quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O que se poupa no farelo gasta-se na farinha

Enquanto vão saindo notícias acerca do despesismo do Estado, entre outras, com mais milhões a serem enterrados no BPN na semana passada fui surpreendido na Conservatória do Registo Predial de Silves:

- Disseram-me que não podia apresentar um registo se não tivesse descarregado o meu próprio impresso da net em casa e não o trouxesse comigo.
A razão é simples: Têm ordens para poupar no tinteiro no papel e na impressora...

O que se poupa no farelo gasta-se na farinha...

Anestesiados

Excelente este artigo de opinião do Paulo Marcelo.

No meio de tanta apatia e delírio, sabe bem ver que ainda há gente com os pés bem assentes na terra.

Gru, o mal disposto ou a estupidez mais pura e dura


Fui há uns dias atrás ver o filme para crianças “Gru, o mal disposto”.
O filme é péssimo e mostra bem o que a sociedade de consumo tem para oferecer às crianças.
Associada à produtora norte-americana Universal, uma empresa do grupo mediático da NBS, este filme assenta numa história completamente cretina composta por personagens psicologicamente desequilibradas e socialmente desintegradas.
Na realidade, não há uma única personagem que escape. Todas as personagens não são mais do que o produto de patologias ou situações anómalas. Não há alguém que "normal", nem muito menos alguém que simbolize o bem ou mostre alguma ponta, por mínima que seja, de equilibrio.
O filme e as personagens são, pois, o produto de uma sociedade doente, profundamente doente com a agravante de tudo isto estar num filme e, ainda para mais, um filme supostamente para crianças.
A personagem principal, Gru, é um solteirão, com ar de psicopata adoentado, que viveu uma infância traumatizante dominada pela sua mãe, tem ao seu serviço um exército de seres meios defeituosos que o servem em regime de escravatura, depois há um banqueiro do mal, um inventor que inventa coisas más, um criminoso que rouba pirâmides no Egipto e nada lhe acontece. Sucedem-se situações onde o mal, os crimes, a ofensa à integridade física e ao património dos outros se sucedem (repito) sem que nada aconteça aos vilões que fazem tudo o que querem na mais total e absoluta das impunidades. Polícia, lei, ordem, equilibrio é coisa que o filme desconhece. Pelo contrário, todo o filme é uma apologia do faz o que te apetece que nada te acontece, numa cultura de desresponsabilização muito típica da sociedade pós-moderna dos nossos tempos.
E nem o final supostamente redentor atenua o pendor marcadamente anti-pedagógico e anti-social disseminado desde o primeiro ao último minuto deste filme pestilento.
Na versão original, chama-se “Despicable me” ( Algo parecido com “O eu desprezível”), o que, só por si, já diz muito da metafísica que lhe está subjacente.


P.S.- Não fui só eu que pensei assim. O meu filho não achou piada nenhuma ao filme e inclusive até queria sair no intervalo. Também não vi ninguém a rir. Penso que "estupefacção perante tanta estupidez" será talvez a melhor forma de exprimir a reacção do público infanto-juvenil (pelo menos da sessão em que estive).

sábado, 25 de dezembro de 2010

sábado, 18 de dezembro de 2010

Lisboa e castelos de Portugal e quejandos

Um blogue interessante contendo várias curiosidades sobre Lisboa, em particular, relativas ao período de ocupação romana.

E dois blogues, ambos do mesmo autor, um sobre Castelos de Portugal e outro sobre imóveis históricos, entre outros.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Jesus mora aqui

À porta do centro de acolhimento de sem abrigo de Âlcantara, em Lisboa, alguém pintou numa caixa de rua da electricidade o seguinte "Jesus mora aqui".

O meu filho que já sabe ler, ficou intrigado e perguntou-me se Jesus morava mesmo naquela casa.

Eu respondi que sim, que morava.

Diz o Evangelho Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes
.” (Mateus 35; 40)

Do novo riquismo e da classe média alta

Nestes últimos 3 dias que passei em Lisboa pude constatar algo que não esperava ver:

Nas ruas da capital vêem-se, cada vez mais, carros de alta cilindrada e de luxo, alguns até com matriculas recentes.

Muitas lojas estavam a abarrotar e bons restaurantes completamente lotados.

Isto mostra que os ricos continuam mais ricos e os pobres mais pobres e significa também que alguém anda a receber salários chorudos ou a fazer negócios proveitosos.

Alguma coisa não bate bem...

No Natal, os milagres também acontecem

Aconteceu a semana passada:

Tenho de partilhar com vocês o que hoje de manhã as minhas amigas M., A. e eu presenciámos na porta da clínica abortista dos Arcos.
Estávamos a acabar de chegar quando vimos um homem jovem a sair da clínica sozinho, o que aliás é um cenário habitual, saem sozinhos enquanto o bebé está a ser abortado e ficam cá fora a segurar a mala da companheira.

Só que este rapaz vinha lavado em lágrimas a soluçar,e fomos imediatamente falar com ele. Contou-nos ,desfeito, que a sua namorada estava lá dentro a abortar o filho de ambos, que ele queria muito ter esse filho, que tinha passado a semana a pedir-lhe que não abortasse, que ele iria cuidar muito bem da criança, mas ela era muito teimosa e não ia mudar de ideias. Ela já tem duas filhas de outro homem que está preso, e tinha acabado de ficar desempregada, e não havia nada que a demovesse.
Tanbém dizia que depois disto, com a morte do filho achava que não ia conseguir continuar com ela

Fomos-lhe dizendo aquilo que o Espirito Santo nos ia inspirando, que ainda estava a tempo de salvar o seu filho, que o filho também era dele e que só ele podia salvá.lo, que mesmo que estivesse na marquesa ele ainda podia impedi-la etc etc.

Ele disse que já não entrava alí, mas de repente pegou no telemóvel e ligou para ela, e ela ainda atendeu (ainda não estava anestesiada) disse-lhe "por favor não faças isso" e mais outras coisas que não ouvimos, e passados uns minutos ainda ele não tinha desligado o telefone vemo-lo com um olhar de grande felicidade a dizer o nome dela, era ela que estava a sair da clínica, vestindo apressadamente o casaco, veio a correr ter com ele e abraçaram-se apaixonadamente. DESISTIU! veio-se embora depois de já ir a caminho do bloco operatório.

Ainda por cima tanto ele como ela lindíssimos parecia mesmo um filme com actores à seria.

Eles os dois choravam felizes e nós as três lavadas em lágrimas também, sabem lá a nossa figura tipo "ai que coisa tão bonita", aquilo foi mesmo um quadro...

A rapariga tem óptimo aspecto e precisa dum emprego preferencialmente na zona de Santarem onde mora. Tem tambem como ele 31 anos, e 14 de experiência em estética, mas se não puder trabalhar neste ramo está disposta a qualquer coisa compatível com a sua gravidez. Tem o 9º ano completo.

Por favor se alguem souber de algo mandem-me para este mail a resposta. Ela está grávida de 6 semanas, embora tenha desistido, quanto antes a ajudarmos melhor, pois ainda está a tempo de mudar de ideias.


Muito obrigada por terem lido este e-mail
Com toda a Amizade

PPC

Natal digital

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Máquinas do tempo


Na internet portuguesa, existem já vários motores de pesquisa de registos e arquivos históricos que são autenticas máquinas do tempo.


Através dessas máquinas, podemos viajar, com exactidão até tempos idos e todos os mortos dessa época como que ressuscitam, ganham de novo vida, cor e movimento e podem-se encontrar coisas muito curiosas sobre a nossa vida como povo, em geral, e sobre os nossos antepassados, em particular.


Ainda falta digitalizar muita coisa, mas, qualquer dia, sem sair de casa, conseguiremos todos reconstruir a árvore geneológica de cada um.


Destaco aqui alguns desses portais do tempo:


Arquivo parlamentar audiovisual, contendo ficheiros, que se podem descarregar para o nosso PC, com as intervenções de todos os deputados desde 1997 até hoje.


Torre do Tombo on line, contendo os principais documentos que fizeram a história de Portugal.


Portal Português dos Arquivos, contendo um motor de busca que faz uma pesquisa transversal sobre as bases de dados de todos os arquivos distritais. Infelizmente, a maior parte do material disponível ainda não está digitalizado.


Motor de busca da AR sobre actividade parlamentar que permite fazer buscas, desde 1820 até aos nossos dias, sobre a actividade parlamentar, com a vantagem da esmagadora maioria das actas e registos estarem dactilografados o que permite uma leitura mais fácil e acessível.


Motor de busca dos arquivos municipais de Lisboa, contendo extensa documentação escrita e fotográfica sobre Lisboa

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Sobre o fim da democracia, tal como a conhecemos

Ontem, na Sic Notícias, o Prof. José Ferreira Machado, director da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa disse coisas muito importantes e que têm sido silenciadas na opinião pública:

1º) O Governo entrou em desvario orçamental, desconhecendo-se, até hoje, quais as razões do aumento excessivo do déficit até Outubro deste ano.

2º) A presença do FMI é indispensável e não deveria ser retardada. Os seus responsáveis são pessoas competentes e que conhecem bem a realidade portuguesa, com particular destaque para o ex-vice-presidente do PSD, o prof. António Borges.

Infelizmente, o governo PS nunca irá admitir a necessidade e a urgência desta intervenção porque isso seria sempre uma admissão tácita da sua incompetência e incapacidade para resolver os problemas do país.
O governo PS vai tentar arrastar até à última para depois vir dizer que o FMI teve de entrar em Portugal porque os mercados internacionais assim obrigaram, como se eles nada tivessem a ver com o assunto.

3º) Foi apresentado um estudo onde se verifica que nos últimos 20 anos, o aumento da despesa pública coincidiu com o período de eleições. E isto aconteceu inclusive nos governos de Cavaco Silva.
Esta constatação deveria levar-nos a uma outra que não vejo ninguém retirar
- a de que a democracia, tal como está configurada actualmente na nossa constituição, tem disfunções graves que conduzem o Estado e o país para o abismo.

Por isso, haveria que rever a constituição, aumentando o tempo dos mandatos, reduzindo o número de deputados e criar mecanismos que tornem mais dificil, em períodos pré-eleitorais, a realização de despesas pública por parte do governo e das autarquias locais (por ex. reforçando, nesse período, as condições de aprovação da despesa ou aumentando os poderos de controlo prévio do Tribunal de Contas).

Mas como não há coragem política para mudar seja o que for, continuamos a andar à deriva.

Ajuda a Igreja que sofre


É normal que um bom pai se preocupe com todos mas, em particular e de forma especial, com os seus filhos.


A instituição "Ajuda a Igreja que Sofre" tem como objectivo ajudar do ponto de vista logístico e financeiro, as comunidades católicas que tentam sobreviver em ambientes culturais e politicos hostis.


Em Portugal, tenho um amigo, o Manuel Morgado, que faz parte da equipa que, em Lisboa, tenta angariar fundos e dinamizar iniciativas que promovam os seus objectivos.


Destaco, agora, o apoio à Igreja Católica do Paquistão e aos cristãos (alguns deles crianças) que têm sido mortos devido à sua fé.

Sobre este assunto, poderão consultar aqui mais informações.


Considera a Igreja, seguindo o seu fundador Jesus Cristo, que todas as pessoas são irrepetíveis e insubstituíveis e que, por isso, até o número dos seus cabelos está contado.

Por isso, não deixa de ser comovente ver um dos principais Cardeais do Vaticano sair de Roma e lançar-se no Paquistão numa tentativa de resgate de uma jovem mulher cristã condenada à morte pela sua fé aqui.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Excelente programa para Passos Coelho

Excelente o programa eleitoral proposto pelo meu colega Miguel Alvim ao PSD de Pedro Passos Coelho.

Aqui

Os erros da Igreja Católica Portuguesa


Verificamos que a Igreja Católica e, em particular, a Portuguesa perdeu a influência positiva que tinha sobre a socidade e a formação das pessoas. Curiosamente, aquele que, com mais autoridade a tem criticado, ainda que de forma subtil, delicada e discreta tem sido precisamente o Papa Bento XVI em particular em 2 aspectos: o clericalismo e a excessiva generalidade da sua pregação.

Quanto ao clericalismo, a crítica foi feita na última visita ad limina dos Bispos portugueses a Roma. Aí o Papa chamou à atenção da Igreja Portuguesa para a importância do laicado. Esta situação contrasta com a mentalidade que ainda hoje perdura que vê a paróquia como um lugar de chegada e não como um lugar de partida.


Também a ideia, a meu ver, errada que considera que a paróquia, além das actividades religiosas, deve desenvolver outras actividades de cariz social ou educativo, como lares e creches. Para mim, isto apenas deve acontecer com carácter supletivo e a missão do pároco há de ser, em 1º lugar, atender os seus paroquianos nas suas necessidades espirituais e só residualmente em outras actividades que não tenham a ver directamente com o exercício do seu múnus espiritual. Por alguma razão, aliás, o Papa invocou S. João Batista Vianney, o cura d’Ars, como modelo no último ano sacerdotal, um padre de aldeia que gastava horas no confessionário, no acompanhamento e atendimento às pessoas e às suas dificuldades concretas.


O que o Papa pretende não são “ratos de sacristia”, mas sim cidadãos esclarecidos na sua fé e activos na sociedade. Diz Ratzinger “segundo se pensa, deve sempre haver uma actividade eclesial, deve-se falar da Igreja ou deve-se fazer qualquer coisa por ela. Mas um espelho que apenas reflecte o próprio não é um espelho. Pode acontecer que alguém exerça ininterruptamente actividades eclesiais e contudo não seja de facto um cristão” (O Papa Bento XVI. A Tornielli. Pág. 116).

Por outro lado, em Maio deste ano, no discurso aos Bispos Portugueses, o Papa Bento XVI chamou-os à atenção para o facto da mensagem da Igreja “ muito dificilmente (…) poderá tocar os corações graças a simples discursos ou apelos morais e menos ainda a genéricos apelos aos valores cristãos” .


E no ponto 59 da última Exortação Apostólica “Verbum Domini”, o Papa diz “Devem-se evitar tanto homilias genéricas e abstractas que ocultam a simplicidade da Palavra de Deus, como inúteis divagações que ameaçam atrair a atenção mais para o pregador do que para o coração da mensagem evangélica”


De facto, com todo o respeito, se olharmos para os discursos da maioria dos párocos ou mesmo dos senhores Bispos, nas suas homilias e discursos, vemos que há um apelo a lugares-comuns e frases feitas, tais como “fazer o bem”, “alcançar a paz”, “viver o amor” e outras que são completamente genéricas e vagas e nada nos dizem ou aconselham sobre as necessidades concretas do nosso dia a dia.


Há uma enorme falta de argumentos dedutivos que não se limitem a explicar ou a repetir as histórias bíblicas, mas, antes, partam do geral para o particular e desçam ao concreto, ao homem situado nas suas circunstâncias pessoais, familiares, profissionais e civicas.
Se as Igrejas cristãs, e em particular, a Igreja Católica Portuguesa em conjunto com a escola e as famílias renascessem com novo fôlego, certamente venceríamos esta crise e garantiríamos um futuro mais risonho para os nossos filhos.
Artigo publicado no mensário "Notícias de S.Brás", edição de Dezembro

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Morrer de pé como as árvores

No fim da vida, o meu avô dizia a todos que gostaria de morrer como as árvores, isto é , de pé, no activo, a trabalhar nos seus projectos pessoais, profissionais e cívicos.
Ainda há cerca de 1 ano atrás, enalteci aqui o discurso do prof. Ernani Lopes, na apresentação do seu último livro.
Aí ele deixou como que um testamento ao nosso país e falou de forma destemida sobre o passado, o presente e o futuro do nosso país.
Enfrentou a doença fatal com coragem, mantendo-se firme na sua actividade profissional e cívica.
O seu curriculum mostra que, além da sua competência e experiência profissional, era um homem de grande integridade ética e de uma enorme categoria e classe humana.
O seu estilo refinado e elegante, mas, em simultâneo, frontal e directo, sobretudo agora no fim da vida, servem de paradigma e modelo para o presente e o futuro.
Numa altura em que o oportunismo , o calculismo e o chico-espertismo imperam, eis que fica este exemplo de um homem de têmpera e de grande nível intelectual e ético.

sábado, 27 de novembro de 2010

Cidades pela Retoma


A convite do Movimento Cívico "Cidades pela Retoma", a Associação FARO 1540 vai organizar, em parceria com a Sociedade Recreativa Artística Farense, no dia 3 de Dezembro (6ª feira), pelas 21h30, no salão nobre dos "Os Artistas", sito Rua do Montepio, n.º 10 em Faro, uma conferência subordinada ao tema "Cidades pela Retoma: Competitividade e Território".

Num momento de particular dificuldade económica e financeira do país, pretende-se sensibilizar os poderes públicos (nacionais e locais) para a pertinência e oportunidade de reflectir sobre o papel das cidades na retoma económica.

Assim, pretende-se com esta iniciativa, desenvolver em Faro um fórum de debate que deverá mobilizar os cidadãos a participar num exercício de reflexão colectiva sobre o papel das cidades na actual fase de desenvolvimento do país, que vise identificar e avaliar os seus recursos com potencial para o desenvolvimento económico e social e ajudar a definir uma 'agenda local para a retoma'.

Para além de diversas associações farenses, estão já confirmadas as presenças do presidente da Câmara Municipal de Faro (Macário Correia), o Director do Instituto Superior de Engenharia da Universidade do Algarve (Ilídio Mestre) e o professor universitário e Comissario da Faro Capital Nacional da Cultura 2005 (António Rosa Mendes).

Esta conferência é de entrada livre e será antecedida pela projecção (21h30) de uma sátira ao actual sistema financeiro.

P.S.- Aqui divulgo esta iniciativa do meu amigo Bruno Lage, ex-presidente da JSD de Faro e dinâmico presidente da associação Faro 1540. Numa altura de enorme apatia e passividade e até pessimismo, é de registar a atitude positiva desta associação.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Metanóia



This is an insight
into my life
this is a strange flight
I'm taking
my true will
carries me along

This is a soul dance
embracing me
this is the first chance
to put things right
moving on
guided by the light

And the spirit of love
is rising within me
talking to you now
telling you clearly
the fire still burns

Wisdom of ages
rush over me
heighten my senses
enlighten me
lead me on
eternally

And the spirit of love
is rising within me
talking to you now
telling you clearly
the fire still burns

I'm talking to you now
the fire still burns
whatever you do now (you've got to give love)
the world still turns

I'm talking to you now.

Sócrates mentiu

“Manuela Ferreira Leite perdeu as eleições porque tentou contar a verdade e José Sócrates ganhou escondendo a realidade e tomando medidas desastrosas, como ter baixado o IVA e ter aumentado os funcionários públicos em 2,9%”, disse o antigo secretário-geral da UGT, Torres Couto

Fonte: Página 1 RR

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Ingenuidades ou a culpa é da vontade




Um dos argumentos mais invocados pelos arautos da educação sexual reside na importância capital da informação.

Os jovens, se tiverem acesso, a informação sobre métodos contraceptivos, automaticamente, quase ipso facto evitarão todas e quaisquer DST's ou gravidezes indesejáveis, dizem.

Estes arautos esquecem (ou querem esquecer), porém, uma realidade básica da natureza humana; esquecem-se da letra da música do António Variações (ele bem sabia do que estava a falar) "A culpa é da vontade" , o busílis da questão está na educação para a vontade e o auto-controle.

E para educar para a vontade são precisas mais coisas do que umas quantas horas de educação sexual na escola...

Ingenuidades..

domingo, 21 de novembro de 2010

Sobre o Papa e os preservativos

Sobre as recentes revelações de que, afinal, o Papa é a favor do preservativo, confesso que já não tenho pachorra para explicar as manipulações dos media.

Remeto para o texto integral da entrevista, nessa parte e também para o comentário aturado de Thomas Peters, aqui.

Destaco, no entanto, tal como já o fiz em 22 de Março de 2009, aqui mesmo e em 4 de Abril de 2009, também aqui, o péssimo serviço que o departamento de comunicação do Vaticano está a prestar à Igreja, com o tal senhor padre Lombardi à cabeça.

Não percebo como é que, com tantos jesuítas bons nesse ramo da comunicação, com tantos leigos bons nessa área, com particular destaque para os excelentes profissionais da comunicação que existem na Prelatura do Opus Dei ou no movimento da Comunhão e Libertação, o Papa Bento XVI foi logo escolher aquela equipa que vai somando disparates atrás de disparates.

Como diz o conhecido blogger norte-americano Thomas Peters:

"Where is the Vatican press office?
Do they take weekends off?
This latest episode is about the gazillionth time the pope's comments on condoms have resulted in a media blitz which harms the witness and true message of the Church while embarrassing and mischaracterizing the pope"


P.S.- Afinal eu tinha razão em relação ao gabinete de imprensa do Vaticano

sábado, 13 de novembro de 2010

Verbum Domini

O Vaticano divulgou a última Exortação Apostólica do Papa Bento XVI, denominada "Verbum Domini" acerca da "Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja"

Veja-se aqui qual a diferença entre Exortação Apostólica e Encíclica ou outros documentos pontifícios.

Sobre esta Exortação gostaria de destacar os seguintes pontos:

- Muitas vezes, diz-se que o Vaticano é um órgão muito centralizado e excessivamente autoritário. Pois bem, esta Exortação é uma súmula de um conjunto de propostas e anotações feitas por uma selecção de leigos, freiras, padres, bispos e cardeais que participaram na XII Assembleia Geral Ordinária dos Bispos e que, depois, servem de base à elaboração pelo Papa de um documento pontifício.
- Esta Exortação Apostólica é muito importante sobretudo para os teólogos e hermeneutas da Bíblia, mas também, em termos práticos, porque propõe formas concretas de melhor conhecimento e aprofundamento da Sagrada Escritura.
Em particular, sugere qual a melhor forma de elaborar e dar uma homília (Cfr. Ponto 59) e destaca a importância do silêncio na ligação com a palavra (uma só aparente contradição- Cfr Pontos 21 e 66).
- Sobre a polémica em relação ao sentido literal da leitura da Bíblia e às suas partes mais escabrosas (aliás, abordadas e destacadas pela última obra de Saramago, Caim), destaco os pontos 36 a 38 e 42 que explicam bem estas matérias.
P.S.- O Papa, no ponto 98 desta Exortação Apostólica, aborda a relação entre a Palavra e a coerência de via, se necessário, até ao martírio, destacando, em particular, a perseguição aos cristãos em África e na Ásia.
A este propósito, recordo o filme que ganhou o grande prémio de Cannes deste ano "Des hommes et des Dieux"e estreou dia 11 em Portugal que aborda a forma como os monges Cistercenses conviviam e enfrentaram o perigo da morte. Para mais informações sobre o filme vejam aqui e aqui. e também a entrevista ao seu realizador aqui.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Fórum TSF


Hoje, eu, na qualidade de representante da Plataforma Resistência Nacional, e mais cedo, a Alexandra Chumbo, na qualidade de presidente da Associação Família e Sociedade, participámos no Fórum TSF, a propósito da Implementação da Educação Sexual nas escolas.

Sobre a minha intervenção, apenas me esqueci de referir que uma das consequências que tem resultado da entrega da carta dos pais a comunicar a recusa dos seus filhos nas aulas de educação sexual tem sido que essas faltas são (e bem) consideradas como justificadas.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Revolução ou esperar bater no fundo ?


A crise económica e financeira que está a afectar a Europa e os Estados Unidos não auguram nada de bom. A Democracia, tal como está configurada nesses países, apresenta disfunções de funcionamento que degeneraram em crise social e económica.
No caso de Portugal, anteve-se o fim da III República- Uma República onde o nível de vida subiu, em simultâneo com a o aumento das dívidas das famílias e do Estado para agora termos de retroceder nos hábitos do novo riquismo e do esbanjamento de recursos. As pessoas, os caciques e os parasitas do sistema resistem porque não querem perder privilégios. A III República fracassou na Justiça e na Educação, onde imperam a desordem e a bandalheira, o laxismo e a ausência do sentido de responsabilidade; fracassou na regulação dos media que dominam o nosso espírito e criam cidadãos frouxos, pusilânimes e sem reação. À excepção de Cavaco Silva ou Mário Soares, os partidos políticos não souberam captar pessoas com espírito lúcido que aliem a prudência à competência. Os líderes que tivemos ou vamos tendo ou têm marketing politico a mais e competência a menos ou têm competência, mas sofrem de má imagem mediática. Nos Estados Unidos, as pessoas acordam do sonho Obama e vêem que, afinal, tudo foi um logro, o espelho de uma esquerda demagógica que gosta de vender ilusões e mentiras, à semelhança do que se passa aqui, com o PS de Sócrates.
Para dar um murro na mesa, não basta as coisas estarem mal, é necessário que exista reação, mas como a esmagadora maioria da população está adormecida e preocupada apenas com o seu umbigo e o pagamento das despesas do fim do mês não há condições para revoluções. Por isso, só haverá reação quando se entrar no colapso. Para lá caminhamos. É só uma questão de tempo. Nessa altura, teremos, então, que reagir. Terá de haver, então, uma ruptura ou por via militar ou por via popular. Haverá que recorrer a um colégio de notáveis que não esteja dependente dos caciquismos de partido ou de oportunismos de grupos de pressão. As medidas a adoptar exigirão cortes radicais e alterações do estilo de vida pessoal, mas também a nível global. É que não bastará a reação dos povos, terá de haver também uma reação ao nível da União Europeia e dos G-7. E, para que isso aconteça, terá que se bater mesmo, mesmo no fundo. Temos que esperar que este Estado em coma, morra de vez.
Ter-se-à, então, que procurar novos modelos de desenvolvimento, sendo certo que, neste momento, o modelo que, em termos práticos, demonstra maior eficácia e poderio é o chinés- um sistema baseado num estado fortemente centralizado e autoritário, com uma fraca assunção dos direitos sociais e políticos e onde se aproveita o elevado número populacional em favor da dinamização da economia.
Teremos, então, que escolher entre o caos, a revolução, um novo D.Sebastião ou o novo modelo do tipo chinês .
Venha o Diabo e escolha...

Artigo publicado na edição de Novembro do jornal regional "Notícias de S.Brás"

A neutralidade

Os lugares mais quentes do Inferno estão reservados para aqueles que, em tempos de crise moral, mantêm a sua neutralidade

Dante Alighieri (1265-1321)

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Do escondido

Falava eu, há poucos dias, aqui de déficit escondido e da consciência que o governo ps tem de que o déficit é muito maior do que está declarado....


.... e agora veja-se esta notícia de hoje do Público

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Contra a obrigatoriedade da educação sexual nas escolas

Há pais que não ligam à educação dos filhos e, muito menos, ligam à educação sexual dos filhos.

Outros pais (talvez minoritários, mas existem) ligam muito à educação dos seus filhos e também à sua educação sexual.
Estes pais querem ser protagonistas da educação dos filhos e, por isso, não querem que os seus filhos sejam tratados da mesma forma que o são os filhos dos pais que não ligam à educação dos seus filhos.

Por isso, o Estado tem de respeitar o direito e a liberdade de educação deste segundo grupo de pais.
Daí surgiu a Plataforma Resistência Nacional da qual faço parte e cuja apresentação aqui deixo, nas palavras de António Pinheiro Torres, advogado, ex-deputado e actual membro da direcção da Federação Portuguesa pela Vida.


domingo, 31 de outubro de 2010

"Buracão" ou "mega-buracão"

O facto de Teixeira dos Santos ter já dado a entender que o acordo com o PSD irá muito provavelmente obrigar a um PEC 4, com eventuais novos aumentos de impostos, indicia que, na realidade o "buracão" de que falava Eduardo Catroga poderá ser muito superior ao que foi, em contra-vontade, exibido aos negociadores.
É que só o Governo é que sabe, com toda a certeza e em toda a sua plenitude, o alcance e as consequências dos disparates que andóu a fazer ou a permitir que se fizessem.
Não nos iludamos, tudo indica que o "buracão" será, na realidade, um "mega-buracão" e a estratégia do PS é ir revelando a verdade em suaves prestações de forma a minorar o impacto negativo em termos de popularidade.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Sobre o teatro, circo ou a m... em que a política se tornou


Sobre as jogadas palacianas, os jogos de bastidores, o baixo nível, os truques de marketing político e outros quejandos, um post frontal do Miguel Camelo, aqui

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Algarve pela Vida na rubrica "Sites e Blogues" da Rádio Renascença

O blogue colectivo de que faço parte "Plataforma Algarve pela Vida" foi objecto de destaque na rubrica "Sites e Blogues" da Rádio Renascença.

Quem quiser, pode "ouver" neste link

P.S.- Já agora destaco também na mesma rubrica um site onde se podem, em directo e em tempo real, ouvir sons de zonas diferentes do fundo do mar, aqui.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Apoio à Ajuda de Berço


(Clique para aumentar)

Tsunami 2: ad futuram rei memoriam

O Tsunami que nos espera, aqui

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A originalidade dos cristãos novos

Uma das coisas que mais aprecio em muitos dos "cristãos novos", isto é, pessoas que se converteram ou reconverteram tardiamente ao cristianismo reside na originalidade com que vêem os fundamentos desta religião.

Se olharmos para pessoas como C.S.Lewis, Chesterton, Cardeal Newman (no Reino Unido) ou actualmente Zita Seabra, António Pinto Leite ou Luis Miguel Cintra, constatamos que, sem afectarem a ortodoxia da espinha dorsal do Cristianismo, "reinventam-no" e "reinterpretam-no" em novos moldes originais, criativos, abrindo novas perspectivas e acendendo novas luzes àquilo que, por vezes, pode parecer caduco, velho e ultrapassado.

No caso particular, de Luis Miguel Cintra, não é só a sua visão pessoal da Bíblia e de alguns livros sagradas, uma visão enriquecida pela sua sensibilidade artística, e que se pode ler aqui.

No caso de Luis Miguel Cintra, basta tão somente que se limite a ler a própria Bíblia para que o simples som que ecoa da sua boca soe já a original, novo e diferente por mais chato ou "secante" que a letra do texto possa, à partida, parecer.

Vejam lá se não tenho razão:



Luís Miguel Cintra lê o Livro do Apocalipse from Pastoral da Cultura on Vimeo.

O amor e os corvos do telhado


"O amor por uma pessoa deve incluir os corvos do seu telhado"


Provérbio Chinês

sábado, 23 de outubro de 2010

Toy story 3



Diz quem viu os 3 Toy Stories que este 3º e último é, de longe, o melhor desta saga.
Melhor não só pela qualidade da animação e dos efeitos especiais, mas melhor sobretudo pela riqueza do seu argumento e pela maior densidade psicológica das personagens, incluindo do vilão, um aparentemente inofensivo ursinho de peluche.
A questão é esta: Andy, o dono dos brinquedos cresceu, prepara-se para ir à Universidade e tem que tomar uma decisão sobre o destino dos seus brinquedos de criança.
O filme começa com um feed-back. Somos transportados para o mundo da imaginação de Andy, enquanto criança, e mergulhamos num mundo de fantasia, suspense e muita, muita acção que têm como protagonistas principais os seus brinquedos e a enorme criatividade da sua cabeça.
Estudos confirmam que o principal e mais importante trabalho das crianças é...brincar.
Ao brincar, a criança desenvolve competências, estimula a imaginação, a criatividade, mas também a capacidade de abstração e de criação de histórias, enredos e narrativas.
Embora haja quem diga que os jogos de computador também podem ser intelectualmente enriquecedores, nada será melhor para uma criança do que ter 2 ou 3 brinquedos à frente e inventar ex nihilo uma história igual àquela que o Andy inventou no início desta 2ª sequela do Toy Story.
No final, antes de entrar para o carro que o levará para a Universidade e posteriormente para a entrada no mercado de trabalho, Andy acena e agradece aos brinquedos da sua vida.
Na realidade, foi por eles e com eles que Andy conseguiu crescer e chegar à Universidade.
O filme enaltece igualmente a importância da familia, da amizade e da solidariedade, mesmo para com os que nos querem mal, bem como o valor do casamento bissexual e da fidelidade conjugal, através dos vários "gags" da senhora e do senhor batata.
Destaco também dois momentos particularmente hilariantes: Um, quando o BuzzLightyear acidentalmente fica com a fala castelhana e o outro, as relações tensas, meio patéticas, mas no final bem sucedidas, entre a boneca Barbie e o boneco Ken.
A este propósito, via o blogue Educação + Media, encontrei este vídeo que também fala sobre a importância do brincar e de nós, pais, arranjarmos tempo para poder brincarcom eles.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Reduzir despesas

Nas páginas 12 a 19 deste relatório, mais propostas para a redução de despesas públicas.
Só falta mesmo força de vontade* para aplicar as medidas de redução de despesas/clientelismos/"chulos" nas palavras de Alberto João Jardim
*- O tal "pudim" que eu falo no título deste blogue

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Simpsons


Encontrei um site onde se podem ver online vários episódios de séries de desenhos animados.

Encontrei também o episódio dos Simpsons que, nestes últimos dias, tem sido alvo de comentário e polémica, devido ao artigo do Observatore Romano.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Água para o Botswana

[link abaixo do texto, é só introduzir email e nome]

"Water is one of the most basic human needs. It's a crucial requirement for survival both in terms of one's physical health, and for some, their livelihood. Agriculturally-based societies rely on water to maintain their crops and harvests.
In July, bushmen from the Kalahari region of Botswana were denied rights to water. A judge ruled they do not have the freedom to drill for water on their land. The Botswana government has for years tried to push the bushmen out of this territory, and this ruling is yet another attempt at unjustly removing them from their home.
The Botswana bushmen have been suffering without proper access to water for years now. Removing their rights to this fundamental necessity is plain wrong. Write to UN Secretary General Ban Ki-moon asking him to intervene and give the Botswana bushmen back their right to water."

http://www.thehungersite.com/clickToGive/campaign.faces?siteId=1&campaign=BotswanaBushmen
(Via Inês Meneses)

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Supervisão fraca

Tenho, já por várias vezes, destacado, aqui neste blogue, a importância da existência de entidades de supervisão fortes, independentes e eficazes.
Para mim, esta é até mesmo uma das condições sine qua non de uma Democracia que se pretende sadia e equilibrada.
Infelizmente, continua a não acontecer, tal como se pode ver aqui.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Da imaturidade masculina




Destes adjectivos destaco a parte do imaturo que se aplica visceral e infelizmente mais a nós, homens:


"Tener madurez sentimental significa ser capaz de estar abierto a dar y recibir amor, a la posibilidad de descubrir otra persona a la que entregarle los papeles del tesoro escondido, dándose por entero a ella y elaborar un proyecto común. Enamorarse es crear una mitología privada con alguien.

Hay dos notas esenciales:
- tener admiración y sentir una fuerte atracción atracción.
Es decirle a alguien:
no entiendo mi vida sin ti, eres parte fundamental de mi proyecto. Enamorarse es necesitar a alguien, no entender la vida sin que esa persona este en el centro del cuarto de maquinas de la propia travesía.

En el síndrome de Simón nos encontramos con una persona que puede tener una adecuada madurez profesional (ama su trabajo, lo cuida lo cultiva, es un buen profesional, etc.), pero que no tiene madurez afectiva: no sabe que es el mundo sentimental, no sabe expresar sentimientos, no sabe que el amor es un trabajo de artesanía psicológica, desconoce que los sentimientos hay que trabajarlos con dedicación y esmero, porque si no se volatilizan. El inmaduro no sabe dar y ni recibir amor y sobre todo no sabe como mantenerlo…

En estas brumas de estas características del Simon, asoma, emerge, salta y se levanta huracanado, otro cuadro clínico que se desgaja de este y que remata la faena del siguiente modo: commiment panic syndrom, el síndrome del pánico a comprometerse con otra persona. Me decía un joven de 35 años que lleva saliendo dos años con una chica, de su mismo nivel social, que ella le había propuesto casarse, después de esos dos años de andadura y el respondió: “He tenido ansiedad, pellizco gástrico, dificultad respiratoria, pellizco en la tripa … y un gran miedo, porque yo creo, que no estoy preparado y que lo que quiero es seguir por el momento así, hasta que pase el tiempo, no me veo en condiciones adecuadas para dar un paso tan serio, no estoy preparado

….”.

Se han multiplicado los hombres que se adscriben a este terror al compromiso con otra persona, la sociedad actual, ha ido fabricando cada vez mas hombres inmaduros (que no mujeres), que viven centrados en sus trabajo, en sus amigos, salir y entrar, algo de cultura y pasarlo bien. Son los tiempos que corren. La mujer sabe mucho mas de los sentimientos que el hombre y quiere buscar un amor verdadero, autentico, para siempre… pero esto es lo que hay, el patio está de esta manera, se ha producido en los últimos tiempos lo que yo llamaría una cierta socialización de la inmadurez sentimental en el hombre, divertida y escandalosa, juguetona y dramática, banal y kafkiana. Esto es lo que hay".

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Canalhas Mesquinhos e Maquiavel

«Somos um povo de canalhas mesquinhos e malignos, com algumas honrosas excepções (que nem todas funcionam a todas as horas), e acabou-se a história.»

Carta de Jorge de Sena a Eduardo Lourenço. 13.3.76

(Via Portugal dos Pequeninos)


«Mas a ambição do homem é tão grande que, para satisfazer uma vontade presente, não pensa no mal que daí a algum tempo pode resultar dela

Maquiavel

(Via Abrupto)

domingo, 10 de outubro de 2010

3 anos de aborto em Portugal e no Algarve

FPV Aborto - 2010OUT09

Lutas de classes



No âmbito da Plataforma Algarve pela Vida, estamos, neste momento, a ajudar uma grávida do concelho de Loulé que, com grande coragem aceitou trazer ao mundo o ser humano que traz no seu ventre, ainda que em condições psicológicas, económicas e familiares muito adversas. Para variar e como é típico de muitos homens, o pai do bébé, desculpem-me a expressão “deu à sola”, depois da habitual chantagem do “ou escolhes o bébé ou escolhes-me a mim”.
Isto para dizer que fiquei estupefacto ao constatar que a casa desta grávida tem poucas condições de habitabilidade e, por maioria de razão, nenhumas para receber uma vida nova. A sua casa de banho não tem banheira, o corredor é estreito e os quartos exíguos, pelo que não há espaço nem para uma banheira de bébé, nem sequer para um berço. Por este motivo, o bébé, quando nascer terá que dormir em cima da cama e aí tomar banho.
Estava eu ainda meio atordoado com esta situação quando, imediatamente no dia seguinte, o meu filho foi convidado por um amiguinho para ir visitar a sua casa nova e experimentar os mergulhos da sua nova piscina. Quando lá chegámos pudemos constatar que a vivenda era enorme e com bastante espaço. Verifiquei que a maior preocupação dos pais residia na conclusão da chamada “sala de cinema” que ainda não estava totalmente acabada, mas que já criava grande expectativa, sobretudo, entre os mais novos. Trata-se de uma sala enorme onde os filmes passarão numa grande pantalha.
Devo dizer que este contraste criou em mim alguma confusão de sentimentos e , por breves instantes, apesar da minha militância activa no PSD, senti-me fortemente atraído pelos ideais do comunismo mais puro e duro: que todos, independentemente da sua condição e origem social, tenham casas iguais, sem grandes luxos, mas dignas para viver.
No 3º dia, resolvi confrontar o meu filho de 7 anos com estas 2 situações e pedi-lhe explicações por este contraste. Ele, depois de ouvir, respondeu-me o seguinte, “então, os pais do meu amigo estudaram e têm um trabalho que lhes dá muitas moedas e, por isso, têm uma casa grande e com piscina enquanto que essa grávida é pobre porque, se calhar, não quis estudar, nem arranjou um trabalho que lhe dê a ganhar muitas moedas”. Enfim, um raciocínio demasiado simplista, mas com alguma ponta de razão.
Por um lado, é importante que a sociedade civil (através das várias instituições existentes) e o Estado (através do Instituto da Segurança Social) promovam a inclusão dos excluídos, através dos mais variados apoios sociais, de forma a assegurar uma correcta redistribuição dos recursos. Mas, por outro lado, também é importante que o Estado e a sociedade saibam premiar quem mais se esforçou, quem mais trabalhou ou trabalha de forma a exaltar a importância do mérito e da excelência. Pelo contrário, as situações de enriquecimento sem mérito, feitas de forma fraudulenta, devem ser fortemente penalizadas e desincentivadas.
Como dizia no outro dia um comentador, a crise que passamos mostra que se continuam a aplicar modelos antigos a realidades novas. Isto significa que, perante a derrota do comunismo e o fracasso total do capitalismo exacerbado, deveríamos refundir o nosso regime e repensar as nossas formas de gestão e redistribuição da riqueza. Penso que Bill Gates e António Champalimaud deram um grande exemplo: Sem deixar de beneficiar, a si e à sua familia, dos méritos e dos frutos do seu empreendedorismo, não deixaram também de mobilizar partes significativas das suas fortunas pessoais para desenvolver projectos que beneficiam toda a sociedade.


Artigo publicado na edição "Noticias de S.Brás", de Outubro

PSD de S.Brás discute politicas de educação



No passado dia 8 de Outubro no bar “ZemArte” conjugou-se a envolvência cultural e artistica que caracteriza este belo espaço, com a discussão sobre temas bastante prementes no campo da educação, em mais uma tertulia promovida pela Comissão Política de Secção do PSD de São Brás de Alportel.
Nesta actividade sob o titulo de “Educação, presente e futuro” estiveram presentes cerca de três dezenas de pessoas, entre as quais professores e pais do concelho, que tiveram a oportunidade de conversar com os convidados/oradores presentes Professor Bacelar de Gouveia (Deputado e Professor Universitário) e Dr. Rogério Bacalhau (Vice-Presidente da Câmara Municipal de Faro e com o pelouro da Educação e Ex-Presidente do Concelho Executivo da Esc. Sec. Pinheiro e Rosa em Faro).
Numa noite bastante produtiva na troca de ideias e experiências sobre a área em discussão debateu-se sobre vantagens e desvantagens da criação dos “Mega” Agrupamentos Verticais, avaliação do programa Novas Oportunidades e do Ensino Recorrente, exigência/qualidade/avaliação do Sistema de Ensino e avaliação da autoridade dos professores nas salas de aula vs Estatuto do Aluno.
No final poderam-se depreender algumas ideias como:
- A criação dos Mega Agrupamentos Verticais não são mais do que um mecanismo de controlo financeiro ao cargo das autarquias, reduzindo gastos e recursos humanos no corpo docente, sendo que se torna complicado a sua gestão tendo em conta a especificidade e realidade de cada concelho protuguês. Pode-se tornar numa medida positiva na conjugação de forças e vontades na uniformização da qualidade de ensino e acompanhamento dos alunos nos doze escalões de ensino que estão abrangidos por esta forma de gestão.
- O programa Novas Oportunidades banalizou-se na sua génese ao não ser aplicado apenas ao público alvo a que inicialmente se destinava. Quando se prentendia fazer do ensino técnico e profissionalizante de nível secundário uma verdadeira opção aos jovens e elevar a formação de base dos activos através de um sistema de reconhecimento, validação e certificação de competências, verifica-se sim que muitos jovens ao não conseguirem completar o 12º ano e ingressar na universidade utilizam este mecanismo que está ao seu alcance, permitindo de uma forma fácil e bem menos exigente alcançar o seu objectivo.
- Existem bastantes falhas no sistema de ensino em Portugal e na forma de gestão das relações Professores/Alunos/Pais. Sendo São Brás de Alportel um pouco adverso às complicações existentes noutros concelhos do Algarve e do País, muito por responsabilidade da “gestão” profissional e humana desenvolvida pelos docentes e coordenadores escolares do concelho, existem no geral do país problemas como deficiência no número de psicólogos a trabalharem directamente nas escolas, demissão quase completa na participação na vida escolar e social do aluno por parte dos pais, ........
- A preocupação de um futuro ainda mais endividado com a actuação da empresa “Parque Escolar”. Quando se tem vindo a assistir e discutir ao longo destes ultimos anos o encerramento de vários estabelecimentos de ensino, verificamos que o Governo “esbanja” deliberadamente verbas exurbitantes em restruturações de edificios, em tempos tão dificieis como aqueles que se vivem actualmente. O programa Parque Escolar vive e sobrevive tal como as SCUT´s, fazendo e gastando agora e paga-se dentro de alguns anos. Casos concretos são os de Leiria em que se gastaram 26 Milhões de Euros em duas escolas e no Algarve vão ser intervencionadas sete escolas. De referir que só nas Escolas Secundarias João de Deus e Tomás Cabreira em Faro a previsão de gastos chegam aos 28 Milhões de Euros.
No final o PSD de São Brás de Alportel faz uma avaliação negativa do estado da educção em Portugal, sendo que o país está farto das marcas que os sucessivos detentores da pasta da educação fazem questão em deixar, preterindo por o estado e evolução da mesma. Só esperamos que esta ministra não se meta numa grande aventura...


PSD de São Brás de Alportel

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Educação Sexual em ambiente escolar


"Modelos alternativos para a educação para a sexualidade" é o tema de um encontro de professores, educadores e público em geral.
No dia 9 de Outubro, às 14h30, no Centro de Novas Oportunidades da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira.
Organiza a Federação Portuguesa pela Vida, em conjunto com a Plataforma Algarve pela Vida.
O painel dará a conhecer várias iniciativas, tais como as da Plataforma Resistência Nacional, Programa "Protege o teu coração", "Educação da sexualidade em meio escolar; um treino de competências individuais" da autoria da profª Teresa Tomé Ribeiro, entre outras.
Após um coffee break, haverá espaço para debate e partilha de experiências.
Inscrições para o meu e-mail pessoal mrc71@mail.telepac.pt

Menos Estado e Melhor Estado

Boas propostas de Marques Mendes aqui para a redução do déficit e a redução do aparelho de Estado:

- Menos Estado e melhor Estado, deveria ser a lógica de quem tenha um pingo de bom senso.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O 5 de Outubro desmistificado

Aqui, por um dos melhores historiadores da nossa actualidade, Rui Ramos.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Responsabilização política, mas também, criminal

Medina Carreira já tinha falado no assunto, mas, agora, o socialista Henrique Neto ainda é mais directo:

Como se resolve o dilema: estimular a economia e equilibrar as contas públicas?
Nas actuais condições de endividamento, dificilmente se conseguirão ambas as coisas. Por isso a dívida pública que os últimos governos deixaram acumular deveria constituir crime público. Porque nos tornou dependentes dos credores internacionais e coloca em causa o bem mais precioso de qualquer país, que é a independência nacional. Que, no caso de Portugal, tem mais de oito séculos e custou muito sofrimento.
(....)
Nos últimos anos, chamou várias vezes a atenção para a promiscuidade dos grandes interesses privados com altas figuras do Estado. O cidadão tem a ideia de que não paga essa factura. O facto de o cidadão ser chamado agora a pagar a factura vai ter consequências?
Não sei quando é que os portugueses dirão "basta!". Mas sei que o maior problema resultante da imoralidade das classes dirigentes é a pedagogia de sinal negativo que isso comporta. Infelizmente, muitos portugueses têm a tentação de pensar que, se alguns enriquecem de forma fácil e rápida por via da sua actividade política, isso também lhes pode acontecer a eles no futuro. Fenómenos como o BPN e o BPP têm muito a ver com esta amoralidade geral reinante.
P.S.- Pacheco Pereira fala também em dolo e em julgamento de actos criminosos

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Um dos meus vídeos preferidos da Foundation for a better Life

Uma história parecida aconteceu há uns anos atrás, na minha antiga paróquia da Igreja dos Anjos, em Lisboa, quando um menino de uns 2/3 anos escapou dos pais e subiu para o altar no meio da Missa. O antigo prior, o saudoso Pe. João Sousa, disse aos pais para não o irem buscar e, ao invés, perguntou ao menino se queria assistir à Missa dali ao que o rapaz respondeu logo que sim. Depois, passou o resto da missa como se de um acólito se tratasse e o Pe. João ía-lhe explicando em voz alta o que estava a fazer.

Foi muito giro porque nesse dia, o evangelho, falava-nos do encontro entre Natanael (Jo 1.47) e Jesus onde Este elogiava a frontalidade e a autenticidade do primeiro. O Padre João aproveitou para, no final da Missa, dizer-nos que aquele menino tinha mostrado a todos o que era ser como Natanael.

O encontro entre Jesus e Natanael que se leu nesse dia era este:


Tsunami: ad futuram rei memoriam

O problema é que com três PEC"s num ano, sempre anunciados como sendo o último, o definitivo, o que tudo resolveria, fica em todos a dúvida: será? É que, penso, este resolve a questão para 2011 e tapa o buraco de 2010 com o fundo de pensões da PT (espero que o dito fundo seja transferido devidamente capitalizado, veremos).
Mas para 2012 a situação poderá voltar a colocar-se, em particular se o crescimento for muito abalado com mais este PEC-3. E pouco depois aparecem as facturas das PPP"s, concessões, etc. Infelizmente o sarilho orçamental veio para ficar
"Tsunami" de Luis Campos e Cunha
1-X-2010
Público

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Hereafter

Clint Eastwood tem nos presenteado ultimamente com filmes de grande qualidade como Grand Torino ou Invictus, entre outros. São filmes que nos fazem pensar e nos mostram a complexidade do ser humano.
Em contraste, o resto do panorama cinematográfico dos últimos 2 anos nada mais tem sido do que um enorme bocejo, com argumentos paupérrimos e cheios de lugares comuns.
O seu último filme Hereafter é um desses filmes que nos surpreende pela originalidade do argumento e pelas interrogações que deixa em aberto.
Num mundo onde as pessoas se agarram com unhas e dentes ao materialismo e ao prazer do imediato, este filme interpela-nos para o que virá depois da morte.
Por mais que a morte seja um tabu, nesta sociedade cínica em que vivemos, mais cedo ou mais tarde cada um de nós vai esbarrar, de forma mais ou menos inesperada ou violenta, nela.
Por isso, é que, mesmo que não queiramos falar ou reflectir sobre a morte, voluntária ou involuntariamente, mais cedo ou mais tarde, teremos que fazê-lo.
E este filme, sendo um pouco cruel, como toda a morte o é, deixa-nos alguma esperança.
Gosto da parte, no trailer, onde Matt Damon diz ao rapaz que perdeu o irmão:
"If you are worried on being on your own.
Don't be!
You're not"



Mais informações sobre o filme, aqui e aqui.

domingo, 26 de setembro de 2010

Governo de lixo


Há uns dias atrás, mais concretamente no passado dia 23 de Setembro, António Barreto, convidado do Jornal das 9, da SIC, fazia graves acusações contra Pedro Passos Coelho e José Sócrates.


Sobre o governo minoritário PS afirmou que está a brincar com o país e a população, acusando os seus responsáveis de "táctiva perversa e malévola", pelo recurso a técnicas maldosas e dolosas.


Sobre PS e PSD acusou de altíssima irresponsabilidade e altíssima demagogia, declarando que nenhum dos dois está a defender o interesse de Portugal e dos Portugueses.


Enquanto isso, Pacheco Pereira, chama a estes dias, dias de lixo e recorda-nos o quão de razão tinha Manuela Ferreira Leite.


Por estes dias, sinto-me particularmente honrado e até orgulhoso por ter pertencido ao blogue Jamais, de apoio a Manuela Ferreira Leite e de, há 1 ano atrás, ter escrito isto, isto e isto.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Beatificação de membro dos Focolares

No meio da minha actividade pró-vida, tive e tenho a oportunidade de me cruzar com alguns membros portugueses do movimento dos Focolares.
Conheço mal este movimento cujo site português está disponível aqui . No entanto, tenho uma enorme simpatia pelas pessoas que conheço.
Todas elas são pessoas muito bem formadas, correctas e sobretudo têm uma virtude em comum (não sei se é impressão minha ou mera coincidência) que é a virtude da mansidão, pela forma serena e calma como falam, pensam e reagem.
Ao contrário de muitos "católicos" de sacristia que parece que ficam com inveja quando alguém de outro movimento que não o seu, ou de outra diocese ou de outra instituição religiosa que não as suas se destacam, penso que todos nos devemos regozijar pela expansão e exaltação de outras iniciativas religiosas.
Estas iniciativas superam as paredes onde nasceram e pertencem à universalidade da Igreja e, por isso, nesse sentido, não são iniciativas "deles" mas iniciativas "nossas".
Assim sendo, aqui reproduzo, com elementar justiça, o e-mail que um destes meus amigos hoje me fez chegar a propósito da 1ª beatificação de uma senhora, membro dos Focolares.


No próximo sábado dia 25/9 terá lugar a beatificação de Chiara “Luce” Badano que pertencia ao Movimento dos Focolares, fundado na Itália por Chiara Lubich, em 1943. Será beatificada neste sábado às 15h, no santuário do Divino Amor, em Roma, numa cerimónia presidida por Dom Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, em representação do Papa Bento XVI. No mesmo dia, às 19h30, milhares de membros dos Focolares se reunirão na Sala Paulo VI, no Vaticano, para festejar a chegada aos altares da primeira de seus membros. No domingo, às 9h30, o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado Vaticano, presidirá a uma missa em acção de graças na Basílica de São Paulo Fora dos Muros.

Chiara Luce (Luz), num dia em que jogava ténis, quando tinha 17 anos, começou a sentir dores muito fortes. Era o início da doença que meses depois a levaria à morte. "Por ti, Jesus, se o queres, eu também quero!". Eram as, palavras que repetia, durante sua morte. (1971-1990).

Não, são, só os Focolares que estão em festa, mas toda a Igreja. Um novo santo é uma nova estrela que se acende na “noite de Deus” fruto da cultura do nosso tempo. É património de todos, porque luz que acende na escuridão.
Numa época na qual, à juventude, faltam verdadeiros modelos de vida, surge uma jovem que se faz santa e vivia uma vida “típica” da juventude do nosso tempo; gostava de cantar, dançar, jogar ténis e patinar. Amava a montanha e o mar. "Também ia à missa todos os dias".

Para quem quiser seguir as cerimónias:

Pela Internet:
http://live.focolare.org/ Por TV:
Canção Nova – transmite tudo em português (do Brasil e de Portugal)
Telepace – transmite tudo em italiano
Horários (hora portuguesa):
_ Sábado 25 de Setembro de 2010 – 15.00h – 17.00h
S. MISSA COM RITO DE BEATIFICAÇÃO
Santuário de Nª Sª do Divino Amor (Roma)
Presidida pelo D. Angelo Amato, Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos _ Sábado 25 de Setembro de 2010 – 20.00h às 22.00h
FESTA COM CHIARA LUCE BADANO
Sala Paulo VI – Cidade do Vaticano – com videowall na Praça de S. Pedro
_ Domingo 26 de Setembro de 2010 – 9.30h – 11.15h
S. MISSA DE AGRADECIMENTO
Basílica de S. Paulo Extramuros –Roma
Presidida pelo Card. Tarcisio Bertone, Secretário de Estado
_ Domingo 26 de Setembro de 2010 –11.00h
ANGELUS DO PAPA BENTO XVI
Em ligação com a Basílica de S. Paulo Extramuros

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Jornais ingleses moderam seu tom depois da visita papal


Por Inma Álvarez, Zenit, 2010-09-21


LONDRES, terça-feira, 21 de setembro de 2010 (ZENIT.org) - A revista satírica britânica Private Eye costuma publicar hipotéticas cartas de desculpas da imprensa quando a opinião que transmite sobre uma pessoa é desmentida pela realidade.
"Isso poderia ser aplicado à visita de Estado do Papa Bento XVI", afirma Dominic Lawson, editorialista de The Independent, em sua coluna de hoje, "Pope Benedict... an apology".
"O Papa. Uma desculpa. Queremos pedir desculpas por descrever Sua Santidade como o líder tirânico com botas militares de uma instituição corrupta empenhada no estupro de crianças e no extermínio de todo o continente africano. Agora aceitamos que é um homem idoso e doce, que fica feliz da vida quando beija os bebês e que este país tem muito a aprender da sua humanidade e preocupação pelos mais fracos da sociedade."
Com ironia, Lawson constata a mudança generalizada de tom da imprensa inglesa após a visita do Papa. O próprio Independent, constata, publicou comentários editoriais que "seriam impensáveis há uma semana".
"Quando alguém é qualificado como um monstro (ou ‘um velho vilão lascivo de batina', como disse Richard Dawkins) e surge como uma modesta figura acadêmica visivelmente incômoda com a grandiloquência política de uma visita de Estado, os opinadores percebem que seus leitores prefeririam um tom mais amável", afirma Lawson.
"Suspeito que é precisamente o caráter apolítico do Papa Bento XVI que lhe dá certo atrativo popular, inclusive àqueles que não são membros da Igreja Católica e que sem dúvida se sentem obrigados a seguir seus inamovíveis pronunciamentos doutrinais."
O colunista que foi diretor do Spectator conclui: "A humildade talvez seja a mais difícil das virtudes; os mais presuntuosos críticos laicistas do Papa poderiam aprender do seu exemplo".
Este não foi o único comentário. No "dia depois" da visita, segundo constata um informe de Catholic Voices, é evidente a moderação da imprensa inglesa de todos os âmbitos de opinião, assim como o unânime reconhecimento do êxito da visita, contra quase todos os prognósticos.
Repassando um a um os 5 principais cabeçalhos ingleses, em sua edição de segunda-feira, 20 de setembro, o informe mostra como foi a cobertura da beatificação do cardeal Newman no Cofton Park.
Os da esquerda
Assim, The Guardian, representante da esquerda liberal, dedica duas página a uma reportagem sobre a beatificação, assinada pelo seu correspondente religioso, Stephen Bates.
Outra correspondente, Riazat Butt, afirma que "o êxito real desta viagem histórica não foi Bento XVI, mas seu rebanho, que desafiou as expectativas e a publicidade negativa para dar as boas-vindas ao Papa".
Na seção de comentários do jornal, um dirigente recorda aos leitores por que The Guardian apoiou a visita, "apesar do conservadorismo intransigente e às vezes cruel de Bento XVI", pois "se tratava de um assunto diplomático sério".
O editorial não acredita que o Papa tenha superado "a divisão religioso-leiga", mas tem algumas palavras críticas contra os manifestantes, que "talvez não vejam nenhuma conexão entre eles e as turbas antipapistas do passado, mas há um fracasso em dar à fé o respeito sincero que lhe é devido".
Na seção do defensor do leitor, destaca-se a crítica de muitos leitores com relação ao que consideram a "hostilidade instintiva da religião" por parte do jornal, ainda que o ombudsman alegue a extensa cobertura dada pelo The Guardian à visita.
Talvez a mudança mais sintomática tenha sido, como foi comentado no início desta notícia, o caso do The Independent, jornal que, durante o período anterior à visita, tornou-se porta-voz do setor laicista mais agressivo.
Em seu editorial de ontem, Benedict spoke to Britain, o jornal admitiu que a visita "foi melhor, inclusive muito melhor do que se poderia esperar", graças sobretudo "ao que o Papa disse e como disse", mostrando "que tem um lado mais cálido, mais humano e menos rígido do que parece de longe".
"E com relação às suas alusões a quão arriscado é para a tolerância desterrar a religião às margens, talvez ele tenha deixado uma Grã-Bretanha com a mente um pouco mais aberta que quando a encontrou", conclui o editorial de forma surpreendente.
Conservadores
Por sua parte, o Daily Mail, conservador, publicou um comentário assinado por Stephen Glover, no qual afirma que a visita "foi muito além" de um êxito que a própria hierarquia católica não esperava: "O Papa falou à alma do nosso país, afirmando as verdades morais eternas que nossos próprios líderes políticos e religiosos preferem evitar".
Um dos êxitos surpreendentes destacado por Glover foi o "rosto jovem" da Igreja Católica britânica; o editorial do jornal também critica os ateus radicais, contrários à visita: "Não têm nada a oferecer como caminho de esperança para os jovens nem para ninguém".
The Times não dedica um editorial, mas publica uma reportagem de Richard Owen, seu correspondente em Roma, que se surpreende com a ênfase do Papa no "pluralismo sadio" e nas "diversas tradições religiosas" da sociedade britânica, assegurando que "este não é o homem que foi eleito papa há 5 anos".
Por último, o Daily Thelegraph apresenta um Papa sorridente na capa e afirma que ele "parecia muito mais preocupado em reconduzir o diálogo entre a Igreja e a sociedade civil do que provocar conversões", ao mesmo tempo em que cita os "exageros laicistas".
O informe pode ser lido no blog de Catholic Voices

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Educação sexual à la carte

Numa altura em que a educação sexual obrigatória provoca polémica, aqui fica o exemplo de uma escola do estado da Carolina do Norte onde se dão a escolher aos pais 3 opções: não ter educação sexual, ter educação sexual compreensiva ou educação sexual pró-abstinência.
Este projecto-piloto tem ainda 2 originalidades:

- Os pais podem optar por ter os filhos num determinado curriculum, durante um ano lectivo, e no ano lectivo seguinte, optar por ter o outro.

- Mesmo no curriculum de educação sexual compreensiva, temas polémicos como aborto e homossexualidade, ainda que sejam explicados, não são objecto de qualquer tomada de posição ou interpretação valorativa que é remetida para os pais.



quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Marinho Pinto volta a acertar

Confesso que ainda não me decidi sobre o sentido do meu voto nas próximas eleições para Bastonário, mas, hoje, mais uma vez Marinho Pinto voltou, com coragem, a dizer o que todos nós advogados sentimos no nosso dia a dia de prática judicial:

Falando numa palestra em Santarém, onde apresentou o seu livro "Um combate desigual", Marinho Pinto, que se recandidata ao cargo, afirmou também que "não pode haver juízes vitalícios" e que "não se pode ser magistrado com apenas 25 ou 26 anos de idade".

Para António Marinho Pinto, os jovens magistrados "saem deformados da escola, como do Centro de Estudos Judiciários, onde lhes enchem a cabeça de tecnicidades jurídicas e pouca capacidade para julgar determinadas matérias, como o Direito de Família".
(....)
Salientou, igualmente, que "é preciso acabar com a irresponsabilidade dos juízes" e que, para isso, são necessários "mecanismos de controlo e escrutínio" da actividade dos magistrados.
(...)
"Hoje é mais fácil e barato deitar as mãos ao pescoço de um devedor do que recorrer aos tribunais para cobrar uma dívida", disse Marinho Pinto, salientando que "quando os tribunais se demitem de administrar a Justiça parece mais fácil às pessoas fazerem justiça pelas próprias mãos, o que é muito perigoso para a própria democracia".
Fonte: DN
P.S.- Pena é que a oposição esteja distraída e ninguém faça eco da vergonha diária que é a nossa (in) justiça

Sinais do Céu

Já não é a 1º vez que o clima parece querer dizer alguma coisa quando o Papa chega.
Diz quem esteve no funeral do Santo Padre João Paulo II que quando trouxeram o caixão para a Praça de S.Pedro, o céu que, até então, estava nublado, abriu e vários rasgos de luz despertaram do meio das nuvens.

Ontem estive com um inglês que vive entre Londres e a Escócia que me disse que o tempo lá estava horrível, nublado e chuvoso.
No entanto, hoje, na Escócia, com a chegada do Papa, o céu estava limpo e o sol a brilhar. Inclusive, alguém diz mesmo ter visto uma pomba em forma de nuvem...

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Acudir as emergências sociais



Após o referendo de 2007 que liberalizou o aborto em Portugal, algumas pessoas, aqui no Algarve, entenderam que deveria ser mantida uma rede de contactos que tivesse como objectivo, por um lado, promover a prevenção da gravidez indesejada, sobretudo através da promoção de estilos de vida saudáveis; e, por outro lado, apoiar à mulher grávida em dificuldade. A essa rede de contactos chamámos “Plataforma Algarve pela Vida”
Quanto à promoção de estilos de vida saudáveis, trata-se de uma temática abrangente que não se esgota, nem se pode esgotar nunca na mera educação sexual. A vertente sexual do homem é apenas uma das vertentes, já de si multifacetadas que o constituem. O ser humano é hiper-complexo e habita numa sociedade hiper-complexa. Por isso, este grupo recusa reduzir a prevenção da gravidez indesejada à mera divulgação do preservativo. Pelo contrário, há que fazer com que os jovens e pessoas sexualmente activas saibam o que pretendem fazer da sua vida e essa é uma meta mais ambiciosa, mas certamente também mais profícua. A este propósito, criámos um blogue cujo endereço é http://algarvepelavida.blogspot.com/ , com cerca de 50 etiquetas com informação, notícias e opiniões que abrange várias temáticas sobre a vida.
Por outro lado, quanto ao apoio à mulher grávida em dificuldade, foi criada uma rede de contactos que ultrapassa as fronteiras do próprio distrito e que conta com o apoio de católicos, evangélicos ou meras pessoas de boa vontade, com particular destaque para a Cáritas diocesana do Algarve e o SOS Vida, fundado pelo saudoso e dinâmico Padre Jerónimo Gomes, já falecido.
E é em relação a este apoio social que temos vindo a prestar a grávidas no Algarve que gostaria de partilhar convosco alguns pensamentos sobre a estratégia de actuação na área social, fruto de alguma experiência que se vai acumulando.
Desde logo, penso que deveriam ser identificadas 3 áreas diferentes de intervenção social:


- Uma de emergência social, para casos ditos de vida ou de morte, relacionados com a própria subsistência a curto prazo das pessoas, risco de suicídio, risco de aborto por motivos económicos, risco de vida iminente por motivo de doença ou dependência alcóolica ou tóxica, etc...;


- Outra de combate à exclusão, ou se quisermos, de promoção da inclusão, para pessoas que estando acompanhadas a curto prazo, necessitam, porém, de uma integração a nível habitacional, laboral, familiar, etc..


- E, por fim, uma outra de prevenção da exclusão que actuaria ao nível primário, em particular nas escolas e junto de familias, crianças e jovens que apresentam um risco sério de eventual futura ou iminente exclusão.
Em quase todas as situações os visados preferem acções com discrição e com o mínimo de publicidade possível e que impliquem o contacto com o mínimo de interlocutores.
Note-se que, em teoria, as redes sociais e os vários organismos de solidariedade social públicos ou privados, nos casos de emergência social, já contemplam supostamente estas intervenções rápidas. Porém, na prática, quem lida com estas situações, sabe que esta rede social raramente funciona com alguma eficácia. E a razão desta ineficácia, por mais incrível que pareça está associada a um excesso de burocracia, listas de espera e obstáculos de vária ordem (Por exemplo, ainda no outro dia uma assistente social queixava-se do atendimento e da burocracia da linha pública supostamente de emergência social 144). Ora, nos casos de emergência, as necessidades devem ser sumariamente analisadas e tem que se passar imediatamente ao apoio, sem mais desculpas ou demoras.
O aborto, o suicídio ou as overdoses são soluções rápidas e aparentemente simples para situações extremas de desespero.

Perante isto só há uma resposta:

- Intervir e apoiar da forma mais discreta, rápida, pragmática, eficaz e simples que seja possível.
Artigo publicado na edição deste mês do mensário "Notícias de S.Brás"

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Portugal à parva


Em Portugal, regra geral, as coisas são quase todas decididas e feitas à parva:


Legisla-se à parva, aprova-se à parva, constrói-se à parva, ajuda-se à parva, endividamo-nos à parva, compra-se à parva, é tudo feito à parva.


Só muito raramente, de tempos em tempos, é que surge alguém que decide fazer as coisas com tempo, conta, peso e medida. Um bom gestor, alguém prudente.


A boa gestão, aliás, está muito associada à virtude da prudência e a prudência está muito associada à antevisão de possíveis problemas e à antecipação de soluções em face desses possíveis problemas.


O futebol é mais um ramo, entre muitos outros, onde se manifesta a forma de ver e decidir à parva dos portugueses.


Em Outubro e Novembro de 2008, escrevi este e este post a alertar para o erro de casting na contratação de Carlos Queirós.


O que eu já previa em 2008, veio-se a agravar em 2010 e para piorar o cenário, o Sr. Gilberto Madaíl faz um contrato de 4 anos com o prof. Queirós o que implica o pagamento de uma indemnização milionária que obviamente, agora, ninguém quer pagar.


Que uma pessoa com o curriculum de Mourinho exija um contrato de 4 anos, compreende-se. Agora, o prof. Carlos Queirós que ultimamente só tem acumulado desaíres, parece-me um exagero.

Até o próprio Scolari só tinha contratos de 2 anos.


Penso que a Federação Portuguesa de Futebol terá de assumir as consequências dos seus actos e das suas decisões e, em consequência, deverá pagar a indemnização a que o prof. Carlos Queirós tem direito.


Neste momento, não me parece que existam treinadores portugueses disponíveis (só admitiria Jorge Jesus ou José Mourinho, ambos indisponíveis). Manuel Cajuda seria tão mau ou pior que Carlos Queirós.

Resta, a meu ver, Luis Aragones que, apesar da idade, é um homem com capacidade de mobilização e motivação- coisa que tem faltado na selecção.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pedido de ajuda para grávidas algarvias em dificuldade

Do Algarve pela Vida precisam -se:

MÓVEIS
Cama individual, com colchão
Uma cómoda
Um roupeiro

ALIMENTOS
Leites com chocolate
Frutas (melões, meloas, pêras, maçãs, etc...)
Carne de porco (costoletas, carne picada, pá de porco)
Arroz e massas
Legumes variados
Cereais
Leite normal
Manteiga
Óleo vegetal
Batatas
Azeite
Margarina
Bolachas

ACESSÓRIOS PARA A ESCOLA
Canetas
Cadernos

ROUPA
Roupa para jovem de 14 anos em bom estado.Calçado de inverno nºs 38/39 mas arejados que tenham respiração.
O Banco Alimentar já ajuda na obtenção de alguns destes alimentos, mas falta sobretudo peixe e carne, para juntar aos acompanhamentos.

DINHEIRO
Também precisamos de dinheiro que será dado através do PAV de forma temporária e condicionada.Para responder a este pedido, podem responder a mrc71@mail.telepac.pt ou pavida@sapo.pt

P.S.- Podem não acreditar, mas este texto tem mesmo um nome e uma cara que só está à espera de alguém...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Sono, dormir e morte


Se levarmos em consideração que a esmagadora maioria das pessoas morre, ao dormir (como aconteceu ainda na noite passada, com o Sr. Bispo Auxiliar de Lisboa), será que o dormir é a ante-sala da morte.

E, nesse caso, será o sono um treino para chamada final ?

E, assim sendo, quem adormece, em cada dia, não se deverá mostrar agradecido a Deus ou ao acaso ou seja a quem for, por ter acordado ?

terça-feira, 31 de agosto de 2010

O dom de cada dia

Para mim, quando perco o tempo, e para todos, aqui fica uma bela reflexão do meu amigo Wagner Moura:

Somos acostumados com o mundo.
Houve o dia de ontem – houve tantos ontens! – e por isso haverá o dia de amanhã como se estivéssemos numa sucessão óbvia de eventos.
É bonito imaginar que todas as manhãs Deus cria tudo de novo como se, maravilhado com a criação, pedisse um bis. E outro. E mais outro. E tantos.
Então os dias não se sucedem simplesmente…
Os dias são chamados à existência como consequência do maravilhar-se de Deus. E nem nos damos conta.