segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Nós somos a Igreja



O movimento progressista "Nós somos a Igreja" deveria ver e reflectir verdadeiramente neste vídeo para percer o que é, de facto, ser Igreja.

E, para todos, um vídeo que nos recorda a responsabilidade de cada cristão.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Entrevista de António Pinto Leite

Grande entrevista do presidente da ACEGE, Dr António Pinto Leite, a ler, reler e reflectir sobre o que aí se diz.

Aqui

Da falta de sensatez dos arquitectos

Como é possível que um arquitecto conceba uma casa sem espaço para uma marquise ?
Ou sem espaço para colocar um estendal de roupa ?
Coloca-se a roupa suja na cozinha, no local onde se confecciona e guarda a comida ?
E a máquina de secar, se não houver lugar para a colocar dentro da cozinha, coloca-se onde ?

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Respostas para a crise


Propostas da Doutrina Social da Igreja para os actuais tempos de crise financeira, aqui e aqui (infelizmente ainda só em italiano)

domingo, 23 de outubro de 2011

O que é a verdade ?


Para advogados, juízes, procuradores do Ministério Público e, claro, políticos, eis a resposta clássica dada pela filosofia escolástica de S. Tomás de Aquino.

A verdade é "adaequation intellectus er rei" (a correspondência entre intelecto e realidade). Cfr. S.Tomás de Aquin Summa Theologica I 1.21, a.2c.

O prémio de São Brás de Alportel


A reportagem radiofónica "A Vila Cosmopolita", da Antena 1, é uma autêntica obra-prima do jornalismo radiofónico; um excelente trabalho de reportagem e montagem da autoria dos jornalistas Cristina Pinto e Luis Rocha sobre a diversidade cultural e a integração social de estrangeiros residentes no concelho de S.Brás de Alportel.
A primeira vez que a ouvi, vinha a conduzir, de carro, entre S.Brás de Alportel e Faro e encantou-me logo pela sua qualidade e pela forma tão fidedigna como consegiui reproduzir aquilo que efectivamente se sente neste concelho: um espírito forte de solidariedade, inter-ajuda e comunidade.
Lembro-me de poucos dias depois ter comentado este facto com o presidente da comissão política concelhia do PSD e há poucos meses atrás fiquei a saber que esta reportagem foi objecto de um (mais do que merecido) prémio atribuído pelo Alto Comissariado para a Imigração e para o Diálogo Intercultural (ACIDI).
Nos dias que correm só o que tem, so ó que se vê, só o que está melhor equipado é que conta, tudo o que não é palpável não interessa nada. Quando olhamos para a valorização das cidades e dos municípios quase sempre aplica-se a mesma lógica: recursos, shoppings, hipermercados, infraestruturas é o que conta Por isso, um município sem um gigantesco shopping center, um hipermercado, um praia ou uma ligação de viá rápida à auto-estrada mais próxima é um município falhado e pobre.
Os shoppings, então, são já um “must”. Assim como antes cada vila ou povoação teria que ter uma Igreja, agora tem que ter necessariamente uma catedral dedicada ao deus consumo onde os consumidores lhe possam ir prestar culto e vassalagem. No Fórum Algarve, em Faro, inclusive, chega a haver sino e tudo, tal como nos locais de adoração e culto.
E S.Brás de Alportel ? Não será este concelho um dos mais menosprezados e esquecidos do Algarve a par de Alcoutim ? Aqui não há shoppings-centers, nem praias, nem hoteis de luxo, nem grandes hipermercados.
Mas se ouvirmos com atenção esta reportagem radiofónica e o nome que os seus autores lhe deram de “A vila cosmopolita” vemos que, afinal, São Brás de Alportel é uma vila riquíssima e ímpar porque a qualidade das suas gentes, o modo original e único como se relacionam, inter-agem, o modo como os estrangeiros e o portugueses não originários daqui se integram nas tradições locais e criam laços de afecto é absolutamente ímpar e extraordinário. Sem dúvida que a reportagem está tecnicamente muito bem feita, quer na forma como os depoimentos foram recolhidos, quer na forma como a montagem foi feita, mas o que verdadeiramente a enriquece é a sua matéria prima, é São Brás de Alportel.
O que a actual crise nos está a ensinar é que, afinal, não é o betão, nem o asfalto, nem o último modelo, nem as compras que nos levam ao sucesso. O que nos leva ao sucesso é a riqueza humana, é o acolhimento, é a capacidade de trocar, dar e receber. Que me desculpem Lisboa, Faro ou Olhão ou outros mas dificilmente, para não dizer nunca, poderão esses munícipios ser aquilo que São Brás é.
Há uma frase do actor Martin Sheen, numa entrevista que, a meu ver, encaixa que nem uma luva naquilo que é S.Brás de Alportel: “Só quando cooperamos uns com os outros é que conseguimos quebrar todas as barreiras de nacionalidade, cultura, raça e religião e é aí que alcançamos o centro da nossa humanidade comum e isso é que é a verdadeira espiritualidade”.Se possível, escolas, associações, instituições e município recolham a gravação desta reportagem premiada, promovam-na entre os mais jovens, meditem nela e façam nos pensar, depois, no que é que é verdadeiramente importante.

Formação dos gestores das PME's


Da minha experiência profissional, posso constatar que um dos grandes problemas da nossa economia tem a ver com a existência de graves lacunas de formação por parte dos gestores das Pequenas e Médias Empresas.
Na sua maioria, tratam-se de pessoas que dominam bem a área em que trabalham, mas que apresentam um déficit de conhecimento em áreas sobretudo relacionadas com a gestão do risco e a gestão administrativo-fiscal.

aqui, em Agosto de 2009, sugeri a importância de apostar na formação dos gestores das PME's, mais ainda do que apostar no betão e no cimento.

Agora, chegou-me ao conhecimento esta iniciativa original de promoção de uma universidade corporativa que poderia ser uma forma interessante de promover a "formação". A "formação", aquela "formação" que, na década anterior, andámos a esbanjar, fingindo que brincávamos aos cursos...

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O desafio de atravessar a porta da fé

O Papa Bento XVI, apesar da sua idade avançada e do seu estilo tímido, continua a lançar-nos desafios de vida.
O último foi o lançamento de um ano (de 11de Outubro de 2012 a 24 de Novembro de 2013) destinado à reflexão sobre a Fé e as suas consequências.
Na prática serão 2 anos, já que com a divulgação da carta apostólica que lhe serve de lançamento, Porta Fidei (aqui), há poucos dias atrás, inicia-se, desde já, a preparação para o início desse ano especial.
O objectivo, resume-o, o papa no ponto 9 dessa carta de lançamento deste ano especial:
"Descobrir novamente os conteúdos da fé professada, celebrada, vivida e rezada e reflectir sobre o próprio acto com que se crê, é um compromisso que cada crente deve assumir, sobretudo neste Ano".
Assim, parece-me que será altura de voltarmos à catequese para reaprender e redescobrir as razões pelas quais não devemos pegar num revólver e acabar logo com este pequeno inferno em que parece ter-se tornado a nossa vida em sociedade.
Participar em cursos de reciclagem e formação doutrinal, conferências sobre a fé, actividades culturais relacionadas com a fé, etc.etc. farão parte certamente do programa de cada um e de cada instituição da Igreja.
Um desafio novo, num mundo em crise.

Saber abraçar o cacto

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Alternativas ao cinto apertado

Os cortes nos subsídios de férias levarão a que muitos portugueses passem as férias próximo das suas casas.

Em resumo: menos viagens para fora, menos Algarve e mais Costa da Caparica e praias da Foz, Esposende, Matosinhos, Figueira, etc...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Eu e o novo Bispo auxiliar de Lisboa


O recém-nomeado Bispo Auxiliar de Lisboa, D.Nuno Brás exerceu durante alguns anos as funções de coadjutor na minha paróquia em Lisboa, de N. Sra dos Anjos.

Sobre o "Pe. Nuno" tenho 2 histórias engraçadas que aqui partilho.

Algures em 1997, o meu sócio de escritório estava prestes a casar quando, a poucos dias do casamento, deu-se conta que estava sem padre. Ligou-me em estado de choque a dizer que tinha os convidados e que, já não me lembro bem porquê, o seu padre da Igreja da Sobreda, no caminho para a Costa da Caparica, não podia ir.
Percorri a minha lista de padres amigos e, por fim, fui parar ao Seminário ao Pe. Nuno. Expliquei o que se passava e ele com muita boa vontade aceitou casar o Pedro e a Paula.
Vários anos após o casamento têm trocado correspondência e o meu sócio bem que me pode agradecer eu ter-lhe arranjado um futuro Bispo para o casar.

A outra história é mais pitoresca.
Um dia, ainda na idade da adolescência, quando se pensa que sozinhos conseguimos transformar o mundo, fiz uma lista de tudo o que me desagradava na minha paróquia de N. Sra dos Anjos, incluindo pessoas, comportamentos, hábitos, cerimónias, etc.. Preparei-me muito bem e fui ter com o Pe. Nuno no dia em que atendia as pessoas, numa salinha no interior da sacristia.
Comecei a descarregar a minha listagem e, com alguma arrogância e sobranceria fui enunciando uma após outra as minhas reivindicações.
Entretanto, ele ía ouvindo com um ligeiro sorriso nos lábios.
Ao fim quase de uns bons 10 minutos de discurso, guardei a cábula que trazia, dobrei-a e fiquei a aguardar de que forma é que ele iria descalçar a bota.
Ele fez um breve silêncio e disse-me "Miguel. Que a força não te saía toda pela boca !".
Eu não estava nada à espera e fiquei totalmente desarmado. Compreendi perfeitamente o que me queria dizer, despedi-me e lá fui com o rabinho entre as pernas.

Do que conheci, será um excelente orientador e um óptimo Bispo (quiçá futuro Cardeal Patriarca).

domingo, 9 de outubro de 2011

Monumentos de Portugal

Site indispensável para conhecer o rasto da história de Portugal

Monumentos. PT

sábado, 8 de outubro de 2011

The way ou "El camino"

"The way" é um filme realizado por Emilio Estevez, filho do actor Martin Sheen.
Neste filme, o próprio Emilio Estevez protagoniza o papel de filho de Martin Sheen, um médico reformado e acomodado.
O filho decide fazer uma peregrinação a Santiago de Compostela, a partir do sul de França, mas acaba por morrer no caminho.
O pai decide, então, levar as cinzas do filho até ao final da peregrinação, cumprindo, desta forma, aquela que seria a sua última vontade.
Pelo caminho, o pai interroga-se sobre a vida e o seu sentido enquanto se cruza com outros peregrinos que, por motivos diferentes, o acompanham na sua caminhada.


quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Despicable me

O juiz todo poderoso

"Criou-se esta ideia de que o juiz não é um ser humano como os outros, mas sim um ser humano especial, que tem uma dignididade especial intocável, invulnerável.

António Barreto. Boletim da Ordem dos Advogados nº 81/82, pág.47

"É frequente, em Portugal, o juiz ser um déspota na sala. A forma como muitos juízes tratam queixosos, arguidos e advogados é inaceitável"

Idem. Pág. 50

domingo, 2 de outubro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

Efeitos nos nossos empréstimos da crise do Euro


Recebi de um amigo e aqui reproduzo por poder ter algum interesse para a nossa vida económica:

Dada a situação económica na Grécia, que se entrar em bancarrota, pode provocar o mesmo noutros países como Portugal, e ter como consequência a saída de alguns países da zona Euro (podem ser tanto os mais ricos como os mais pobres), tive necessidade de saber que cenários podem ou não vir a colocar-se-nos.

Para isso necessitei do apoio de um consultor devidamente avalizado. Assim, só após uma conversa com um grande amigo e conselheiro económico, consegui perceber o que poderá suceder aos empréstimos (seja habitação ou outros) que estão indexados à taxa EURIBOR (independentemente de ser a 3, 6 ou 12 meses).

1. Quem tem a casa paga (ou não tem empréstimos indexados à EURIBOR), deve ficar quieto, não contrair nenhum empréstimo, e deixar-se estar na casa onde vive atualmente.
2. Quem tem empréstimos muito pequenos – Indexados à Euribor - (por exemplo 5000€) e tem a capacidade (liquidez) para os pagar, pode deixar-se estar descansado, e se as taxas de juro subirem, então deve pagar o resto do capital em dívida e saldar assim a totalidade do empréstimo, ficando desta forma englobado na situação do ponto 1 acima.
3. Para quem tem empréstimos relativamente elevados (e não tem de momento a capacidade de os liquidar) colocam-se duas situações consoante venham a sair da Zona Euro ou os países mais ricos ou os países mais pobres:
3.1. Se saírem os países mais ricos, então as Taxas Euribor passarão a ser definidas por um conjunto de Bancos dos países mais pobres, logo a EURIBOR subirá porque como sabem, nestes últimos países as taxas de juro estão bastante elevadas (a inflação também é superior), logo teremos prestações mais elevadas.
3.2. Há ainda uma outra nuance, que é o facto de a taxa de inflação poder subir bastante e como habitualmente o aumento da renda da casa é calculado com base na taxa de inflação, quem alugou casa, poderá ver as rendas subir bastante em resultado da subida da taxa de inflação.
4. Se saírem os países mais pobres, temos:
4.1. As taxas Euribor serão comandadas pelos países mais ricos, e até pode dar-se o caso de não subirem muito, ou mesmo de descerem. No entanto, neste caso os países mais pobres voltarão às moedas antigas. Pensem no nosso caso, em que voltaremos ao escudo. Imediatamente, dar-se-á uma desvalorização do escudo, pelo que (imaginemos que é de 30%), um Euro passará a valer 260$00. Como os empréstimos estão agora denominados em Euros e as prestações idem, quem tem uma prestação de 1000€, não ficará a pagar 200 contos, mas sim 260 contos.
4.2. Da mesma forma, se a renda de uma casa alugada for atualmente de 600€ (120 contos), para a mesma taxa de inflação de 30%, teremos uma nova renda de 120.000$00 * 1.3 = 156 contos.

É assim, a coisa parece estar preta, por isso, aconselho cautela em todas as decisões de despesa, empréstimo ou aluguer de casa.

Disclaimer: como sou leigo na matéria e não consigo prever o futuro, declino qualquer responsabilidade relativamente às decisões tomadas com base nas considerações acima.


AG

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O vento do amor

As Jornadas Mundiais da Juventude são uma experiência única e marcante para toda a vida a todos os que nelas já participaram.

Eu tive a graça de poder participar na II Jornada Mundial da Juventude, em 1989, em Santiago de Compostela.
Nestas jornadas ocorrem sempre situações engraçadas e que mostram também aquilo que nós os crentes acreditamos ser a presença de um Deus vivo.
Em particular, em Santiago de Compostela, na noite de sábado (19) para Domingo (20 de Agosto de 1989) a esmagadora maioria dormiu ao relento em cima de terra molhada, devido à geada que se fazia sentir e foi engraçado ver grupos de jovens que passaram a noite toda a cantar à roda de fogueiras e como os diferentes grupos interagiam entre si.
Lembro-me, em particular, do discurso improvisado que o Papa João Paulo II fez antes de se paramentar, quando o sol levantava a geada e nos disse que, depois de um temporal, vem sempre o Sol e que o Sol era, neste caso, Jesus Cristo, o caminho, a verdade e a vida que era, aliás, o lema dessa jornada.

Agora, em Madrid, diz quem lá esteve que existiram vários episódios curiosos e um deles ficou registado neste pequeno vídeo:
Quando alguém lia, de forma muito apelativa, à noite, a parábola da videira e da vide- uma das mais enigmáticas e impressionantes, repetindo as próprias palavras do Senhor Jesus, curioso para o que aconteceu, em particular quando o leitor repetiu, duas vezes, "Permanecei no meu Amor"
Ora vejam o que acontece no mínuto 2.09.


Inércia dos Procuradores do Ministério Público

Neste meu post há poucos meses atrás, critiquei a inércia de alguns procuradores do Ministério Público.

Agora, a propósito do caso da Madeira, é o Juíz Desembargador Eurico que o faz de forma contundente.
Eu sei que muitas vezes as condições de trabalho humanas e materiais não são as melhores, mas nem tudo tem justificação
Veja-se a notícia da RR:

Na opinião do juiz desembargador Eurico Reis, é natural que se estranhe eventuais omissões do Ministério Público. “Espera-se que investigue e investigue seriamente. As matérias atribuídas ao Tribunal de Contas têm a ver com o erário público e o erário público é o erário dos contribuintes e isso é muito grave. É natural que as pessoas estranhem, mesmo as mais informadas”, disse.

O juiz Eurico Reis diz que é necessário discutir as incapacidades reveladas pelo Ministério Público, e em particular o arquivamento de crimes públicos que ninguém controla. “O funcionamento do Ministério Público é merecedor de críticas e é um problema muito grave. Devem ser discutidas as dificuldades, as insuficiências e incapacidades de funcionamento do Ministério Público”, acrescenta Eurico Reis.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Centro Interpretativo de Aljubarrota

Nestas férias, estive no Centro Interpretativo de Aljubarrota que tinha, desde há muito, curiosidade em visitar.

O Centro exibe um filme de cerca de 20 minutos sobre o contexto, os preparativos da batalha e a própria batalha em si.
O filme feito e produzido em Portugal está muito bem feito, com particular destaque para a reconstituição de Lisboa, em computador, na época de 1383 com as muralhas Fernandinas a cobrir toda a zona onde fica hoje os restauradores.
Na cena da batalha, fica-se a compreender a razão pela qual alguns dos portugueses encarregues da logística e que se encontravam na retaguarda optaram por desertar:
- a configuração das tropas castelhanas em, pelo menos, 3 linhas, era verdadeiramente impressionante.
Repare-se que (segundo o filme), até ao final da batalha, quando os portugueses já a tinham ganho ainda estavam a chegar tropas castelhanas que procuravam contornar a retaguarda portuguesa.

Da exposição que se segue ao filme, fica-nos a constatação do horror das batalhas medievais, pela violência dos golpes.
Fiquei um pouco chocado com a conclusão a que os exames aos ossos encontrados chegaram no que diz respeito às marcas de mordidas de animais apresentadas, o que significa que os corpos ficaram ao ar livre abandonados por semanas, meses ou até anos

domingo, 4 de setembro de 2011

Castelo de S.Jorge


A cultura e arqueologia da Câmara Municipal de Lisboa estão de parabéns.

As escavações e consequente requalificação do castelo de S.Jorge, em Lisboa foram um sucesso.

Finalmente ir ao Castelo de S.Jorge não é só ir ver a bonita paisagem sobre Lisboa, mas também visitar o interior do Castelo antigo (Castelejo), do novo núcleo arqueológico com descobertas de um espaço urbano árabe e da Idade do Ferro e ainda um núcleo museológico muito interessante com fotografias do Castelo durante a demolição das habitações oitocentistas que existiam no seu interior, pedaços de cerâmica, moedas, etc.. das várias épocas que atravessaram o castelo.

Ao lado da parte velha do Castelo, existia o chamado Palácio da Alcáçova onde, desde D. Afonso Henriques até D.João V, os reis passavam parte do seu tempo.
Esse Palácio que, agora, se situa na zona do café, restaurante e museu do Castelo de S.Jorge, assistiu ao nascimento e morte de vários reis.
Embora, ao longo da história, tenha partilhado a preferência dos monarcas portugueses com outros palácios de Lisboa (tais como o Palácio de A-S.Martinho, da Ribeira- onde fica hoje uma das torres do Terreiro do Paço e do Palácio de Santos-o-Velho- hoje Embaixada de França, entre outros), mantém-se como referência e tradição do que foi palácio real de Lisboa.

Vale a pena visitar.

Entretanto, depois ou antes da visita, os visitantes pode comer em algum dos restaurantes e tasquinhas que circundam o Castelo e onde, em geral, se come bastante bem. Destaco, entre outros, o Café Galeria "Verdeperto", na rua do Chapitó, da Costa do Castelo, nº26, com a vantagem de lá ter aberto recentemente um parque de estacionamento mesmo nas traseiras do Largo do Caldas (onde fica a sede do CDS/PP), o que facilita a vida a quem queira lá ir.
P.S.- Tenho dúvidas que seja mesmo necessário manter uma empresa municipalizada só para a área da Cultura, na Câmara de Lisboa, a EGEAC. Em face da contenção de despesas, acredito que uma boa divisão de cultura faria exactamente o mesmo papel, com menores gastos e maior aproveitamento e optimização dos recursos humanos.

sábado, 3 de setembro de 2011

Justiça e Misericórdia

Já dizia alguém que a Justiça deve ser sempre temperada com o doce e suave sabor da Misericórdia.

Veja-se aqui um pequeno e interessante trabalho sobre "Justiça e Misericórdia(s)" no tempo de D. Manuel I

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Lá como cá, os mesmos problemas

Nos Estados Unidos, a avaliação de professores e o seu despedimento colectivo são também, tal como cá, um dos pontos da ordem dos dia...

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Processo dos Távoras

Por curiosidade, no outro dia, encontrei uma tese de doutoramento deste ano de uma brasileira sobre o processo dos Távoras.



Dizia-se que parte do processo se teria extraviado e, ao que parece, terá sido levada pelo rei D. João VI para o Brasil e por lá ficou.



A tese parece-me exaustiva e interessante até porque, no processo de revisão, são invocados vários argumentos jurídicos para repudiar o uso da tortura nos interrogatórios criminais.

Está disponível em pdf neste link

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Palácio dos Duques de Aveiro em Abiúl



A propósito deste meu post onde falei do Palácio dos Duques de Aveiro, em Abiúl, concelho de Pombal que foi parcialmente destruído como castigo do "atentado" contra o Rei, deixo aqui (a pedido de um leitor) 2 fotos:

- Um link com a foto do que resta de um dos nichos da capela.

- Foto da casa que foi reconstruída pela minha bisavó (e que, neste momento, eu e o meus irmãos temos à venda) com base nos alicerces e de partes das paredes do anterior palácio que se encontrava em ruinas e que serviu, antes, de armazém destinado a comércio.

- Deixo aqui também uma foto do terreiro que compunha o complexo do palácio de André de Sousa Coutinho que, mais tarde, por herança, como se disse integrou o vasto património dos Duques de Aveiro. O complexo do Palácio que tem origem no século XVI é aberto e fechado por arcos manuelinos que a delimitavam.

P.S.- Para mais fotos sobre Abiúl aqui fica outro link

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Os desvarios de quem não dorme


Crianças e adolescentes portugueses só dormem metade do que precisam

Reportagem do Público

domingo, 24 de julho de 2011

Os efeitos da privação do sono


"(o sono) participa na recuperação de eventuais lesões orgânicas do cérebro ou na defesa contra agentes patogénicos"
In "O Sono- Efeitos da sua privação sobre as defesas orgânicas". Ângelo Soares. Lidel. Página 19.

"A falta de sono, da mesma forma que a persistência de noites sucessivas sem um sono reparador, conduz a situações clínicas potencialmente graves e com consequências assustadoras.

Tentar reduzir as horas destinadas ao sono, além de provocar um esforço contra a própria natureza, representa uma violência que se paga cara em termos de saúde mental ao nível da criatividade artística, da concentração científica ou da imaginação abstracta, mas também da própria saúde física porque as ligações ao sistema imunitário estão sempre presentes".

Idem. Página 33.

domingo, 17 de julho de 2011

O dia mais feliz

Há poucos dias atrás faleceu uma prima minha que, apesar de afastada, era quase como uma 2ª mãe para mim.
Dedicou a sua vida aos outros, como professora do ensino primário. Era solteira e vivia sozinha.
Tal como à Dra Maria José Nogueira Pinto, o cancro do pâncreas levou-a na madrugada do passado dia 14 de Julho.
Umas semanas antes, ainda consciente, pode receber a Extrema-Unção ou também chamada Unção dos Enfermos, acompanhada de confissão e comunhão. O padre Cupertino, de Portimão, foi visitá-la a casa e deu-lhe essa benesse. Disse a minha prima que, à beira da morte, esse foi o dia mais feliz de toda a sua vida.
A este propósito, lembrei-me de uma passagem do Papa Bento XVI sobre o que significa pertencer à Igreja Católica. Diz o Santo Padre que um baptizado é ser inserido "numa companhia de amigos que nunca a abandonará na vida, nem na morte (....), acompanhá-la-á sempre, também nos dias de sofrimento, nas noites escuras da vida; dar-lhe-á consolo, conforto e luz".
Bento XVI, 8 Janeiro de 2006

terça-feira, 12 de julho de 2011

A Alma Conservadora

Há uns dias atrás, acabei de ler "A alma conservadora" de Andrew Sullivan, um "católico" homossexual e seropositivo.

Embora existam partes interessantes, em geral, o livro mostra a mente tortuosa e contraditória de Sullivan: Ora exulta a Missa e a Comunhão eucarística, ora ataca a Igreja Católica, o Papa e divaga, em tentativas de justificação moral do aborto, da eutanásia e da homossexualidade.

Para mim, parece-me mais um penetra do lobby gay a tentar infiltrar-se na direita para aí, defender as suas posições.

Será certamente um bom livro para "conservadores" como Teresa Caeiro.

A apologia do relativismo que faz em todo o seu livro, não me atraí e sinceramente parece-me muito pouco própria de uma "alma conservadora".

Enfim. Se eu soubesse não teria perdido, nem tempo, nem dinheiro com este livro de propaganda.

Restam, como disse, alguns excertos muito interessantes sobre o valor da Eucarístia e da comunhão que são muito apelativos.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A tradição de serviço público na família de Maria José Nogueira Pinto

A recém-falecida Maria José Nogueira Pinto tem na sua família um historial de serviço ao país e a coisa pública.

Era descendente, por via de seu pai de Diniz de Melo e Castro, o 1º Conde das Galveias.

Heróis da guerra da restauração, vice-reis da Índia e do Brasil.

Já vem de família e Maria José Nogueira Pinto honrou ainda mais a sua ascendência, acrescentando-lhe novos feitos e um grande exemplo.

Último texto de Maria José Nogueira Pinto



Vale a pena ler este testemunho de vida que é, ao mesmo tempo, um testamento deixado a todos nós.

Aqui

Fonte da foto: Caras

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Ser caloteiro compensa


Em Portugal, com o estado deplorável em que a Justiça se encontra, vale a pena ser caloteiro e até cometer crimes contra o património.

Em regra, vigora nos tribunais, em particular nas fases de inquérito, a chamada "lei do menor esforço".
Estou-me a referir a casos de criminalidade onde o património das pessoas é prejudicado por práticas ilícitas.
As insolvências dolosas, isto é, esvaziar uma sociedade, transferindo o seu activo para lugar seguro e deixando ficar as dívidas são o pão nosso de cada dia e os tribunais quase sempre são incapazes de promover a investigação dos factos e a a respectiva responsabilização.

O Procurador do Ministério Público deveria ser alguém dinâmico, activo e com ânsias de apuramento da verdade, mas infelizmente nem sempre é isso que acontece, também por falta de meios, é certo.
Mas a falta de meios não justifica tudo e há certos despachos de arquivamento que são verdadeiramente de pasmar.

Eu próprio, posso rapidamente chegar a mão a 3 ou 4 processos concretos que são de ficar de boca aberta.

Enfim, talvez a introdução da avaliação dos operadores judiciários contribua para alterar esta péssimo estado de coisas...

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Um Deus que dança

Na senda do diálogo entre cultura e fé que o Padre e poeta Tolentino tem vindo, de forma tão excelsa, original, pioneira e diligente, a promover destaque-se o seu último livro "Um Deus que dança" que nos fala de outro mistério, a oração, que é ao mesmo tempo um desafio a todos nós.

Vejam a reportagem que está muito interessante

terça-feira, 28 de junho de 2011

terça-feira, 21 de junho de 2011

Casas valem o valor da avaliação do banco

Se estas 7 sentenças começarem a fazer jurisprudência nos tribunais superiores, vai ser uma autêntica revolução nos tribunais...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

A Vila Cosmopolita

A reportagem radiofónica "A Vila Cosmopolita", da Antena 1, é uma autêntica obra-prima do jornalismo radiofónico; um excelente trabalho de reportagem e montagem da autoria dos jornalistas Cristina Pinto e Luis Rocha sobre a diversidade cultural e a integração social de estrangeiros residentes no concelho de S.Brás de Alportel.

A primeira vez que a ouvi, vinha a conduzir, de carro, entre S.Brás de Alportel e Faro e encantou-me logo pela sua qualidade e pela forma tão fidedigna como consegiui reproduzir aquilo que efectivamente se sente neste concelho: um espírito forte de solidariedade e comunidade.

Lembro-me que poucos dias depois comentei este facto com o presidente da comissão política concelhia do PSD e agora fiquei a saber que esta reportagem foi objecto de um (mais do que merecido prémio).

Na impossibilidade de a reproduzir aqui na íntegra, deixo um pequeno excerto que encontrei no You Tube.

E se engravidasse do seu namorado ?

domingo, 19 de junho de 2011

Propriedade privada: Entre o privilégio e a liberdade

Acabei este fim de semana de ler o livro "Propriedade privada: Entre o privilégio e a liberdade", de Miguel Nogueira de Brito, da colecção "Ensaios da Fundação" Francisco Manuel dos Santos.

Em geral, devo dizer que achei o livro intragável. Mesmo para mim, jurista, o livro é muito maçador, perdendo-se em labirintos teóricos com pouca ou nenhuma utilidade prática.

Há um excesso de precupação pela necessidade de apresentar definições e hipóteses de qualificação ou entendimentos sobre a natureza jurídica de certas situações.

É um pesadelo muito chato de ler. Isto sem demérito para o seu autor que me parece um jurista muito esforçado.

Mas, de facto, nos dias de hoje, uma das causas da crise do Direito e da Justiça é precisamente o tempo que se perde com teorizações e sistematizações que, na prática, servem para muito pouco.

Resta salientar, de positivo, o último parágrafo do livro que resume algo que me parece óbvio e redundante, mas que talvez fosse bom relembrar sobretudo aos adeptos do Bloco de Esquerda e do PCP :

"(...) que o princípio da comunidade corresponde ao ponto a partir do qual a função social da propriedade deixa de incumbir ao legislador e passa a constituir um imperativo ético individual" (Pág. 128).

sábado, 18 de junho de 2011

O efeito da crise económica e da justiça nos advogados




Cada vez mais, tanto eu, como a esmagadora maioria dos meus colegas, nos queixamos de que, com a presente crise económica e da Justiça:




- Trabalhamos mais, porque há mais casos de insolvências, dívidas não pagas, créditos por executar, penhoras, crimes relacionados com falta de pagamentos de IVA e à Segurança Social, etc...




- Trabalhos por menos preço, porque a maioria dos nossos clientes são pessoas que estão a atravessar dificuldades financeiras e económicas e, mantendo a necessidade do recurso a um advogado, não têm com que o pagar. Com a agravante da Segurança Social, neste momento, estar a rejeitar e a indeferir a esmagadora maioria dos pedidos de protecção jurídica e apoio judiciário o que obriga pessoas pobres a terem que ir a tribunal como se de pessoas ricas se tratassem..




- Trabalhamos também por menos dinheiro porque sabemos que a relação custo/eficácia é desfavorável uma vez que os tribunais e a Justiça só funcionam, cumprindo o objectivo para que foram criados, por mero acaso ou ou coincidência rara de factores.


Por outras palavras, eu pelo menos, não me sinto à vontade de pedir grandes quantias por algo que sei que é uma roleta russa, onde até a causa judicial mais sólida pode descambar em nada (com a agravante de terem que se pagar custas astronómicas por se ter sequer ousado ir a tribunal). Infelizmente, o sistema judicial actual, da forma como está a funcionar não nos permite assegurar que numa situação normal "2+2 são 4" e eu pelo menos não me sinto à vontade por cobrar quantias por processos (mesmo os sólidos) em cujo desenlace prático eu próprio não ponho as mãos no fogo.




É o resultado do estado deplorável a que a nossa Justiça chegou.


Espero que a nova ministra da Justiça que conhece bem as deficiências internas deste sistema, tenha coragem e os meios para alterar o que tem de ser alterado.




segunda-feira, 13 de junho de 2011

Mudar mentalidades em Portugal

"(...) Poderemos então ver as pessoas a serem voluntariamente pontuais, vestirem-se condignamente para atenderem os seus clientes, atenderem os telefones quando eles tocam em vez de os deixarem tocar, responderem aos mails e à cartas atempadamente, reclamarem polidamente os seus direitos sem abusarem deles, colocarem os seus deveres à frente dos seus direitos, pagarem lealmente os seus impostos quando eles não forem devorados pelo despesismo corporativo, respeitarem gentilmente a lei quando ela se fizer respeitar com celeridade.
Essa é a disciplina da liberdade: a disciplina do trabalho, da poupança, do investimento, servindo os outros e ao mesmo tempo tentando melhorar a nossa própria condição"


João Carlos Espada

Público 13 de Junho de 2011


Comentário:

Há quem diga que a nossa maneira de ser está relacionada com as nossas idiossincracias, em particular, os efeitos do clima. Por isso, os europeus do sul seriam mais desordenados e desleixados e os do centro e norte da Europa mais trabalhadores, mais metódicos e organizados.

Mudar este contexto pode ser difícil, senão mesmo impossível, mas nada que não se pudesse tentar.

domingo, 12 de junho de 2011

Aqui reside a autoridade da Igreja Católica



Quando se fala da crise de vocações, veja-se esta reportagem com um jovem e bem parecido frade que se lança no meio da selva timorense no apoio aos mais pobres dos pobres, tuberculosos e deficientes mentais.

sábado, 11 de junho de 2011

Sobre a importância do descanso em S. Tomás de Aquino


«Assim como o homem precisa de repouso para refazer as forças do corpo, que não pode trabalhar sem parar, pois tem resistência limitada, proporcional a determinadas tarefas, assim também a alma, cuja capacidade também é limitada e proporcional a determinadas operações. Portanto, quando realiza certas atividades superiores à sua capacidade, ela se desgasta e se cansa, sobretudo porque nessas atividades o corpo se consome juntamente, pois a própria alma intelectiva se serve de potências que operam por meio dos órgãos corporais. Ora, os bens sensíveis são conaturais ao homem. Por isso, quando a alma se eleva sobre o sensível para se dedicar a atividades racionais, gera-se aí certa fadiga psíquica, seja nas atividades da razão prática, seja nas da razão especulativa»


In 2º artigo da Questão 168 da parte II-II, da Summa theologica, de S.Tomás de Aquino

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Alertas ao novo governo PSD/PP


Por fim, o país viu-se livre do PS de Sócrates e temos, de novo, uma maioria de direita no governo. Em teoria, todos nós deveríamos aprender com os erros do passado para que possam ser evitados no futuro. Mas, infelizmente, po regra, não é isso que acontece. O que se fez mal no passado é muito provável que volte a passar-se no futuro porque a carne é fraca e as tentações são muitas. A este propósito recordo que também o PSD e o CDS/PP estiveram associados a fenómenos de clientelismo político, muitos e abastados jobs for the boys, suspeitas de financiamento ilícito dos partidos, etc., etc.
Sucede que, como disse e bem o prof. Marcelo Rebelo de Sousa, este próximo de governo tem de ser o melhor, em termos de competência e rigor, desde o 25 de Abril e dos melhores desde a fundação de Portugal. Assim sendo, existem uma série de questões que, a meu ver, devem ser enfrentadas e resolvidas de forma corajosa doa a quem doer:
1)A ideia de que um “tacho” no sector público é o melhor que poderá acontecer a alguém porque garante estabilidade com pouco trabalho e altas compensações deve ser substituído pela ideia de que o melhor é estar no sector privado, a contribuir para o aumento da riqueza nacional, promovendo actividades que enriquecem o país e agindo de forma livre na sociedade civil, sem estar dependente ou condicionado por compadrios ou grupos mais ou menos sinistros (Neste sentido dou aqui o péssimo e vergonhoso exemplo que PS e PSD deram, aqui no Algarve, na luta pelo cargo vago na Algar. Vergonhoso e deplorável !)..
2) Os cargos devem ser atribuídos de acordo com o mérito e a competência técnica de cada um e só muito excepcionalmente é que devem ser atribuídos aos “boys”, e aqui apenas nos casos dos cargos em que, além da competência técnica, seja fundamental uma preponderante componente de confiança política. (Veja-se o caso da TAP que só começou a melhorar a sua situação quando em vez de “boys” se foi buscar, ao Brasil, um técnico reputado, experiente e altamente competente).
3)Promover a união e a concertação. Hoje e sempre, a gestão de recursos humanos é muito, muito complicada porque cada pessoa age e pensa de forma diferente. Se já num casamento, entre 2 pessoas, por vezes, o relacionamento é complicado, imagine-se num governo com centenas de pessoas e, ainda pior, numa coligação com pessoas de partidos diferentes. Por isso, há que agir com bom senso e com um forte sentido de Estado, sabendo obedecer e secundar aqueles que estão em melhores condições para decidir.
4)Por fim, há que aproveitar, para em parceria com o novo PS e com os parceiros sociais, alterar a Constituição e o regime político-administrativo (extinguir os governos civis, atribuir lugares vazios, na AR, aos votos em branco, reduzir o nº de deputados, reforçar os poderes e independência dos orgãos de supervisão, etc.) e reformar, de vez, a Justiça que se encontra num estado miserável.
Chegámos ao fim da linha. Por isso, não podemos, de todo, perder esta última oportunidade.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Como funciona a manipulação política do PS

Aqui, escrito por quem sabe do que fala

No dia da criança, as virtudes da família



Já sabemos que neste DIA 1 de JUNHO todos falarão das Crianças!



Em vésperas de eleições, será certamente arma política para alguns, que não deixarão de as beijar e festejar em público para aparecerem nas televisões e ficarem bem nas imagens! Ouviremos as habituais promessas vãs de bem-estar e protecção, palavras vazias de circunstância e veremos balões e presentes a serem distribuidos, a troco do sorriso fácil das crianças. Nos recreios das escolas, como sempre, ecoarão os risos de meninos e os mais bonitos e espertos serão filmados nas suas brincadeiras, ou em sábios discursos, quando mais crescidos.

Mas para outros, porventura não-políticos, será também dia de manifestar dor e indignação, pois não podem calar a verdade real do aborto, perante uma sociedade cega, manipulada, enganada e guiada por cegos, que só vêem e compreendem o que querem ver e compreender...e nada querem ouvir.



Disse o Poeta que “ o melhor do mundo são as crianças”, dizem as mulheres que não conseguem ter filhos “ eu dava tudo para ter um filho”, e “Conseguimos! vamos ser Pais, que maravilha!” dizem os casais à 1ª análise e à 1ª eco das 6-13 semanas...quando finalmente conseguem a gravidez tão desejada...



Simultaneamente porém, assistimos a realidades bem diferentes:

- Mais de 19,6 milhões de euros já foram gastos pelo Estado português a pagar abortos, usados como anti-conceptivos desde a sua despenalização...

- mais de 15.000 crianças abandonadas, ou retiradas a famílias problemáticas, estão neste momento institucionalizadas, mas gostariam de ter uma família e não têm, nem vão ter, na sua maioria...

- mais de 65% de casais divorciam-se anualmente, nestes últimos anos de que há notícia, deixando atrás de si, um rasto de sofrimento e traumas entre os filhos...

- foram-nos prometidos 150.000 novos postos de trabalho ainda não há muito tempo, e acabamos de mão estendida à Europa e América, com mais de 750.000 desempregados, quantos deles pais e mães de família a passarem muito mal neste momento...



Por isso neste Dia da Criança, a APFN convida-vos a todos, com ou sem família numerosa, a verem o seu novo video e a reflectirem!



É hora de inverter estas situações!



Cada um de nós pode fazer alguma coisa no seu pequeno metro quadrado de acção! Podemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes.



Comecemos pelo namoro e pelo diálogo em casal.



Preparemo-nos para resistir às dificuldades em casal. Não nos separemos aos primeiros desacordos e dificuldades. Aprendamos a comunicar. Sejamos solidários. Amemos melhor os nossos filhos! Merecem-no!



Famílias mais felizes transformarão uma sociedade cinzenta e triste numa sociedade mais alegre e mais saudável!



Apostar na Família é construir o Futuro!


Lisboa, 1 de Junho de 2011



APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Rua José Calheiros, 15

1400-229 Lisboa

Tel: 217 552 603 - 919 259 666 - 917 219 197

Fax: 217 552 604

A importância do sono

Las alteraciones de sueño son uno de los problemas de salud que más preocupan a la población. De hecho, un 40% de las personas tiene problemas de sueño en algún momento de su vida.


A pesar de que a veces no le demos importancia, dormir es fundamental para que muchas funciones fisiológicas se llevan a cabo correctamente como el crecimiento, la inmunidad o la memoria.


Dormi bien es fundamental para vivir mejor.


Ver mais aqui

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Último boletim do PSD São Brás de Alportel

Disponível, on line, aqui

O voto (in)útil

Nestas eleições legislativas de 2011, quer-se queira, quer não, quer-se goste, quer não, uma coisa é certa:

- Quem votar no Bloco de Esquerda, estará (indirectamente) a votar no PSD.

- Quem votar no Partido Popular, estará (indirectamente) a votar no PS de Sócrates.

domingo, 29 de maio de 2011

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Site PSNAO.Org


http://www.psnao.org/


A plataforma “PS NÃO!” pretende alertar todos os portugueses para os perigos de um novo governo PS, liderado por José Sócrates, vir a tomar posse, como resultado das próximas eleições.

Apresentamos vários estudos, análises e artigos de opinião, que cobrem diversas áreas, que permitirão verificar, de uma forma muito clara e transparente, o estado de desgoverno a que este executivo levou o país, consubstanciado no 3º pedido de ajuda ao FMI.


Estamos de tal forma preocupados com o perigo que um novo executivo PS acarretaria para o país, que a nossa máxima é: com o PS estoira mesmo. Assim, sugerimos que decida de acordo com as suas preocupações e critérios pessoais, e dentro da sua consciência vote em qualquer partido, menos no PS.




P.S.- Vejam também o site

http://socratesleaks.blogspot.com/

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Site sobre património histórico português

O SIPA – Sistema de Informação para o Património Arquitectónico é um sistema de informação e documentação sobre património arquitectónico, urbanístico e paisagístico português e de origem ou matriz portuguesas gerido pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P. (IHRU).

Contém informação detalhada sobre o nosso património histórico, tal como se pode ver, por exemplo, aqui.

domingo, 22 de maio de 2011

Sobre a vontade



Não sei se já repararam, mas quando me refiro ao "Pudim", aqui neste blogue, estou-me a referir à vontade humana.

É muito interessante porque, mais do que o poder do conhecimento, o homem é mais condicionado pelo poder da vontade ou falta dela.

Sobre esta temática, nos últimos tempos, destaco alguns trabalhos interessantes de Hannah Arendt com alguns comentários que se poderão encontrar aqui e aqui.

Porém, atravé da VER, encontrei isto:

Em “Out of Character: Surprising Truths about the Liar, Cheat, Sinner (and Saint) Lurking in All of Us”, os responsáveis pelo estudo agora publicado em livro, David DeSteno e Piercarlo Valdesolo, argumentam que a visão tradicional que temos do carácter – ilustrada comummente pelo anjinho e diabinho alojados nos nossos ombros e cuja “voz” de um ou de outro escolhemos ouvir – está plenamente errada. Em termos neuronais e para estes dois investigadores, o carácter é um produto em flutuação constante devido a impulsos beligerantes no cérebro, sendo que uma das “facções” se concentra em recompensas de curto prazo e a outra nas de longo curso. Ou seja, em termos muitos gerais, esta guerra não tem necessariamente a ver com os conceitos de bem e de mal, mas sim com a situação ou com o momento em causa.

“Existe uma tensão inerente na mente, tanto ao nível consciente como inconsciente, entre os desejos para objectivos de curto e longo prazo”. Ou seja, para explicar o seu argumento, o investigador pede que não se pense na distinção entre o bem e o mal mas, ao invés, em coisas que “me servem bem no curto prazo ou que me podem servir melhor a longo prazo”. E é no equilíbrio destas duas variáveis que o nosso carácter pode ser afectado, o que significa que cada um de nós pode ter acessos de “mau carácter” mais vezes do que julgaríamos possível.

Sócrates arruinou o país



Nesta campanha eleitoral, convinha colocar em destaque o seguinte argumento que é muito importante e que vejo pouca gente (ou quase ninguém) a falar dele:

1) Se Manuela Ferreira Leite que, em finais de 2009, não tinha total acesso às informações macroeconómicas do país, já nessa altura dizia que se tinha de avançar, com urgência, para medidas estruturais e de contenção, por maioria de razão o governo PS também saberia dessas carências porque teria acesso privilegiado às informações .

2) E, se, ainda assim, Sócrates, sabendo das dificuldades do país, optou por baixar o IVA, aumento salários e aumentar subsídios agravando ainda mais o déficit, fê-lo porque quis ganhar as eleições, independentemente dos prejuízos que tais medidas populistas iriam causar ao país.

3) Trata-se, portanto, de uma actuação dolosa e intencional propositadamente executada sem qualquer preocupação pelo estado em que o país ficaria.

ISTO TEM QUE SER DENUNCIADO E NÃO VEJO NINGUÉM FALAR SOBRE ISTO, NEM O PASSOS COELHO, NEM O PAULO PORTAS.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Vivahávida lança concurso para spot próvida



(Clique para aumentar)

A Associação VIVAHÁVIDA promove a 2ª Edição do Prémio VIVAHÁVIDA com o seguinte slogan:

Missão: Salva o bebé!

Pretende-se premiar o conteúdo (em filme, audiovisual, texto, ou simplesmente gráfico) que contribua para:

- ajudar uma mulher com dúvidas a levar a gravidez até ao fim;
- estimular uma atitude de respeito e amor perante cada nova vida humana;
- uma perspectiva responsável da sexualidade humana.

Destinatários: Todos os jovens com idade compreendida entre os 14 e os 25 anos inclusive.
Data Limite: 15 de Setembro de 2011.

Prémio: O Prémio distinguirá o melhor trabalho posto a concurso e terá um valor de 1.500 Euros.

para informações: vivahavida@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
http://www.vivahavida.pt/

domingo, 8 de maio de 2011

Ok Eu Voto

É preciso castigar Sócrates

"(...) estou convencido que o primeiro-ministro, José Sócrates, não está à altura, não é capaz de contribuir para as soluções futuras".

"Quando anunciou os resultados das negociações fez uma coisa extraordinária que foi dizer o que não está no acordo e não anunciou o que estava".

" (...)estou convencido que o primeiro-ministro, José Sócrates, precisa de ser muito, muito severamente castigado e a melhor maneira de o castigar é através da via eleitoral. Ele necessita de ser muito severamente castigado porque ele é pessoalmente responsável pelo mau estado a que Portugal chegou, as finanças públicas e o Estado".

"Creio que ele não ajudará, nem fora, nem dentro, a nenhuma solução das soluções necessárias e importantes para o país".

Está a dizer que o primeiro-ministro quase levou o país à bancarrota para defender interesses pessoais?

Para defender interesses pessoais e partidários.




Entrevista a António Barreto ao jornal "i"


sexta-feira, 6 de maio de 2011

Denunciar factos é preciso !!!



«Se a ajuda tivesse sido solicitada mais cedo, o programa seria menos doloroso». Juergen Kroeger, da Comissão Europeia, admitiu esta quinta-feira «algumas áreas poderiam sofrer medidas menos restritivas» caso o Governo tivesse recorrido ao resgate anteriormente.

Kroeger sublinhou ainda que o trabalho de consolidação orçamental «deveria ter começado mais cedo»,




Poul Thomsen fez questão de apontar que «já havia medidas desenhadas pelo Governo, que eram um bom ponto de partida, mas faltava-lhes especificidade». «As medidas orçamentais não eram tão concretas e, por isso, o objectivo não estava a ser conseguido



Fonte: Agência Financeira


SERÁ PEDIR MUITO A PASSOS COELHO E À SUA EQUIPA DE MARKETING QUE, NA CAMPANHA ELEITORAL, RECORDE AOS PORTUGUESES ESTES FACTOS ????


P.S.- Depois de Sócrates ter dito que não governava com o FMI, mas, no entanto, se ter apresentado a candidato já depois do FMI aí vir; depois de Sócrates ter dito que a vinda do FMI seria uma desgraça para o país; depois de Sócrates há poucos dias atrás ter dito que, afinal, o acordo com o FMI é excelente, veio, pouco depois, a troika e o Ministro das Finanças falar das medidas austeras e de uma previsão (por defeito) de 13% de desemprego.


Pergunta:


-É o Primeiro Ministro que vive no mundo da fantasia ou ele está mesmo convencido que somos todos burros ??





quinta-feira, 5 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Eu e o Beato João Paulo II

(Clique na imagem para aumentar)

Eu e o Beato João Paulo II, no estádio do Restelo, em Lisboa, no ano de 1991

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Nivelar por baixo não, promover competências sim

"(...) as virtudes morais são essenciais para a sustentação da liberdade. Sem autocontrolo, sem capacidade de diferir a gratificação, sem atenção à sorte do outro, a liberdade é ameaçada pela desconfiança mútua, pela indiferença, pela crueldade.

A prazo, a anomia, ou ausência de regras de conduta cívica partilhadas, dará lugar à insegurança colectiva e esta à descrença na liberdade".


Director do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa; titular da cátedra European Parliament/Bronislaw Geremek in European Civilization no Colégio da Europa, Campus de Natolin, Varsóvia

Público, 2011-05-02 João Carlos Espada

domingo, 1 de maio de 2011

Vito Bonifacci

No dia em que começa o mês das flores e em que João Paulo II é proclamado como exemplo de Santidade, aqui fica o trailer de um filme estranho:

Um homem bem sucedido na vida, questiona o seu destino por causa de um pesadelo, interroga-se e arrisca a fé.

Será por cobardia ou será genuíno ?


sábado, 30 de abril de 2011

Um recado do Papa João Paulo II à Igreja Católica Portuguesa

Uma vez explicou-me de modo simples porque viajava tanto:

"Antes as pessoas íam às paróquias.
Agora é o pároco que tem que ir visitar as pessoas".

Joaquin Navarro-Vals
Daqui

quinta-feira, 28 de abril de 2011

A constituição revista

Contributo importante para uma proposta de mudança de regime constitucional, aqui

terça-feira, 26 de abril de 2011

A reforma da Justiça

"(...) temos um Código de Processo Civil desnecessariamente complicado, com artigos a mais.
Enquanto não houver coragem para arranjar um código com 200 artigos, vai demorar estes anos todos (...).
(Quanto aos juízes), as pessoas são ensinadas a olhar para os processos como mais um caso e não vêem a situação concreta, embora haja juízes que o façam.

Juiz Desembargador Eurico Reis
in Correio da Manhã de 14 de Fevereiro de 2011

*************************************************************************************

Qual é então a base do problema (da Justiça)?

Está a dois níveis.

Por um lado, uma cultura jurídica que não está orientada para a cidadania, para servir o cidadão.

Por outro lado, há um problema gravíssimo de gestão. Temos muito desperdício de espaço, de tempo e sobretudo muito pouca racionalidade na forma como os meios são distribuídos. Temos tribunais absolutamente lotados e ao lado pode estar um tribunal com muito menos processos. A nossa cultura jurídica serve os interesses burocráticos da própria administração da Justiça, não os dos cidadãos. Todas as reformas e toda a construção judicial são feitas a partir de quem legisla sobre a justiça ou faz justiça e não de quem a pede.

Como é que se muda um comportamento tão enraizado?

Não é só a cultura jurídica dos portugueses. É a cultura continental muito formalista, tecnicista e burocrática. Normalmente isto é misturado com uma retórica muito grande sobre a garantia dos direitos dos cidadãos, que não estão a garantir coisa nenhuma. Porque obviamente uma justiça atrasada é uma justiça negada. Temos problemas semelhantes, talvez não tão graves, em França e na Itália. Mas há outra cultura jurídica, a anglo-saxónica, que tem outra concepção: o cidadão quando mete uma acção em tribunal sabe exactamente o seu início e também quando termina. Nos tribunais norte-americanos os prazos são cumpridos.

Boaventura Sousa Santos
In Público

Conselhos práticos e concretos sobre como dormir bem



Muitas atitudes e hábitos podem interferir no seu sono. A maioria das dicas abaixo é pura aplicação do senso comum, mas (não surpreendentemente) muitas pessoas com dificuldades relacionadas ao sono ou ao horário de acordar não as seguem.






Vamos a elas:

Tenha horários regulares:



não precisa cronometrar, nem transformar isto em obsessão (que poderia até ter o efeito contrário), mas o hábito facilita a criação de um ciclo saudável de sono. Neste sentido, se você está acostumado a ir dormir às 23h30 e acordar às 7h30, é muito provável que algumas noites seguidas ficando até um pouco mais tarde assistindo TV, ou algumas manhãs seguidas ficando na cama até mais tarde irão desregular o ciclo a curto prazo, causando diretamente problemas nos dias seguintes. Se você tem tido dificuldade regularmemte para dormir, tente observar os horários de deitar com mais atenção.



Adote hábitos saudáveis:



Alimente-se bem, faça exercícios. Pessoas que fazem exercícios regularmente tendem a dormir mais profundamente. Mas isso não quer dizer que você deve fazer qualquer uma dessas 2 coisas imediatamente antes da hora de dormir, pois torna-se mais difícil relaxar e a qualidade do sono é reduzida. Exercite-se *antes* de jantar, e pelo menos 3h antes de dormir. O que evitar ingerir antes de dormir: refeições “pesadas”, cafeína, nicotina e álcool.




Coma algo leve:



Refeições completas antes de dormir estão proibidas, mas dormir com fome também é um obstáculo. Coma uma fruta, meia tigela de sucrilhos, um copo de leite, ou o que fizer bem a você.
Seja persistente mas não exagere: Ficar na cama mais do que 40 minutos sem conseguir dormir pode acabar sendo contraproducente. Levante-se e escolha alguma atividade relaxante ou tediosa. Para mim, tomar um banho quente funciona bem, mas para outras pessoas o banho está associado ao ato de acordar, e deve ser evitado. Leia um livro, dobre roupas, ouça música calma, faça um chá (o ato de esperar a água ferver, sem ter mais nada para fazer, pode ajudar também). Resista à tentação de ligar a TV ou o computador.




Não tenha picos de concentração antes de dormir:



Não execute atividades complexas antes da hora de ir deitar. Você não conseguirá dormir facilmente logo depois de executar cáculos complexos ou planejar as finanças da família. Se você conhecer técnicas de relaxamento, meditação, exercícios respiratórios, etc., pratique-os! Senão, adote atitudes que você sabe que lhe ajudam a relaxar. Esvazie o buffer: Se você não está conseguindo dormir porque está com um problema ou idéias na cabeça, levante-se, saia do quarto e anote um sumário de suas idéias em um papel. E não o traga para o quarto! Ao retornar, procure não pensar mais no assunto, pois você já garantiu que poderá continuar amanhã.




Associe a cama ao sono:



Não assista TV nela (especialmente antes de dormir), não leve o notebook para o quarto, evite até mesmo ler deitado nela. Se você já tem o hábito de ver TV na cama, mas ultimamente tem tido insônia, tente passar uns dias sem ligar a TV no quarto.

Capriche nos equipamentos:



Um quarto confortável é um facilitador do sono. Vire seu colchão regularmente, elimine desníveis e rangidos, tenha lençóis e fronhas confortáveis, troque-os com regularidade suficiente, tenha um despertador que permita dormir sem a preocupação de que irá perder a hora, ajuste a temperatura como necessário para ter conforto térmico. Evite iluminação desnecessária: Uma boa cortina ou blackout é um investimento na qualidade do sono – luz do ambiente externo pode ser um fator importante para atrapalhar o sono. Se você tem aparelhos eletrônicos no quarto, desligue todos. Os leds dos computadores, estabilizadores, impressoras etc. produzem luz suficiente para atrapalhar.

Ruído branco:



Caso os sons externos (trânsito, vizinhos, animais, etc.) estejam atrapalhando seu sono, procure cancelá-los com ruído branco produzido intencionalmente por você. Um ventilador apontado para a parede produz um som constante, por exemplo. Existem CDs de sons da natureza (vento soprando, chuva caindo, etc.) geralmente usados para compor ambientes para meditação, mas que também podem servir muito bem para cancelar o barulho que externo que impede que você pegue no sono.

Não durma durante o dia:



uma sesta ou soneca de até 15 minutos depois do almoço podem fazer maravilhas pela sua produtividade. Se você pode se dar este luxo, faça-o sempre que tiver vontade! Mas não durma por longos períodos durante o dia, isso prejudica o sono noturno e ajuda a aprofundar crises de sono continuadas.




Remédios para dormir: evite soníferos e calmantes, mesmo sob orientação médica – primeiro discuta bem outras alternativas. De modo geral, medicamentos para dormir deveriam ser usados apenas a curto prazo – o uso freqüentemente geralmente acaba se tornando ineficaz após algum tempo. Nunca se automedique, e se você sentir que sua medicação está perdendo o efeito, procure o seu médico – não aumente a dose sozinho.


Ser Solidário, Ser Voluntário, dia 14 de Maio, Bombeiros V Portimão

cartaz_14_de_Maio

sábado, 23 de abril de 2011

Frida e o sentido da dor e da vida


O filme “Frida” que nos conta a biografia da pintora mexicana Frida Kahlo, é mais uma das obras premiadas por Hollywood onde se mostra e exalta o lado mais negro da vida.
Frida, além do seu talento e da sua devassidão, é, desde jovem, ferida pela dor e o sofrimento. Por isso, a maioria dos seus quadros acabam por espelhar essa sua cruz física.
O que mais me choca, além de algumas das suas pinturas, que me fazem lembrar, num certo sentido, as de Hieronymus Bosch, é a visão completamente horizontal do mundo, um mundo sem esperança, onde a dor é vivida de forma agnóstica e sem qualquer sentido, onde só o alcóol e o sexo (e claro, os seus quadros) parecem atenuar, ainda que por breves erráticos instantes, o cenário de pesadelo em que a sua vida se tornou.
Aqueles que defendem o aborto e a eutanásia são os mesmos que defendem uma visão perfeita da vida: o céu tem que existir já nesta vida e tudo o que o possa estragar deve ser fisicamente eliminado.
Por seu turno e de forma um pouco paradoxal, quem defende o valor intrinseco da vida, desde a concepção até à sua morte natural, sabe que a vida é feita de imperfeições físicas e morais ou, como dizia Santa Teresa de Ávila, “é uma má noite, passada numa má pousada” e que a vida só por si, para fazer sentido, exige o bálsamo da solidariedade.
E é precisamente um raio ténue de solidariedade que se vê, na parte final da vida, pela dedicação da irmã e pela “lealdade” do marido, recordando um pouco a intensa experiência da dor vivida também na fase final da vida por C.S. Lewis e a sua esposa norte-americana, vítima de um fulminante cancro dos ossos e também imortalizado quer no seu livro “A grief observed” (Anatomia de uma dor) quer no filme “Shadowlands” , com Antonhy Hopkins e Debra Winger.
É curioso ver “Frida” no culminar da semana santa, uma semana onde o Cristianismo exalta também a dor e o sofrimento mas não da forma como Frida o fez. Na via-sacra ou nas procissões das irmandades espanholas fala-se, vive-se e até procura-se a dor como meio de redenção. “Salvé, Crux, Spes Única”- Salvé ó cruz, única esperança da vida “
É difícil, porém, condenar moralmente a perspectiva de vida de Frida já que todos nós comungamos da mesma natureza de miséria humana de que somos feitos e estamos predestinados, ainda que não necessariamente condenados. Mas, não se pode deixar de lamentar a horizontalidade da sua visão tétrica e sem sentido da realidade, agravada pela perspectiva materialista da vida, alimentada pelo activismo comunista, onde nada mais há, além do que se vê e se sente. Nada mais, para além disso,
Outros artistas há, como Graham Green que comungaram da mesma escravidão redutora mas, ainda assim, tentaram partir e atingir algo mais. Mas, a mensagem da Semana Santa mostra que, apesar dos pesos da vida, é possível ir muito mais além da dor e da escravidão das paixões.

domingo, 17 de abril de 2011

Beatificação de Papa João Paulo II- dia 1 de Maio



Apesar do muito que haveria para escrever sobre a actual crise política e as habituais burlas e logros do partido socialista, optei por escrever, antes, sobre algo mais positivo e edificante: A beatificação do Papa João Paulo II que terá lugar, no próximo dia 1 de Maio, na Praça de S.Pedro, em Roma.
Das ínumeras (e todas elas ricas) facetas que poderia aqui destacar, saliento apenas duas: a sua profunda humanidade, por um lado, e o seu forte carácter reflexivo e introspectivo, por outro.
Quando falo da sua profunda humanidade não me refiro à sua capacidade de se compadecer dos outros que também a tinha. Refiro-me sim à forma como gostava de se misturar e se integrar nas mais profundas entranhas do mundo, convivendo com todos como mais um entre iguais. No tempo em que era professor de ética na Universidade, na Polónia, registam-se as excursões que organizava com os jovens, o canoagem, o montanhismo e o futebol, entre outras práticas desportivas. Nessas excursões, no meio da natureza, ao mesmo tempo que ria e convivia com os jovens, Karol falava-lhes também da sua felicidade e não hesitava em abordar temas sensíveis e polémicos como o amor e a sexualidade.
Conta-se que, no dia em que o Cardeal da Polónia o teria mandado chamar para informar que tinha sido escolhido e iria ser ordenado Bispo, Karol foi apanhado de surpresa, no meio de uma excursão com jovens e, por isso, teve de se deslocar ao Paço Episcopal de sotaina preta e…ténis brancos.
Mais tarde, enquanto Papa manteve essa relação de proximidade com todos, mineiros, desportistas, jovens, idosos e doentes. Assim fez juz a um dos lemas do seu pontificado, o de que o homem deve ser o caminho da Igreja, isto é que a Igreja e a sua mensagem devem estar a par das necessidades e das carências diárias dos homens, ao seu lado e não numa posição de privilégio ou de distância.
Outro episódio que espelha bem esta sua caracteristica é a história de uma jovem norte-americano que, um dia, numa das audiências privadas com o Papa, comentou que também era amante de desporto e, em particular, de ténis, ao que o Papa convidou-o para uma partida de ténis. Uns dias depois, lá foi o jovem ao Vaticano, passou a guarda Suiça e dirigiu-se a um court de ténis onde encontrou o Papa vestido a rigor. No meio de várias partidas de ténis, o Papa falou-lhe de outros horizontes e desafiou-o a equacionar a possibilidade de seguir o sacerdócio e, uns anos mais tarde, este jovem fez-se padre, a partir de umas breves conversas no meio de umas quantas partidas de ténis.
Mas, além desta característica, Karol chamava à atenção pelo seu forte pendor introspectivo. Quando não estava a rir ou a conversar ou a discursar, estava em reflexão ou, se quisermos, em oração. Um pouco como as árvores que para crescerem e darem frutos precisam de raízes fortes e férteis, assim também o Papa alicerçava a sua acção numa forte componente de introspecção e reflexão. O que dizia e o que fazia eram o fruto do que meditava e reflectia.
Também a este propósito, conta-se uma história passada na capela privada do Vaticano. O Papa encontrava-se em oração, ao que foi interrompido pelo seu secretário que o informou ter acontecido algo de muito grave, a nível internacional, e que, por isso, o Papa teria que ir de imediato para o seu gabinete a fim de se inteirar e reagir ao ocorrido. O Papa reagiu, censurando o seu secretário, e respondeu que se era algo de internacional e de muito grave, então mais uma razão para o Papa continuar a rezar, pedindo pela resolução desse problema.
Assim era o Papa João Paulo II, um homem com a cabeça bem metida no céu, mas os pés bem assentes no meio da terra.
Dia 1 de Maio, numa tv perto de si.

Artigo públicado no mensário "Notícias de S.Brás"

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Novo Bispo de Coimbra

Se esta notícia se confirmar, fico bastante contente. Conheço o Pe Rafael Espírito Santo e é um "servo bom e fiel" da Igreja Católica. Alia a sua formação católica a um profundo sentido estóico e esse sentido estóico, por sua vez, é claramente reforçado e enriquecido pela sua formação católica. Além disso, pela sua licenciatura em engenharia tem um forte sentido prático e pragmático.


Tive o prazer de fazer uma viagem com os seus pais precisamente aqui ao Algarve e foi uma viagem que me marcou pelos pormenores de delicadeza e carinho que vi entre eles e deles comigo. É o que dá quando se têm pais assim, saíem filhos Bispos. Se, no próximo fim de semana, esta notícia se confirmar, será óptimo para o distrito e a diocese de Coimbra.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Mudar o regime

Medina Carreira hoje, na SIC, voltou a bater nas mesmas duas teclas que tem vindo, desde há meses a fios a bater: - A necessidade de responsabilização criminal dos dirigentes políticos. - A constatação de que o regime democrático está associado necessariamente ao despesismo estatal e ao aumento significativo do déficit público (A este último propósito, aliás, mostrou um gráfico com os valores do déficit, desde 1840, época do início da monarquia parlamentar, no qual o único período de menor déficit coincidiu com o período da ditadura do Estado Novo). Aqui, já o professor José Ferreira Machado tinha associado o período eleitoral ao aumento da despesa pública. Medina Carreira vai mais longe e diz que é o próprio regime democrático que, em Portugal, está associado ao aumento da dívida pública. A questão é esta: O eleitorado e as clientelas políticas têm de se alimentadas e só o podem ser através do recurso à despesa pública. No meio de tudo isto, só vejo uma pessoa a falar sobre a necessidade de mudar o regime político e essa pessoa é RUI RIO: "Portugal está doente mas é o próprio regime democrático que está doente", disse. "Não conseguiremos seguramente melhorar o regime democrático e melhorar a situação do pais se nós não tivermos um poder politico credível e forte e aquilo que nós temos, realmente, é um poder politico desacreditado e um poder politico fraco", acrescentou Rui Rio. "Quando digo poder político não estou a dizer os políticos ou as pessoas porque se o problema fosse mesmo das pessoas, troca-se as pessoas e tudo fica bem mas as pessoas já se trocaram muitas vezes ao longo de muitos anos, o problema, infelizmente, é muito mais de fundo", realçou. (Fonte: Jornal de Notícias)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Judoca dançante

O professor de Judo do meu filho, Vladimir Oleinic, além de ser um excelente educador e uma das pessoas mais íntegras e correctas que eu conheço, é também um homem multifacetado. Aqui em baixo podemos vê-lo em 2 situações diferentes: A representar Portugal, num campeonato internacional de Judo



E agora, como praticante de dança de salão (aqui a dançar com a senhora loira)

domingo, 10 de abril de 2011

Ministro Sueco das Finanças responsabiliza governo PS pela crise actual

“O Governo português tem uma grande responsabilidade pela situação em que o país se encontra por causa do défice e dívida pública que se mantém elevados durante um longo período de tempo”, afirmou Borg no final de uma reunião dos ministros europeus das Finanças, em Gödölö, Hungria.

“Tem havido sinais de alarme claros, e foi pedido aos portugueses para enfrentar a situação e assumir a responsabilidade numa fase anterior.

Se o tivessem feito no início do Outono, Portugal e a Europa estariam hoje numa situação melhor do que estão hoje"


Fonte: Público


P.S.- Para quem não sabe, o "Outono boreal" tem início, no hemisfério norte, a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro. Por outras palavras, alguém de fora, diz que, no final de Setembro, isto é, há 6 meses atrás se poderiam ter adoptado outras medidas (leia-se, no Orçamento de Estado para 2011)

sábado, 9 de abril de 2011

Motivação, rentabilidade e felicidade

Emilio Duró é um dos mais brilhantes especialistas em matéria de formação para a motivação de recursos humanos.

Quer na macroeconomia, quer na economia das empresas habitualmente esquece-se a importância da motivação e do empreendedorismo quer dos gestores, quer dos funcionários.


Eis uma das suas palestras, neste caso no âmbito de uma workshop do Banco Santander, com grande interesse e tocando em muitos calcanhares de Aquiles de todos nós.





Sobre o poder da manipulação e da burrice dos eleitores portugueses


Na campanha eleitorial para as últimas eleições legislativas, tive a honra de participar no blogue colectivo de apoio ao PSD de Manuela Ferreira Leite, “Jamais”.


Nessa ocasião, tive oportunidade de esgrimir argumentos com um dos membros mais activos do blogue oposto, de apoio ao PS de José Sócrates, o “Simplex”, o professor de economia da Universidade Católica do Porto, Carlos Santos.


Pouco tempo após as eleições, o prof. Carlos Santos, veio a público denunciar que o blogue “Simplex”, em vez de ser um blogue espontâneo e autêntico de apoio a Sócrates, era, na realidade, uma mão da máquina da campanha eleitoral socialista, inclusive, apoiada por profissionais pagos. Está tudo aqui neste artigo do Público, como poderão ver.


Como consequência, o seu nome foi excluído e postumamente expulso do “Simplex” a favor do qual o prof. Carlos Santos dedicou tantas horas e noites de trabalho. Carlos Santos viu onde andou e tem andado a denunciar o polvo tentatacular e maquiavélico em que se tornou a máquina socialista.


Na sua página do Facebook, hoje mesmo, Carlos Santos, escreve o seguinte:



O homem que anda a jurar que ajuda externa resulta do chumbo do PEC IV vai sendo desmentido. O PEC IV foi apresentado em Bruxelas como contrapartida para a ajuda financeira de 80 mil milhões de Euros que agora Sócrates quer imputar à oposição. Importa denunciar este mentiroso compulsivo, e dar ao PS uma cura de anos longe do poder. Tantos quantos demorarmos (e serão muitos) a recuperar da sua incompetência governativa”



É importante que esta situação seja denunciada, em face da desinformação e propaganda demolidora da máquina socialista: O PEC IV era já o início do pedido de ajuda económica ao FEE e ao FMI !


Esta situação foi mesmo denunciada por jornalistas de economia como José Gomes Ferreira, da SIC, que comparando as condições de acesso ao fundo de apoio do FEE com as condições do PEC IV verificou que, em muitos pontos, eram coincidentes. Por outras palavras, o PEC IV era já uma forma encapotada de pedido de apoio ao Fundo da União Europeia e ao FMI


A questão, nestas eleições, é muito simples:


A MAIORIA DO ELEITORADO PORTUGUES VAI NOVAMENTE DEIXAR-SE ENGANAR PELAS MENTIRAS E PROPAGANDA DO PS, TAL COMO ACONTECEU EM 2007 ?



OU VAI ABRIR OS OLHOS E PENALIZAR QUEM TUDO FAZ, SEM QUAISQUER ESCRÚPULOS E A TODO O CUSTO, PARA SE PERPETUAR NO PODER ?

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Mais sobre o Beato de Santa Maria (vulgo Nuno Álvares Pereira)


Blogue com textos sobre a biografia e com comentários sobre a vida e obra do Beato de Santa Maria (vulgo D. Nuno Álvares Pereira) , aqui

sábado, 26 de março de 2011

Adultos infantilizados


A Juíza Beatriz Borges, com quem já tenho participado em várias sessões no Tribunal de Família de Faro, e é, diga-se, uma excelente juíza nesta área complexa do Direito da Família, participou na semana passada numa conferência sobre esta temática na qual, entre outras, aludiu à problemática do adulto infantilizado em que “a imaturidade dos pais apresenta repercussões na capacidade de contenção dos filhos, quer ao nível do consumo de bens supérfluos, quer no cumprimento de regras básicas de saúde, educação e convivência que se espelha em aspetos tão básicos como a falta de pontualidade e assiduidade na escola”.


Assistimos a uma regressão do estado adulto em que os pais se comportam como adolescentes ao invés de se apresentarem como um modelo para as crianças e em que desculpabilizam os comportamentos desadequados dos filhos imputando a terceiros (incluindo a escola) a falta de educação dos seus descendentes”, criticou.

A oradora lamentou que as decisões parentais percam “autonomia” face à “pressão do consumismo