sábado, 19 de maio de 2007

4 MONTHS, 3 WEEKS AND 2 DAYS


Finalmente, um filme que mostra a degradação moral e humana que significa a prática do aborto.

Um filme romeno intitulado "4 meses, 3 semanas e 2 dias" que aborda a história de uma rapariga que engravida do namorado e pretende, por isso, fazer um aborto.

Recorde-se que, de acordo com estatística recente, a Roménia é, atrás da França, o país da Europa onde mais abortos se praticam.

O filme tem cenas muito chocantes e, por isso, não se pode deixar de o considerar um filme "pesado" ou mesmo "negro".

Mas, penso que é importante chamar as coisas pelos nomes e mostrá-las tal como elas são. Se assim o tivéssemos feito, durante o período do referendo, talvez o resultado tivesse sido outro.

Para saberem mais sobre o filme, actualmente em exibição no Festival de Cannes, podem consultar os seguintes sites:






4 comentários:

Voluntariado Nova Geração disse...

Acreditamos no Voluntariado e no que ele tem de melhor para ajudar o Outro. Queremos ser uma Nova Geração para o Voluntariado. Olhamos o Mundo com um Novo Olhar.

Procuramos com o blogue Voluntariado Nova Geração promover e divulgar o Voluntariado Social, enquanto actividade que, através da Solidariedade, do Respeito e da Ajuda, vá ao encontro do Outro, procurando construir uma Sociedade mais justa, humana e solidária.

Faça um “link” do Voluntariado Nova Geração no seu blogue, divulgando esta causa.
Visite-nos e dê-nos a conhecer notícias e testemunhos de voluntariado.

«O voluntariado enobrece os Homens…» T. Jefferson

Voluntariado Nova Geração disse...

http://voluntariadong.blogspot.com/

Lia disse...

É e será sempre uma questão polémica, porque além das questões ditas "morais" há sempre a ter em conta a própria mulher...

Obrigada pelos elogios :)

Um beijo ( e um também à Lia )

Anónimo disse...

É das decisões, uma das mais difíceis. Todavia, jamais abro mão do que tenho de convicto em mim:a mulher é e será sempre a dona do seu corpo. Todavia, cabe sempre um alerta à essa juventude absolutamente irresponsável no relacionamento sexual:"dona do seu corpo", sim, mas com responsabilidade; saber que as precauções são sempre as primeiras antes do prazer. E a mulher, ante esse quadro, DEVE se resguardar, simplesmente, assim e de forma irrestrita:sem preservativo, sem sexo. E ponto final.