quinta-feira, 26 de abril de 2007

E, a nós, o que nos sustem?


Frodo) Não posso fazer isto, Sam.
Sam) Eu sei. Está tudo errado ! O certo era nem sequer estarmos aqui.
Só que estamos....
É como nas grandes histórias, Sr. Frodo, naquelas mesmo importantes.
Elas eram sombrias e cheias de perigos.
E, às vezes, não se queria saber o final, pois como poderia ele ser feliz?
Como podia o mundo voltar ao que era quando tanto de mau já acontecera?
Mas, no fim, é só uma coisa passageira, essa coisa sombria.
Até as trevas têm um fim. E um novo dia nascerá. E, quando o sol brilhar será ainda com maior intensidade.
Eram essas as histórias que nos ficavam na memória, que tinham algum significado, ainda que fossemos novos demais para o perceber.
Mas, acho que agora percebo, Sr. Frodo.
Sei que agora percebo.
Os heróis dessas histórias tinham hipóteses de arrepiar caminho, só que não arrepiavam. Continuavam em frente porque qualquer coisa os sustinha.
Frodo) E o que nos sustem a nós, Sam?
Sam) A nós, é o saber que há ainda bondade neste mundo. E que, por isso, vale a pena lutar por Ela !”
In "O Senhor dos Anéis" (filme)- A Irmandade do Anel de J.R.Tolkien

2 comentários:

Miguel Reis Cunha disse...

Em muitos séculos de história muito raramente se encontram momentos em que se possa dizer que tudo correu mais bem do que mal.
Momentos ideais não os há. Mas em cada um desses momentos históricos houve sempre alguém que manifestou ou simbolizou essa bondade, pela qual supostamente o nosso amigo Sam diz valer a pena lutar.

KA disse...

VAle a pena lutar pelo bem, vale!

Fazems bem a outros e a nós com essa atitude :)

Bom fim-de-semana