafael Cifuentes, o Papa Bento XVI e a pandilha do Opus Dei ?
Ou terão actuado por coacção/pressão da Igreja ?
P.S.- Palmira, com tanta retórica, ainda não conseguiu convencer a sua mãe a abandonar esse culto medieval e obscurantista da “missa” ?

sábado, 11 de outubro de 2008

Mais um episódio da protestantização da Igreja Católica Portuguesa

Devo dizer que fiquei verdadeiramente horrorizado ao ver esta reportagem sobre os novos catecismos da Igreja Católica.

É verdade que os catecismos anteriores eram péssimos, aliás, eram maus demais para serem verdade. Mas, pelo que vi da reportagem em causa, os novos serão tão maus como os anteriores.

Segundo os responsáveis a catequese com os novos catecismos será "menos aula" e "mais experiência".
Mas se já antes não eram aula, como é que agora podem ser menos do menos que menos era ?

Como catequista que fui durante cerca de 6 anos, devo dizer que não tinha alternativa senão pôr completamente de lado o catecismo que era suposto eu dar por o mesmo ser um grande e autêntico vazio, formador de ateus.

Infelizmente aqui a Igreja Católica Portuguesa deixou-se claramente influenciar pela onda de facilitismo e permissivismo que caracteriza o ensino público português.

A nossa catequese é frouxa e incompetente.

Durante a campanha do referendo sobre o aborto, cruzei-me com jovens de paróquias, alguns até catequistas que diziam ser adeptos do "sim ao aborto".

A razão é que nenhuma alminha lhes falou do 5º mandamento que eles tão pouco devem saber o que é..

Catecismo é explicar as verdades de fé e deve ser sobretudo transmitir a doutrina, recorrendo sempre que possível aos textos biblicos e demonstrando-a através de exemplos práticos.

O que se vê nesses catecismos é que não se explica o que é um mandamento, um sacramento, como é que se reza, etc.etc.

Numa palavra, formar ignorantes que, no futuro, votarão "sim" num próximo referendo a favor da liberalização do aborto.

Assim, não estaremos longe do panorama do Canadá onde já só 5% dos católicos é que cumprem o preceito dominical....

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Algarve pela Vida na Feira de Santo Iria



É com muita alegria que vos comunico que a plataforma "Algarve pela Vida" foi aceite com um stand na área dedicada à saúde e solidariedade da Feira de Santa Iria (a 2ª maior do Algarve) que irá ter lugar entre os próximos dias 17 a 26 de Outubro.


Será a primeira vez que o nosso grupo sairá das fronteiras do blog directamente para a rua. O objectivo será divulgar várias instituições que estão no terreno a trabalhar em prol da vida e do apoio à vida nascida e por nascer.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Ortodoxia

Em tempos de crise, desorientação, depressão e angústia, eis que será reeditado o livro clássico de G.K. Chesterton intitulado "Ortodoxia".

Trata-se de um livro muito divertido que aborda questões relacionadas com a crise da fé, o relativismo, o modernismo, etc.

Recebi esta mensagem da minha editora preferida, da Aletheia, uma tal de Zita Seabra (conhecem?)

«Ortodoxia», de G. K. Chesterton, nas livrarias a partir da próxima semana
Tinhamos muitos, muitos pedidos para editar este livro, há muito esgotado em Portugal. A Aletheia edita-o agora com uma nova tradução de Maria José Figueiredo. Se este clássico de Chesterton tiver o sucesso que esperamos, avançaremos para a restante obra deste grande autor, diz-se que um dos mais citados no mundo. Editaremos tanto os seus ensaios como a sua obra de ficção.


Na próxima semana estará nas livrarias.


Zita Seabra

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

A crise


Esta crise demonstra que a supremacia do materialismo, da especulação, da ganância e do consumismo tem limites.


É um monstro que, a dada altura, começa-se a devorar a ele próprio.


Agora, mais do que nunca, (modéstia à parte) estas minhas considerações parecem muito oportunas.